Pages

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Workaholic?

"Eu gosto de trabalhar. Trabalhar me dá prazer como qualquer outro tipo de prazer" - ouvi isso do Vitor, o meu superior no novo trabalho, hoje. Apesar de estar semi-concentrada em algumas coisas que eu estava fazendo, não pude deixar de sorrir e ouvir o resto da breve conversa que ele estava tendo com o Edson, que é como um office boy da empresa. O Edson, então, perguntou qual era o segredo disso e o Vitor respondeu: "É se focar em algo de que você goste e ir em frente, porque, de qualquer forma, você vai ter que trabalhar, então, que seja em algo que você faça com prazer".

Eu adoro o Vitor. Ele é dentista, se formou na mesma faculdade em que estou estudando, em 1983, e vive contando umas histórias do tempo da faculdade, da ex-mulher, da filha, etc., é uma piada. Adoro e rio um monte. E, além de ser uma ótima pessoa, provavelmente será um dos meus melhores professores de odonto, mesmo estando fora da faculdade. Aliás, tenho aprendido muito esses dias.

Não lembro se havia escrito antes, mas comecei a trabalhar na área de auditoria em um convênio odontológico daqui. A equipe de auditoria é formada por três dentistas e mais o Vitor, que é o gerente, além de mim e mais duas colegas (do terceiro ano) da faculdade... então, algumas coisas, estou aprendendo por "osmose" e isso é ótimo. Conviver com colegas e futuros colegas está sendo bem positivo.

No começo, foi difícil, foi entediante, foi muitas coisas... eu nem sei explicar. Senti muitas coisas em um curto período de tempo, mas agora estou bem. Com algumas coisas, não concordo, com outras, concordo plenamente e com outras, ainda, finjo que concordo. E vou assim remando pra ver aonde chego.

Esses dias estamos fazendo hora-extra (não tenho certeza se "hora-extra" tem mesmo esse hífen) até à noite noite noite. Estamos com coisas em atraso e vamos ter que finalizar o trabalho de alguma forma. Mas eu não reclamo. Acho que, como o Vitor, sou meio workaholic, gosto de trabalhar. Trabalhar no que gosto me dá prazer. Talvez eu esteja canalizando toda a falta que sinto de outras áreas da minha vida para o trabalho, mas só sei que é assim... na maioria das vezes, se eu estiver empolgada com o que estou fazendo, sinto muito prazer.

No fundo, no fundo, sei que não é bom ser workaholic, acho que basta gostar do que se faz e tentar fazer sempre o melhor; não é preciso (e nem é saudável) priorizar a vida profissional em relação a todas as outras áreas da vida. É algo que preciso corrigir em mim a médio prazo... (e eu sei disso!) preciso dividir o tempo, sentir mais prazer em estar com pessoas do que fazer atividades consideradas "solitárias" (ver filme, ler, escrever, traduzir, trabalhar...). Espero ter esse "médio prazo" para corrigir o que eu sei que precisa ser corrigido.


Nenhum comentário: