Pages

sábado, 31 de março de 2007

Amigas de Colégio - Lukas Moodysson

Vi esse filme com um amigo na quarta (anteontem) e achei bonitinho. Também vi (em outros dias) "O Segredo", que a Lourdinha me mandou de presente (e que eu vou ver mais uma vez e depois mandar pra Mary gaúcha - é que tem coisas no filme que eu acho que seria legal ela ver e ouvir) e "Coming Out", que eu pretendo comentar em outros posts.

Comprei o DVD "Amigas de Colégio" (cujo título original em sueco é "Fucking Amal" - tem duas bolinhas em cima dos dois "a" e eu não tenho noção de como se lê... é o nome de uma cidadezinha sueca onde a história se passa), pirateado, pela internet e propus vê-lo com esse amigo. Havíamos combinado de ver o filme já faz um bom tempo (desde quando eu nem tinha recebido ainda) e, por um motivo ou outro, sempre fomos adiando, mas como não é bom adiar demais a vida, ele lembrou do filme (que recebi há mais de um mês) e combinamos de ver ontem, antes de eu ir pra faculdade. Na quarta não tivemos aula, mas um curso de primeiros socorros no auditório, com um professor de buco-maxilo-facial (uma das minhas opções de especialização, a que eu acho mais interessante - não sei se "buco-maxilo-facial" tem hífen ou não, mas vou procurar saber). O curso de primeiros socorros foi legal para termos noção do que fazer caso um paciente perca os sentidos ou engula algum objeto durante o tratamento no consultório (e dá para ser aplicado no dia-a-dia também, caso essas situações aconteçam).

(Há mais coisas que eu gostaria de comentar sobre o curso, depois eu escrevo.)

Agora vou escrever sobre o filme... Devo ter lido a respeito dele em algum site, há alguns anos e fiquei interessada, só que esse filme é superdifícil de achar nas locadoras (se é que tem em alguma), aí comprei o filme "pirateado" mesmo.

É a história de duas meninas, Agnes e Elin. Agnes é tímida, reservada, gosta de ler e escrever e está secretamente apaixonada por Elin, sua colega de sala. Elin é a "estrelinha" do colégio: linda, extrovertida, cheia de amigos, gosta de festas, quer ser modelo quando crescer, e se sente entediada em morar em Amal, um lugar onde nada acontece. É como se Elin estivesse esperando alguma coisa acontecer... e acontece.

Uma série de encontros e desencontros faz com que as duas, que nem se falavam, vivam uma noite atípica no aniversário de Agnes, que estava completando dezesseis anos. Mesmo estando bêbada, Elin consegue dialogar com Agnes de modo mais ou menos inteligível e, nesse diálogo, Elin pergunta o que Agnes quer ser quando crescer; Agnes diz que queria ser escritora, que gostava de escrever, e Elin comenta que ainda estava em dúvida se queria ser modelo ou psicóloga, que achava o máximo saber o que se passa na cabeça dos outros, mas que ser modelo também seria legal e pergunta à Agnes se ela é suficientemente bonita para ser modelo, ao que Agnes responde, timidamente, que sim, mas que ser psicóloga seria mais legal. Essa foi, para mim, uma "cena-chave" porque, pela primeira vez, Elin demonstra interesse por algo que não é superficial (moda, garotos, festas...) e, de certa forma, a Agnes faz com que ela considere seriamente a possibilidade de ela se tornar psicóloga (mais tarde há uma cena em que a Elin está com o namorado, a irmã e o namorado da irmã e, ao falar sobre futuro, ela afirma/confirma que quer ser psicóloga (e não mais modelo)).

O filme não é o que se pode chamar de "obra-prima", mas gostei muito porque mostra essa coisa de as pessoas (algumas, muitas... depende do quanto nos abrimos para o mundo) passarem pela nossa vida e fazerem a diferença... elas vão nos modificando, nos moldando, nos ajudando a ver faces de nós mesmos que ainda não conhecemos, nos acrescentam. Bom, pelo menos é o que sinto quando converso com amigos, família, parentes, colegas de faculdade, colegas de trabalho. Cada pessoa me acrescenta de uma forma diferente (e eu também espero ter contribuído/estar contribuindo com algo na vida deles) e isso me dá um prazer enorme. Amo as pessoas com quem convivo (e, se me mantenho distante de algumas pessoas, é para não ser falsa... geralmente não converso/não mantenho contato com quem não me diz nada... meu tempo é precioso demais para ser perdido com quem não tem nada a dizer - minha posição pode soar arrogante e pretensiosa, mas é assim que eu penso e sinto e ajo).

Resumindo, o lindo do filme é: no começo, a Elin é uma "estrelinha" que se acha a linda (e, para ela, ser linda é uma das coisas mais importante do mundo), no fim, ela já é outra pessoa! A Agnes vem para acrescentar outras coisas, outros valores e para dar sentido à vida dela e, ao mesmo tempo, fazer com que ela veja que talvez seja preciso, além de ser linda, ter conteúdo, tentar coisas diferentes, buscar o que há de melhor em nós, para que possamos oferecer isso para o mundo.

Ah, deixa eu comentar uma cena que achei "destoante": em uma das vezes em que a Agnes pega o álbum de formatura com a foto de todos da sala dela (deduzo que ela estudou com a Elin no ano anterior também), ela foca o olhar na Elin e começa a se masturbar - deitada na cama, ela fecha os olhos e enfia uma das mãos dentro da calça. Achei "destoante" porque isso parece mais uma atitude masculina. Não sei se estou errada, mas não creio que a maioria das meninas que se apaixonam por outras meninas (ou melhor, se apaixonam em geral), quando são bem novas, façam isso... se bem que não sou expert em sexo também (bem pelo contrário *hahahaha*), então não posso falar muito... mas achei a cena estranha e desnecessária.

Um comentário:

naomi disse...

Estou testando...