Pages

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Também sei ser mesquinha

Uma vontade de chorar. Duas, três. Eu também sei ser mesquinha e isso dói.

É como se olhar no espelho e descobrir: tenho baobás dentro de mim. E como cortá-los?

Sou mesquinha porque tento fazer ciúmes para alguém que já não me diz respeito, porque finjo que essa pessoa não significa mais nada para mim, finjo que não fazer mais parte da vida dela não tem importância (quando, no fundo, ter consciência disso me deixa doente), porque quero ficar com outras pessoas para provar para ela (para mim mesma?) que sou forte, que já esqueci - esquecida que sou. Meu deus, que mesquinharia. E sou mesquinha também porque metade de mim fica feliz por essa pessoa não arranjar logo outra namorada, não arranjar alguém que queira se casar (diferente de mim, que nem sei o que quero - amanhã é sempre um salto em queda livre, nunca sei que tipo de loucura vai se apossar dos meus pensamentos). Me sinto tão mal!

E a sensação de que ninguém igual vai cruzar o meu caminho me angustia. Eu que vivo dizendo, de boca cheia: "minha prioridade agora é a vida profissional: quero estudar, trabalhar, construir uma carreira, viajar, conhecer o mundo... o amor, bom, depois eu resolvo isso" (como se o amor. como se tudo. como se.). Não é isso. Que pena, porque se fosse, tudo seria mais simples. Na verdade, tudo é simples, eu é que complico (?). Será que um dia o mundo vai perdoar tanta mesquinharia? Ou melhor: será que um dia as pessoas com quem me importo vão perdoar as minhas mesquinharias?

E onde eu durmo agora, já que você não embala mais os meus sonhos?

4 comentários:

Um certo alguém disse...

Eterna "prenda oriental",

A vida é curiosa. Hoje, madrugando, tomei coragem e vim parar aqui nos seus escritos. Li tudo compulsivamente, como que buscando entender a pessoa que você se tornou nesse exato um ano. Com o mesmo ímpeto, também estive a ler o seu "outro eu" (se é que me entende).

Às vezes reflito e me pergunto: "por que cruzamos a vida de certas pessoas tão diferentes da gente?" Acho que nunca vou saber a resposta.

Saudades.

aline naomi disse...

"Quando um certo alguém
Cruzou o teu caminho
E te mudou a direção"

Acho que sei quem você é. Pelo "prenda oriental" e pelo jeito de escrever.

Do fundo do coração, espero que esteja bem, um certo alguém que escreve "alguma coisa qualquer"... :)

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

Anônimo disse...

ler todo o blog, muito bom