Pages

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Meu dia de Expedição!

Ontem e hoje fiz um "estágio" de Expedição, que é o departamento responsável por separar e encaixotar os livros e enviar as encomendas para os clientes.
Incrível descobrir que a editora também tem um "calabouço" (eu chamava um depósito velho e empoeirado do convênio odontológico onde trabalhava de "calabouço" e o apelido acabou pegando! =P), e que o calabouço daqui, na verdade, é um sobrado inteiro! Rá. É onde antigamente funcionava parte da editora - há uns três anos, ela mudou para um outro prédio, a algumas casas de distância, porque o sobrado não acomodava mais todos os funcionários (o número de funcionários dobrou de uns anos pra cá).
Acontece que, para liberar espaço no departamento editorial (para se ter uma ideia, minha mesa está abarrotada de livros, porque não tenho onde colocar), precisávamos liberar um espaço lá no "calabouço", encaixotar livros e jogar fora várias coisas que estavam lá empoeirando, desde que houve essa mudança de um prédio para o outro, para, então, levarmos parte dos livros do departamento para lá. Segunda, a gerente falou para eu ir com uma roupa velha, porque iríamos limpar o espaço que cabe ao nosso departamento nesse prédio antigo. Fiquei a manhã toda separando e encaixotando livros e liberando espaço de umas estantes, com ajuda do Rafa, que é mesmo da Expedição, enquanto a gerente e o Mega viam e limpavam outras coisas.
Muito pó depois, fui almoçar e depois trabalhei no escritório, fazendo minha atividades normais.
Hoje encaixotei mais uns livros do departamento, separados por ordem alfabética, etiquetei as tais caixas e até que foi desestressante - raramente tenho esses momentos que não requerem trabalho mental, que é só fazer e posso pensar no que quiser e isso não vai interferir no resultado final.
Foi uma experiência. =) Daí brinquei que de repente eu poderia trabalhar na Expedição também =P
Lembrei muito da Luiza, dentista-auditora lá do convênio, cheguei até a mandar um e-mail para ela, mas recebi uma mensagem automática de que ela está de férias. Ela queria porque queria arrumar o calabouço de lá, organizar uns papéis muito velhos, jogar fora o inútil, e eu fiquei de ajudá-la, mas acabei saindo antes. Eu gostava muito do jeito que ela trabalhava, às vezes eu tinha a impressão de que ela se preocupava mais do que o próprio dono e isso é admirável porque mostra um comprometimento incrível dela com a empresa. Eu tenho saudades do pessoal do convênio. São pessoas incríveis.

Nenhum comentário: