Pages

domingo, 14 de junho de 2009

Há mesmo mais coisas entre o céu e a terra...

... do que sonha a nossa vã filosofia? Segundo Shakeaspeare, sim.

Estou preste a começar a traduzir um livro de astrologia para o trabalho e, sinceramente, não sei se acredito nisso ou não. Espero que isso não afete o meu rendimento nem o resultado final - é preciso manter uma distância entre o lado pessoal e o lado profissional, certo? Senão enlouqueço. Gosto de ser sagitariana, me identifico com várias coisas que supostamente têm a ver com o signo (viagens, novas culturas, novos conhecimentos, uma busca sem fim por algo que nem sei definir o que é, em geral, falo tudo que penso (e só depois me dou conta de que fui precipitada ou mesmo ridícula, mas aí já era), otimista a ponto de isso beirar a burrice e/ou a chatice...), mas se eu tivesse nascido virginiana ou pisciana ou leonina, não daria igual? Porque, independentemente do céu sob o qual nascemos, somos o resultado de uma série de estímulos externos, vivências, características pessoais inatas, além da forma como moldamos (ou de como são moldados) nosso caráter, nosso jeito de ser, pensar e agir.

E também sei que os horóscopos de jornais não funcionam - aquilo, sim, é charlatanismo puro, vai?! =P -, só que de uns tempos pra cá, comecei a dar uma olhada no horóscopo diário do Terra... e não é que o que está escrito sempre tem a ver com o meu dia ou com situações pelas quais estou passando? É sério. Sou muito cética em relação a esse tipo de coisa, sou muito mais inclinada a acreditar em experimentos supercomprovados cientificamente - o que não é o caso da astrologia -, mas me espanta, porque parece que a coisa foi escrita para mim. Hoje, por exemplo, está escrito assim:

"Domingo, 14 de junho de 2009
Ótimas novidades no trabalho é a marca desta fase. Propostas de novas parcerias e aumento das finanças em conseqüência da aprovação de novos projetos. Mas se prepara, pois você vai trabalhar muito mais. No entanto terá energia suficiente para as exigências vindouras. Amor inicia fase de conversação."

Em um desses dias de feriado prolongado, também estava escrito que se iniciava uma fase de novas parcerias profissionais, lembrei da Cris na hora. Achei estranho por ser muito específico! Nada disso faria sentido no ano passado. Sobre o amor, ontem estava escrito que "o amor continua neutro pelo menos até a semana que vem" - será? Não sei exatamente o que quer dizer "Amor inicia fase de conversação" de hoje, mas aguardemos. Meu destino nessa área é incerto ainda - pelo menos até a semana que vem. Rá.

4 comentários:

Crisão disse...

AH GAROTA!!!
Concordo com a sua explanação sobre Astrologia, mas ela é dita por totais desconhecedores do assunto. O que espero que -- por enquanto -- seja o seu caso!
Se o ser humano é um poço de complexidades, que ciências como Psicologia e Medicina não conseguiram classificar e entender por complexo, por acaso seria a Astrologia a fazer isso? Comece pensando por aí!
Assim sendo, se somos um misto complexo de tantas coisas o papel da Astrologia não é delimitá-lo para destrinchar seu funcionamento. Esta é a primeira regra.
A segunda regra é: um mapa astral é uma fotografia do céu no exato momento em que nascemos. Isso não quer dizer apenas sagitário, gêmos etc, etc. Quer dizer: 1ª leitura: signos. 2ª leitura: onde estão os signos. 3ª leitura: como eles estão interrelacionados entre si. 4ª leitura: como vc reage a essas combinações. 5ª leitura: livre-arbítrio. Quando o Espiritismo prega o livre-arbítrio, ele se estende a tudo. E, no fim, nós fazemos as escolhas do que queremos ser, independemente do que digam para nós -- incluindo a Astrologia.
Portanto, "acreditar" em Astrologia é facultativo. Conheço muita gente que prefere dizer que não acredita a tentar entender melhor. Mas, tudo que é complexo e demanda reflexão e -- principalmente -- voltar o olhar para dentro de si mesmo, fica pra depois.
A Astrologia, como toda ciência, é exata. Mas, como sabemos, tudo que envolve o ser humano é interpretativo e pessoal. Assim, eu "creio" que a Astrologia cerca e satisfaz muitas explicações. Mas, ainda bem que não temos apenas ela no mundo.

ok?

Precisamos marcar uma nova reunião. De trabalho mesmo.

aline naomi disse...

Uau, que aula! =D

Eu sou uma desconhecedora confessa. Mas ainda quero ler e estudar mais um pouco para chegar a alguma conclusão. Sei que não se pode ter uma opinião definitiva sobre algo que não se entende (meu caso sobre Astrologia), então creio que essa tradução vai ser um bom começo para eu ter uma ideia.

Ah, ia comentar com você: uma vez comecei a ler uma dissertação de mestrado em que o cara pegou não sei quantas pessoas e estava fazendo uma quantificação sobre as características das pessoas divididas pelo signo... era um cara de São José. Achei interessante, mas agora não consigo mais achar! É o tipo de pesquisa que eu teria muita vontade de fazer!

Tá certo, Dona Cristiane, vamos marcar outra reunião de trabalho MESMO! Porque a outra foi pra falar de cocô, né? =D

Crisão disse...

E eu fiz uma pesquisa astrológica sobre quem trabalha em editora. Dependendo do departamento, a diferença é drástica. Dependendo do perfil, sei dizer quanto tempo ela fica no cargo. E, vai por mim, usei a Manole como laboratório de experiências por 7 anos.

Claro, existem exceções. Mas, no geral, as regras que criei, valem. E eu uso essas regras -- inclusive -- para contratar estagiários. Acho, ainda, que o RH de um futuro revolucionário vai usar Astrologia para escolher candidatos, dependendo do cargo. Funciona. Olhar um mapa astral, além de figuras e desenhos, é desnudar muitas coisas que a própria pessoa ainda nem sabe!

Vamos marcar. Tava pensando para semana que vem, talvez. Tô meio com preguiça, por ora. Vou sondar a Fabiana.

aline naomi disse...

E quanto tempo eu fico fazendo o que estou fazendo nessa editora? =D Hahaha... por incrível que pareça, estou curtindo. Adoro (mesmo!) o que eu faço, adoro as loucuras e os desafios do dia a dia (cada dia é um abacaxi diferente para descascar, e eu que me vire! e isso vai me dando uma certa "maturidade profissional"... e o engraçado é que eu sinto isso de uma forma que nunca senti antes), só que tem algumas coisas que incomodam, enfim, you know.

Eu acharia legal misturar Astrologia e grafologia na hora de contratar pessoas, além de análise de outros tipos (o currículo em si)... comecei a ler um livro de grafologia (eu adoro isso) para possível publicação e fiquei pensando que a letra da pessoa deveria, sim, ser levada em consideração. Não sei se é verdade, mas para mim faz sentido: letras esgarranchadas = pessoas que gostam de manter segredos sobre si mesmas; letras GRANDES = pessoas com mania de grandeza ou de achar que são mais "inteligentes/poderosas" do que realmente são; letra "caprichada" = pessoa minuciosa... isso em uma leitura superficial, imagina as outras coisas que dá para sacar com um olhar mais apurado?

Ah, também estou com preguiça, diga-se de passagem...