Pages

domingo, 9 de agosto de 2009

Ensaio sobre a gripe suína


Fui para São José sábado de manhã e, quando cheguei na rodoviária, ao passar da plataforma de embarque/desembarque para a área interna, havia duas mulheres, de branco e de máscara, distribuindo folhetos informativos sobre a gripe suína (ou influenza A ou H1N1). A prefeitura de lá está promovendo isso.

Tem uns desenhos para ilustrar medidas de prevenção, com legendas em português e, no verso, informações em inglês e espanhol. E também a informação de que "o governo brasileiro está tomando todas as medidas necessárias para reduzir a ocorrência de casos graves e mortes pela doença". No folheto também constam os seguintes sites para consulta:

Organização Mundial da Saúde (em inglês)
Organização Pan-americana de Saúde (em espanhol)
Ministério da Saúde (em português)

Disque Saúde: 0800 61 1997

Meu pai comentou que a coisa está meio feia por lá. Há boatos (não sei se verdadeiros) de que há vários médicos contaminados. Mais de uma dezena de casos de mortes pela doença foram confirmados na região (e há vários outros que precisam ser confirmados ainda). Nos hospitais, há falta de leitos. Meu avô está internado e, mesmo tendo alta da UTI, há alguns dias, não pôde ser transferido para um quarto, porque estavam todos lotados. Isso em um hospital particular, fico imaginando como deve estar a situação nos hospitais públicos, não só de São José, mas em todo o país.

Recebi um e-mail reproduzindo um diálogo no MSN entre um suposto funcionário da Unimed (um convênio médico, talvez o maior do Brasil) e uma amiga dele, em que ele afirmava que a situação beira a "calamidade pública", pois está completamente fora de controle. Segundo esse e-mail, se a doença não for curada em até 5 dias, os médicos já não sabem o que fazer. E parece que o ideal é que a doença seja detectada em até 48 horas e a pessoa, medicada o quanto antes. Mas parece que, como há um grande número de pessoas solicitando o exame, não tem como os resultados saírem "o mais rápido possível". Talvez os médicos estejam receitando Tamiflu antes mesmo de o resultado sair - se é que ainda há Tamiflu para todos os suspeitos de terem o vírus (?).

Não sei se o e-mail com o diálogo no MSN é verdadeiro, mas é plausível. Que estão morrendo muito mais pessoas do que os órgãos divulgam, eu já sabia. Tudo para não gerar um pânico "desnecessário".

Também não sei até que ponto a situação é "desesperadora". Parece que muito mais gente já morreu de gripe comum do que pessoas estão morrendo por gripe suína, mas o preocupante é que a suína é fulminante, mata em poucos dias, e não há nada que se possa fazer para evitar a evolução da doença no organismo. O mais importante, pelo pouco que li até agora, é manter a melhor saúde possível, se alimentar bem, lavar bem as mãos, manter uma higiene geral e, na medida do possível, evitar locais públicos/locais fechados. Se a saúde já estiver vulnerável, o risco de se contrair a gripe suína é maior.

Achei interessante e didático o "mapa da gripe suína no Brasil", divulgado pela Folha de S. Paulo, em 09/08/2009. Os dados não devem ser 100% confiáveis (eu imagino que o número de mortes seja muito maior), mas dá para se ter uma ideia da situação. São Paulo é o lugar mais infectado do país, por enquanto.

No meio disso tudo, lembrei de "Ensaio sobre a cegueira". De repente, uma pandemia. Uma situação completamente fora do controle e, até agora, sem solução. O mundo em caos. Daqui a pouco talvez comecem a isolar os suspeitos e os doentes confirmados em áreas restritas, sob a mira de soldados. Quem tentar fugir do abrigo para infectados, morre. Fico pensando no significado "maior" disso tudo. Talvez seja um sinal de que a Terra está sobrecarregada - muitas pessoas, muitas coisas, muito desequilíbrio.

Realmente não sei a gravidade da situação, mas meu bom senso diz para cuidar da saúde, (= principalmente comer bem, para fortalecer o sistema imunológico), lavar as mãos, evitar lugares públicos lotados sempre que possível (aquela vontade de ver um filme ou uma peça, no momento, pode esperar).

Sinto que, depois de agosto, as coisas vão melhorar. Ainda esse ano, provavelmente os pesquisadores anunciarão que a gripe suína está erradicada e, como os personagens do Saramago, veremos o céu de um jeito diferente.

Obs: a foto que ilustra o post de hoje foi a Suelen, namorada do meu irmão, que me enviou por e-mail esses dias.

Nenhum comentário: