Pages

domingo, 25 de julho de 2010

Filmes, filmes, filmes...

... porque eu adoro cinema.

Vi vários nesse fim de semana:

Primeiro, um documentário chamado O prisioneiro da grade de ferro, de Paulo Sacramento. Sobre a vida dos presos do extinto Carandiru. Ao que parece, os próprios presos filmaram quase todas as cenas. O DVD (original!) começou a falhar no finalzinho, mas tudo bem, eu nem estava curtindo tanto assim. Acho que estou cansada desses filmes sobre pobreza e desgraças. Talvez seja cruel, mas se todo mundo que usasse a pobreza para justificar roubos, atos de violência e barbarismos em geral, no mínimo, 90% da população brasileira estaria em presídios... ai, cansei.

Depois, vi um coreano maravilhoso chamado O Arco, do Kim Ki-Duk. Ele também dirigiu um que eu adorei: Primavera, Verão, Outono, Inverno e... Primavera. O filme é sobre uma garota de 16 anos que mora com um velho em um barco em alto mar desde pequena. O velho pretende se casar com ela quando ela fizer 17 anos. Para sobreviver, o velho leva e traz pescadores para o navio em uma pequena embarcação e, numa dessas vezes, a garota (que não tem nome e nunca fala no filme, apesar de não ser muda) acaba gostando de um rapaz que vai até lá para pescar com o pai. A fotografia é linda e a trilha sonora idem. E tem uns silêncios... adoro os silêncios dos filmes orientais... ah, e a garota é linda, lembra a Lana! :)

Vi também Divas do Blue Iguana, do Michael Radford, que também dirigiu O carteiro e o poeta (que retrata a amizade do Pablo Neruda com um carteiro), que a Lana indicou faz tempo. O filme é sobre algumas garotas que trabalham como dançarinas no Blue Iguana, uma boate de strip. É sobre a vida nesse lugar mas também sobre suas vidas paralelas a isso. Eu esperava um pouco mais, senti falta de aprofundamento. As personagens mais interessantes são as interpretadas pela Sandra Oh, que escreve poesias e participa de um sarau literário quando não está trabalhando, e pela Daryl Hannah, que é louca por crianças e sonha em adotar uma, mas é meio confusa e atrapalhada. Gostei bastante de um documentário que a Daryl Hannah fez e entrou nos "Extras" do DVD sobre a preparação dela em uma boate de verdade, com pessoas de verdade.

Depois vi Ladrões de Bicicleta, um clássico italiano do Vittorio De Sica, de 1948. Esse filme é o preferido de um amigo indiano com quem não tenho mais contato, por isso eu queria muito ver. Gostei porque não é uma história forçada, os personagens parecem reais, vivendo uma situação real.

Por último, vi Dias Selvagens, do Kar-Wai. Por ser do Kar-Wai, eu esperava mais. Depois de 2046 e Amor à flor da pele acho que vai ser difícil eu me surpreender (mais) com algo dele (?). Algumas cenas lembram os dois outros filmes que vi: cenas no trem, amores não correspondidos, tensão sexual, silêncios...

Ah, na sexta à noite comecei a ver um filme chamado Notas sobre um escândalo na Globo (liguei a TV para colocar o DVD, mas aí estava começando esse filme e me pareceu interessante) e não consegui ver o fim... =/ Uma velha professora escreve seu dia a dia em um diário e a história começa realmente quando uma professora jovem e bonita entra na escola onde ela dá aula. Elas se aproximam, a professora jovem é muito "pura", ingênua, confia totalmente nela. Depois de um tempo, a velha descobre por acaso que a amiga está transando com um aluno de 15 anos e começa a chantageá-la. Não sei direito qual era o problema da velha, mas ela começa a ficar obsessiva pela amiga, quer toda a atenção dela e, quando se sente "abandonada", começa a ameaçá-la. Agora vou precisar alugar para saber o final! Nossa, medo total dessas pessoas obsessivas!! Porque eu sei que elas existem de verdade...

5 comentários:

Karen disse...

Primavera, verão... e As divas do Blue Iguana são muito bons.
Do Kar-wai Amor à flor da pele é imbatível, mas até gostei do Blueberry nights...

Você bebe sozinha? Isso é coisa de alcoólatra! (Brincadeira!)

aline naomi disse...

HAHAHAHAHA, Karen! Nunca tinha bebido sozinha... mas estou testando fazer as saquerinhas... quando amigos vierem, vou servir - acho que vão adorar. Nem dá pra ficar bêbado nem nada :).

Ah, veja "O Arco" - maravilhoso. Um dos melhores filmes que vi esse ano. Estou com vontade de rever hoje! "Blueberry nights" é meio Hollywood, mas tem aquele quê do Kar-Wai, eu gostei...

(E estou ensaiando para fazer o bolo de cebola que você ensinou no blog... mas essa semana sai... e se ficar bom, vou levar de almoço - nham!)

Karen disse...

Espero que goste do bolo, vou cruzar os dedos! ;)

Sharlene disse...

Amo o filme Notas sobre um escândalo! Indeed, scary. Mas imagino como é ser sozinho, estar sozinho... você precisa de uma razão para que a vida valha a pena... não?

aline naomi disse...

Karen,
estou indo fazer o bolo! =D Depois conto a experiência. Espero que fique bom. Queria levar pros coleguinhas do trabalho provarem :)

***

Shar,
fiquei muito curiosa com o filme! Pesquisei um pouco e parece que tem o livro.
Ah, o fato de ser sozinho(a) não justifica fazer a vida dos outros um inferno... espero não cruzar com esse tipo de gente. Prefiro o desapego! :)