Pages

domingo, 3 de janeiro de 2010

Ano Novo em palavras...

Fui encontrar meus pais em Ubatuba esse ano. Odeio litoral em alta temporada. Prefiro ir em julho ou em algum fim de semana sem ser de feriado prolongado, porque, afinal de contas, não faz sentido sair de São Paulo para descansar e ter de enfrentar filas e trânsito e pessoas sem noção na praia. Pois é. Mas esse ano meus pais foram pra lá logo depois do Natal e eu fiquei de ir "depois", porque esse ano eu queria passar a virada com eles - já não sei se terei tanto tempo com eles quanto imagino, então eu quis assim. Acabei indo com a Schirlei dia 30/12 à noite (demoramos umas 3 horas para chegar em Caraguatatuba - essa viagem normalmente demoraria uma hora de São José dos Campos). Chegamos de madrugada, comemos, dormi um pouco na casa de uma das irmãs da Schirlei e fui para Ubatuba umas 6h30 da manhã no dia 31. A viagem de ônibus foi tranquila. O bom é que as pessoas não gostam de acordar cedo na praia, aí tenho essa opção de fazer tudo antes de elas acordarem! =) Mal o ônibus entrou em Ubatuba, começou a chover, um bom tempo depois, desci num ponto e me abriguei em um quiosque em frente à praia, como outras pessoas fizeram. Liguei pro meu pai, que foi me buscar de carro... o lugar onde ficamos era ali perto, e se não estivesse chovendo, eu iria a pé mesmo. "Você trouxe a chuva com você?", ele perguntou. Ahã. Pra que sol? As pessoas ficam com insolação, desidratadas ou com queimaduras de décimo grau e enchem o saco dos médicos.

Não conseguimos ver a queima de fogos na praia na virada porque não parava de chover. Fiquei no apartamento; li o livro "Outros hábitos", da Anna França, sobre uma freira lésbica (ela mesma) que tem um affair com a Madre Superiora - foi triste saber que fazem distinção entre freiras pobres e freiras ricas nos conventos, a Igreja é mesmo hipócrita. O lance do romance é bonitinho, mas contido. Não que eu esperasse altas cenas de sexo tórrido, mas, para mim, faltou a autora contar mais o que ela sentia e pensava sobre tudo que aconteceu com ela e também críticas à Igreja talvez? Terminei de ler o livro e ainda chovia sem parar, acabei vendo vários filmes - ainda bem que meus pais levaram uns DVDs meus que eu não tinha visto ainda!

- Ana Karenina (bommm!, lembrei da Fer, que leu o livro durante a facu e me indicou, mas acabei não lendo ainda) - esse eu levei
- Marley e Eu (minha prima Fabi me deu o livro e eu queria ver o filme; o DVD é do meu irmão, que é o pai da Brisa, uma labradora linnnnnda)
- Muito além de Rangum (surpreendente, baseado em uma história real)
- Closer (passou na Globo; da primeira vez que vi, não gostei, mas, dessa vez, achei bom... fiquei achando que o amor deve ser algo muito raro e que relacionamentos são sempre instáveis, nunca tem como ter certeza do que a pessoa está sentindo ou pensando...)
- Trilhos do Destino (draminha nem bom nem ruim)
- Amor à flor da pele - esse eu revi, muito bom. Um dia ainda consigo fazer com o texto o que Kar-Wai faz com imagens; seria meu céu estilístico.

Quis vir embora no dia 02/01. Nesse dia a água do alagamento baixou (ah é, como choveu muito e a maré estava alta, as ruas perto da praia inundaram, ninguém conseguia sair do prédio sem pisar na água que foi arrastando os lixos das calçadas (tinha trechos em que a água ficava na altura do joelho!), como sou meio neurótica com a saúde, fiquei trancada no apartamento) e fomos meus pais e eu pra praia, só no dia 2 lá pelas 7h30. Saímos de Ubatuba às 13h, mais ou menos e chegamos em São José à meia-noite! Uma viagem que normalmente levaria 3 horas levou ONZE. Eu nunca tinha visto isso na vida. Como também não tinha visto alagamento. Mas sempre tem uma primeira vez, né?

Não quero mais passar o Ano Novo na praia. Fato.

Nenhum comentário: