Pages

domingo, 18 de abril de 2010

Ainda é possível acreditar na humanidade

Antes de comentar sobre ontem, gostaria de falar sobre algo incrível que aconteceu agora pouco.

Ontem, quando cheguei em casa, esvaziando a mochila, percebi que meu celular com DDD 11 não estava comigo. Procurei em todos os lugares (às vezes deixo coisas improváveis em lugares improváveis, como livros e relógio de pulso no banheiro ou no armário da cozinha, e demoro para achar), daí resolvi ligar do outro celular para ver se achava. Não achei. Tinha perdido e ninguém atendia. Entrei no site da Vivo para ver como se bloqueava. Não conseguia achar essa informação e não lembrava da minha senha para entrar na área de usuário. Liguei de novo mais algumas vezes. Ninguém atendia. Depois de um tempo, a pessoa me ligou, de madrugada, deixou tocar duas vezes. Liguei de volta, mas ela não atendia.

Hoje liguei de novo de manhã, ninguém atendeu. Mas agora pouco um cara me ligou e perguntou: "Você que é a dona desse celular?". Fiquei tão tão feliz. Ele disse que me mandaria de volta por Sedex a cobrar; passei o endereço da editora, porque no meu prédio não tem porteiro. Agradeci horrores, várias vezes. O celular em si nem vale nada (paguei uns R$ 100 há um ano e meio, era o mais barato - eu precisava de um celular com chip 11 para conseguir trabalho aqui em SP e meu dinheiro já estava no fim... na verdade, mesmo se tivesse dinheiro, não teria pago muito mais que isso por um celular), mas lá está toda a minha agenda telefônica e eu ia ter a dor de cabeça de bloquear e depois ir pessoalmente comprar outro aparelho, outro chip e desbloquear o número. Gostei tanto da atitude. Dá um alívio e uma alegria saber que ainda existem pessoas honestas no mundo. Perguntei onde ele tinha encontrado e ele falou que na Erotika Fair, no estacionamento. Comentei, meio constrangida, que estive lá ontem mesmo.

Bom, aí fiquei feliz. Assunto resolvido.

Vou mandar um livro de Kama Sutra e outro de massagem erótica publicados pela editora onde trabalho para o cara como agradecimento simbólico. Acho que ele vai gostar dos livros. Eu mesma quero um de massagem para mim, as fotos são bonitas (nada vulgares) e tem umas dicas legais que quero colocar em prática com alguém que valha a pena.


2 comentários:

Cara de pau disse...

Carai!, me diz algo pra eu fazer por você, que eu tb quero um livro do kama sutra de brinde...

aline naomi disse...

HAHAHAHAHA!!!