Pages

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Rolhas sonoras

Não sei se eu não reparava muito nisso lá em São José, ou se a ocorrência é realmente menor, mas acho incrível quase todo mundo aqui em São Paulo andar com fones de ouvido. Às vezes me dá muita angústia estar perto de alguém que está com fone e eu consigo ouvir a música que ele está ouvindo! Fico imaginando o nível do volume que está indo direto para os canais auditivos do cidadão...

Acho que sou mesmo neurótica. Ninguém pensa nessas coisas, nos "danos que os fones de ouvido podem causar", mas parece que em breve teremos uma grande população com déficit de audição provocado por uso contínuo de MP3 (e eu nem sei o nome de outros aparelhos - aqueles que todo mundo tem ou queria ter, que comportam milhões de músicas). Li isso há algum tempo e fiquei pensando: "será?". Pelo sim, pelo não, evito fone, admito a minha ignorância em música, mas talvez esteja mantendo minha sanidade auditiva. Na verdade, acho que já tenho um grau leve de surdez, misturado com um certo déficit de atenção - e se eu fosse "movida a música" (como muita gente por aqui) estaria ferrada.

Mas é normal. Cidade grande, as pessoas não têm muito espaço, e tem muito barulho e ruídos externos que estressam. Escutar o que gostam em suas rolhas sonoras é uma forma de estarem no seu quadrado e não ouvirem o que não interessa. Também é interessante observar as pessoas lendo no metrô. Encaro como uma forma de se isolar do mundo externo. Em geral, prefiro participar, ficar observando as pessoas como se estivesse filmando personagens - não consigo ler no metrô, talvez por ter de ler o dia inteiro - chega uma hora que cansa -, aliás, não tenho lido nada por vontade própria ultimamente, e isso me deixa meio triste - e aí fico pensando que deve ser o céu trabalhar com livros que se tem vontade de ler por vontade própria... a isso eu daria o nome de "ser paga para fazer o que eu normalmente pagaria para fazer". Mas isso já é outro assunto (é, sou dispersa mesmo, e daí? =P).

5 comentários:

Ana disse...

Que engraçado... Comprei "rolhas" semana passada! Tmbém ando pensando nisso enquanto as uso.As vezes só assim é possivel sair de casa e encarar o centrão e seu horário de pico! Com os fones prece que tudo é virtual... Os mendigos, passantes, vendedores são meros dançarinos ou atores de uma musica conhecida. Até o frio prece menos bruto...
Com certeza é um fuga. Como shopping, internet ou fast food... Mas como encarar a relidade todos os dias sem pirar???
eheh! Beijo

VR disse...

Olaline!!

Rolhas sonoras!! Deus, saudade dessa sua criatividade! Que bom que você ainda segue o mote do Humberto: é proibido não pensar! kkkkkkkkkkkk
Bom, eu tô fudido com os decibéis: minhas rolhas sonoras andam tocando Iron Maiden!!
Meu motivo para arrolhar: às vezes não aguento a conversa alheia!
E concordo com a Ana: o mundo fica parecendo um Second Life !! Uma coisa lisérgica mesmo!

Beijos!!!

Vitor

O barato de Sampa disse...

no filme "xxy" há uma passagem que o personagem diz que qdo está ouvindo música nos fones é como se todos no mundo ouvissem a mesma canção. Eu gosto de ouvir tb e como os outros comentários pq tb evito ouvir ruídos externos e posso ficar na minha,mas por incrivel que pareça há conversas tão altas e desagradaveis que ultrapassam até a altura da minha proteção sonora...rs

Sharlene disse...

Desculpe a intromissão, mas não pude ler seu post e ir embora sem meu depoimento.
Uso minhas rolhas desde os 15 anos. Hoje, com 32, em meu último teste auditivo há 3 meses a examinadora disse que tenho uma audição fora do comum e que escuto o que somente poucos tem capacidade. E ela disse para eu não usar "walkman" (sim, ela está um pouco defasada da tecnologia, mas eu ainda tenho meu walkman) para não estragar minha audição. Fiquei quieta. Uso minhas rolhas pq considero trilha sonora. E as vezes para imaginar o povo dançando como em um video clip é o máximo! Em imaginar que o povo de braços erguidos segurando nas barras (metro ou busão) pode a qualquer minuto se pegar e dançar juntinho, e que uma senhora de 60 anos é a lead singer para mim é o maximo. Mas, depois, penso: "escutar o que ninguém escuta e imaginar o povo dançar, não é coisa de esquizofrenico?"
Pode me chamar do que quiser... eu não vou escutar mesmo!

aline naomi disse...

Galera,

obrigada pelos comments! =)

Ana, que bom que achou rolhas compatíveis com o cel! Agora vai dar pra ouvir Norah Jonesss! EEEE! =) Ainda vamos comprar os CDs dela, né? Beeeijo!
***
VR, meu, puta saudade de você. Tava lembrando de você esses dias (juro) e me perguntando se você ainda estaria fazendo planos pra mudar de vida, de cidade, de tudo. Ahhh, eu também não aguento umas conversas, mas, no trabalho, tenho a incrível capacidade de me hiperfocar várias vezes por dia no que estou fazendo e parece que tudo ao redor some.
***
Barato de Sampa, quero muito ver esse filme!! "XXY"!! HAHAHAHAHA... putz, conversa que ultrapassa o volume de som do que você está ouvindo é foda!
***
Shar, quando eu li a parte do "walkman" ri MUITO!! HAHAHA... quem nos dias de hoje usa walkman? O meu pifou porque depois que ganhei o discman (acho que ninguém sabe o que é isso também, hoje em dia), parei de usar o walkman. E depois o discman também parou de funcionar por falta de uso.
Geeente, que bom que você tem a audição sobre-humana =), apesar de usar rolhas! Acho que você ouve música dentro dos limites aceitáveis, por isso não tem problema.

Beeeijo, todo mundo!!