Pages

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Histórias de ônibus...

Ter carro, dirigir e ir pra onde se quer mais rápido e confortavelmente é muito bom, mas eu não me importo de ter que andar de ônibus, metrô, trem. Em São Paulo, dependendo do dia e do horário, tudo isso é caótico, mas, em geral, em São José, não tenho problemas com transporte público. Não que ele seja excelente, mas como não pego mais ônibus em horários de pico, realmente, não me importo de ir e vir de ônibus.

E vira e mexe ouço fragmentos de histórias que são contadas nesses meios de transporte coletivo, aí fico imaginando o final, porque nunca saberei o que realmente aconteceu depois. Hoje sentou uma mulher atrás de mim no ônibus de Jacareí para São José e começou a falar ao celular. A voz era suave (algumas vozes eu acho agressivas, então fico desejando que as pessoas parem de falar logo) e a história dela era a seguinte: ela conheceu um cara, só que ele tem namorada. Eles chegaram a sair algumas vezes, como amigos, sem rolar nada, e também conversam bastante no MSN. Ela contou para o(a) interlocutor(a) que ontem saiu com ele e teve de se controlar muito para não agarrá-lo (e que o sentimento dele por ela era recíproco), porque ela não concordava com traição e já tinha dito isso para ele. Contou também que nunca tinha sentido aquilo, que o autocontrole dela sempre tinha sido bom e que ela sentia que ele era o amor da vida dela, mas não sabia se ficariam juntos... nessa hora, não sei por quê, me deu uma leve vontade de chorar. Engoli a vontade e fui tratar de passar pela roleta, porque precisava descer no próximo ponto.

Na minha imaginação, eles ficaram juntos no final.

2 comentários:

bi disse...

Parabéns atrasado...!!! tentei falar com vc ontem mas só chamou nos 2... felicidades!!!
(adoro suas histórias, essa foi ótima... hehe)
=***

aline naomi disse...

Obrigada, Bi!! =)

Ahhh, eu vi as ligações perdidas mesmo, mas como não sabia quem era, não retornei... obrigada pela intenção!! =D

Beeijos e boas fériassss!!