Pages

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Como viver eternamente

Terminei de ler ontem o livro "Como viver eternamente", da Sally Nicholls, que o Dan me emprestou.

Ontem acabou a luz quando eu estava no banho. Aí tive que sair para acender uma vela e depois voltar para o banho (gelado). Terminei o banho, coloquei o pijama, cabelo molhado, porque não tinha como secar, e fui ler à luz da vela. Terminei. Chorei que só.

O Sam começa a escrever o livro dele já sabendo que tem pouco tempo de vida. E acho que o recado dele é: aproveitem a vida, porque tudo passa muito rápido (para alguns, muuuito mais rápido).

No livro, o Sam faz várias listas, de coisas que ele queria realizar, de coisas legais, etc. Isso me lembrou um pouco "O livro de cabeceira", de Sei Shonagon... ela foi uma dama de companhia de uma imperatriz japonesa no século XI e escreveu um livro que consistia em várias listas, sendo que algumas eram muito poéticas, por exemplo, "coisas que fazem meu coração bater mais rápido". O filme homônimo, de Peter Greenaway, trata um pouco sobre isso - o filme é fantástico! (Não levem muito a sério as minhas analogias... quando fui ler "A Divina Comédia" pra aula de literatura italiana, na faculdade, achei que era meio parecido com "Alice no País das Maravilhas"... os dois protagonistas estavam perdidos em uma floresta e viram/viveram coisas incríveis... =D)

Os dias têm sido tranquilos ultimamente, mas estou bemm cansada e quando eu terminar de traduzir esse livro, não vou querer saber de astrologia pelos próximos dez anos, no mínimo. E que venham os livros sérios sobre saúde, e também os de cinema que preste e biografias de artistas (Diane Arbus, Salinger...), que ficarei mais contente.

Esses dias o editor pediu para eu analisar um livro de ficção, meio tipo Harry Potter, pelo que vi rapidamente. Porque ele sente que vai ser um sucesso (?). Ficção por ficção, eu preferiria bem mais um outro que uma agência literária enviou no começo do ano, que me lembrava muito "A viagem de Chihiro" e estourou em vendas em vários países (nooossa, eu estava torcendo para esse ser aprovado, porque eu ia querer traduzir - e o Dan disse que queria fazer a capa (a capa do original era LINDA!) -, eu faria resenha, ajudaria muito a promover o livro de tudo quanto é jeito, porque era MUITO bom e eu queria que todo mundo lesse). De qualquer forma, vou trazer esse outro livro para casa para ler na semana que vem... e também outros livros que me parecem bem interessantes e que não consigo ler direito lá na editora mesmo (interrupções, barulhos, outras coisas para fazer, etc.).

Nenhum comentário: