Pages

sexta-feira, 2 de abril de 2010

I love geeks! S2

Essa semana eu estava selecionando uns livros para pedir para análise lá na editora e me deparei com "I Love Geeks: The Official Handbook", de Carrie Tucker, da editora Adams Media. Para saber mais, cliquem aqui. Vai dar na página da Amazon.com e lá dá para visualizar algumas páginas (em inglês).

Não sei desde quando as pessoas passaram a ter orgulho de ser "nerd" ou "geek" e nem sei direito que características que as pessoas precisam ter para serem chamadas ou simplesmente se autointitularem dessa forma. Mas parece que o livro explica. Não tem nada sobre "geek" publicado no Brasil ainda (pelo menos não com "geek" no título, conforme pesquisado no site da Livraria Cultura), então talvez seja algo legal, já que agora existe todo esse "orgulho nerd/geek". O livro é para quem gosta de geeks e dá umas dicas para se ter um pouco de noção do mundo deles / do que eles falam.

O livro parece ser bem engraçadinho! Ri sozinha.

Alguns tópicos discutidos:

- "Nerd ou geek? Qual a diferença?"
- "Os nerds estão se tornando quase... desejados?"
Sobre vídeo games:
- "Você tem ciúmes do joystick?"
- "Nunca diga 'é só um jogo!'"
- "Conhecendo os jogos: nível básico"
- "Conhecendo os jogos: um pouco além do básico"
Sobre filmes e TV:
- "Zombie 101 - Eles estão vindo te pegar, Barbara!"
Sobre ficção científica e fantasia:
- "Fantasia - o que é isso?"
- "Ainda não conseguiu entender? Abra os olhos!"
- "Os clássicos importantes e a terminologia que você precisa conhecer"

"Ninguém será totalmente livre até que a perseguição aos nerds acabe." - Gilbert, A Vingança dos Nerds

2 comentários:

.:*Mandy*:. disse...

Já tô vendo as patricinhas lendo o livro para pegar os últimos exemplares decentes da nossa espécime que ainda estão solteiros.

MEDO.

(mimimi de mulher nerd solteira que ainda não achou um nerd - decente - solteiro mode on)

aline naomi disse...

HAHAHAHAHAHAHA!!

Deixa eu adivinhar, você é do tipo que acredita que os iguais se atraem??? =D Achei que estava aberta a garotos meio maloqueiros para te desestabilizar!

Acho que você ia amar o último garoto com quem fiquei. Ele era meio fora da realidade (no bom sentido), lia, às vezes falava de programação, como se eu estivesse entendendo (haha), gostava de escrever, era proativo, fazia trabalho voluntário e, apesar de ser de exatas, puxou uma matéria de literatura (!) - acho que ele me falou isso propositalmente porque tinha certeza de que eu me impressionaria (haha). Alguém igual a ele não existe. Uma pena!