Pages

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Situação surrealista no banheiro do cine

Fui ver "Do começo ao fim" no Espaço Unibanco de Cinema, na rua Augusta. Não sei que confusão fizeram, paguei só R$ 4 pela entrada (sei que o ingresso inteiro era R$ 16 e, por ter carteirinha, teoricamente pagaria R$8).

Depois que o filme acabou, passei no banheiro, porque não ia aguentar o xixi até chegar em casa. Dois banheiros, sendo que um estava em manutenção. Filinha básica. Eu era a terceira. A primeira mulher estava chorando (não sei se por causa do filme, de algum filme ou por algum outro motivo), aí, a segunda mulher, que estava na minha frente, pegou um walkman e colocou bem perto do ouvido, quando a primeira começou a chorar um pouco mais, ela começou a falar em espanhol, que era para ela ouvir o radinho, porque tinha uma mensagem de um mestre dos céus para ela. A primeira ficou meio assustada, mas pegou o walkman e colocou perto do ouvido, ouviu a mensagem do mestre e pareceu ficar mais calma; o banheiro finalmente foi desocupado e a primeira entrou, devolvendo o walkman para a segunda e agradecendo, "muchas gracias".

A fila começou a aumentar. Depois de uns dois minutos, entrou uma menina cantando Ana Carolina, como se estivesse no banheiro da casa dela, achei engraçado. Eu já nem lembro a música. Quando a argentina (?) da minha frente foi entrar no banheiro que a chorosa tinha acabado de desocupar, a menina que cantava Ana Carolina foi até a porta e pegou o walkman com a mulher e depois de falarem algo que não consegui ouvir, também entrou no banheiro com a argentina (!). Não sei se só eu estranho essas coisas?? São Paulo é um barato mesmo, as pessoas então, nem se fala!

As duas saíram rápido (ufa, ainda bem que tiveram o bom senso de não ficar se pegando no único banheiro funcionando do cinema, enquanto a fila só aumentava...) e, então, foi a minha vez.

Nenhum comentário: