Pages

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Ode ao dia feliz

Hoje foi um dia bom. Eu precisava desse feriado santo.

Estou contente, amanhã não trabalharemos na editora. Ganhamos um dia. Inacreditável, não? Eu também quase não acreditei quando recebi o e-mail do RH informando esse milagre.

Ontem também foi bacana, mesmo chovendo, sendo véspera de feriado e São Paulo estando insana. Depois do trabalho, fui encontrar a Cris e uma amiga dela, a Fabi, no shopping Center 3 na Paulista. Comi comida árabe num restaurante por quilo num lugar que a Cris disse que era bom - pasta de grão de bico, esfihas de ricota, esfiha de shimeji, esfiha de rúcula, quibe de peixe... - e depois suco de abacaxi + uva + maçã num outro lugar; tudo lá no Center 3 mesmo, porque estava chovendo e optamos por não sair. É bom provar coisas novas. Conversamos, rimos, foi bom, mesmo elas sendo estranhas! =D

Depois fomos, eu e Cris, para a rodoviária do Tietê. Enquanto eu, São José, ela, Rio. Nos despedimos, peguei minhas coisas no Malex (detalhe: quando fui deixar mala e mochila lá, antes de ir para a Paulista, tranquei, sem querer, minha blusa e só depois de alguns segundos me dei conta... blá! Aí a Fabi me emprestou uma das blusas que ela estava vestindo por algumas horas ;), comprei a passagem para cá e vim feliz.

Hoje coloquei algumas roupas na máquina (duas levas, amanhã, mais duas ou três) e estendi. Levei a Brisa para passear. Dormi. No almoço, minha mãe fez salmão "à la belle munière" (ou algum nome parecido com esse): salmão grelhado e depois colocado no forno para gratinar com muito azeite, alcaparras, cebola, camarão e azeitonas pretas - quando eu quiser conquistar alguém, vou preparar isso, a pessoa vai se apaixonar na hora! =P

***

E porque também tenho fome de outras coisas, aí vai esse poema recém-descoberto do Neruda:

Ode al giorno felice

Questa volta lasciate che sia felice,
non è successo nulla a nessuno,
non sono da nessuna parte,
succede solo che sono felice
fino all’ultimo profondo angolino del cuore.

Camminando, dormendo o scrivendo,
che posso farci, sono felice.
Sono più sterminato dell’erba nelle praterie,
sento la pelle come un albero raggrinzito,
e l’acqua sotto, gli uccelli in cima,
il mare come un anello intorno alla mia vita,
fatta di pane e pietra la terra
l’aria canta come una chitarra.

Tu al mio fianco sulla sabbia, sei sabbia,
tu canti e sei canto.
Il mondo è oggi la mia anima
canto e sabbia, il mondo oggi è la tua bocca,
lasciatemi sulla tua bocca e sulla sabbia
essere felice,
essere felice perché sì,
perché respiro e perché respiri,
essere felice perché tocco il tuo ginocchio
ed è come se toccassi la pelle azzurra del cielo
e la sua freschezza.
Oggi lasciate che sia felice, io e basta,
con o senza tutti, essere felice con l’erba
e la sabbia essere felice con l’aria e la terra,
essere felice con te, con la tua bocca,
essere felice.

Pablo Neruda


Em minha tradução livre, fica assim:

Ode ao dia feliz

Desta vez, me deixe ser feliz,
não aconteceu nada com ninguém,
não estou em parte alguma,
acontece que sou feliz
até o último e profundo canto do coração.

Caminhando, dormindo ou escrevendo,
o que posso fazer?, sou feliz.
Estou mais aniquilado que a relva nas pradarias,
sinto a pele como uma árvore enrugada,
e a água embaixo, os pássaros em cima,
o mar como um anel em volta da minha vida
feita de pão e pedra, a terra
o ar canta como um violão.

Você ao meu lado sobre a areia, é areia,
você canta e é canto.
O mundo é hoje a minha alma
canto e areia, o mundo hoje é a sua boca,
me deixe estar sobre a sua boca e sobre a areia
ser feliz,
ser feliz porque sim,
porque eu respiro, porque você respira,
ser feliz porque toco seu joelho
como se tocasse a pele azul do céu
e seu frescor.
Hoje, me deixe ser feliz, eu e basta,
com ou sem todos, ser feliz com a relva
e a areia, ser feliz com o ar e a terra,
ser feliz com você, com a sua boca,
ser feliz.

2 comentários:

Crisão disse...

Porra esse salmão ein??? Salmão, truta, bacalhau e a velha e boa pescada são os meus peixes favoritos. Mas não descarto atum, linguado, e um outro q não lembro agora. Vou tentar fazer essa receita em casa.

aline naomi disse...

Ahhhh, eu adoro peixe!

Faça a receita, sim. Se esperar um pouco, te passo a receita certinha da mamma! ;) Esse salmão é uma das melhores coisas que já comi na vida.

E por falar em truta, minha mãe faz uma truta!! É supersimples, acho que só temperar com um pouco de sal e pimenta, aí grelha na manteiga e depois joga uns pinhões cozidos e picados e também umas amêndoas (agora não lembro se é amêndoa ou outra oleaginosa)... noooossa, mas fica bom isso, Cris!!