Pages

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Colar de dentes

Este é o "colar de dentes" que a professora de anatomia emprestou (um para cada aluno que ficou de exame) e que devolvemos ontem, antes do exame.

Independente do resultado, me sinto mais leve agora.

Foi ruim a sensação de ir ontem lá na faculdade. Tudo vazio. Um silêncio. Armários vazios e escancarados (a partir do segundo ano, os alunos ganham um armário, como os estudantes americanos, para guardar os materiais e livros, que são pesados). Férias, enfim.

Ontem de manhã vi uma chamada com o DDD 21 no meu celular e fiquei com medo de atender. Medo de ser alguém do CV ou algum presidiário, falando que sequestrou alguém que conheço ou algo assim. Pensei em não atender, mas acabei atendendo. Era uma moça do RH de uma agência de tradução do Rio, muito simpática e atenciosa, por sinal. E tinha um sotaque tipicamente carioca, foi bom ouvir alguém falando diferente. Disse que meu teste havia sido aprovado e que, assim que puder, me enviam projetos.

Se por um lado a faculdade me angustia, por outro, o lado profissional parece estar se abrindo novamente para mim e isso me faz acreditar que sou capaz de conseguir me virar.

Hoje fui pagar a taxa de inscrição para o concurso do IBAMA e lembrei da Tati, ela que queria passar em algum, para resolver parte da vida dela. Depois vou procurar apostila, no centro da cidade, e começar a estudar. Faço a prova em janeiro de 2009, em São Paulo, e concorro a uma vaga em Brasília. Pensei em Manaus ou Belém - quanto mais longe, melhor -, mas em Brasília tinha mais vagas para o cargo que achei mais interessante (menos desinteressante). Não tem nada a ver com nada do que fiz até hoje na minha vida, mas por independência financeira, estou fazendo qualquer coisa, digo, QUASE qualquer coisa. Se eu passar, vou para Brasília, "lugar melhor não há" (será?), como cantaria o Renato Russo. Não é um lugar onde, de escolha própria, eu iria (sou bem mais Porto Alegre!), mas quero ver o que acontece. Brasília pode ser o lugar onde as coisas vão acontecer.

Como estou de férias indefinidamente, marquei cinema com a Kemi, que voltou do Japão mês passado (saudade!) e Padaria da Árvore com a Mila-in-love, que está em completo estado de graça por alguém - é bom ver as pessoas assim, flutuando.

Estou tentando consultar a quantas anda o passaporte que solicitei no começo do mês, mas o site não funciona. Talvez já esteja pronto. Um passaporte todo azul. Da cor do céu.


Nenhum comentário: