Pages

domingo, 18 de julho de 2010

Renovação de carteira ou Um tour pelo Poupatempo

Porque sexta me deu desespero, vim para a casa dos meus pais. Mas hoje já estou sentindo uma certa angústia, porque aqui também me sinto cobrada em outros sentidos - a cobrança é leve, mas só queria ficar em paz. Vou voltar para São Paulo depois do almoço. Nesse momento parece não haver lugar nenhum em que me sinta confortável. E ninguém que me faça sentir confortável. Eu não sei para onde ir, embora já tenha as diretrizes.

***

Aproveitei para renovar a carteira de motorista ontem, no Poupatempo (um negócio do governo de SP que cuida de assuntos burocráticos como esses - dependendo do estado, "Poupatempo" tem um nome diferente). Meus pais me pegaram perto da Dutra, onde às vezes desço, porque fica mais perto para chegar em casa, e fomos para o Poupatempo (o daqui fica dentro do shopping Colinas), que estava lotado. Sem brincadeira, perdi quase 3 horas da minha vida para resolver esse assunto. Depois de um tempo, deu vontade de ir embora, mas me obrigaram a ficar, me obriguei a ficar.

A odisseia:

1º - Pegar uma fila chamada "triagem" para pegar uma senha;
2º - esperar uma hora ou mais até a senha ser chamada, para uma outra pessoa conferir se estou com os documentos necessários e atualização de dados [nisso, o cara: "Você tem o curso de reciclagem?" eu: "Que curso de reciclagem?"; nem lembrava de ter feito, mas, sim, eu e meu pai fizemos em 2005, e lembrei que um dos professores, um médico legista, ficou contando dos horrores que ele via em acidentes de carro - e é só o que me lembro do curso todo -, nada como a educação pelo choque psicológico];
3º - aguardar mais uma hora até a senha ser chamada novamente para tirar uma foto digital e registrar as digitais eletronicamente;
4º - pegar uma fila (na verdade, na hora em que fui, não tinha mais fila) e pagar uma taxa (R$ 81,28) pela renovação;
5º - pegar uma fila chamada "retorno bancário" para o cara me dar uma outra senha, preencher um formulário com perguntas de praxe: "tem problemas psicológicos?", "problemas cardíacos?", "faz tratamento com medicamentos tarja preta?" e aguardar o exame médico;
6º - passar pelo exame médico palhaçada - médico para mim: "Você não tem diabetes, não, né?" -, medição de pressão, teste de visão (ler uma letrinhas numa máquina que não sei o nome), "Ok, assine aqui".

E meu pai vai pegar a carteira nova para mim na segunda. Um problema a menos na minha vida. Mas o legal foi saber que agora colhem impressões digitais de todos os dedos, igual quando fui renovar o passaporte, ou seja, haverá mais chances de criminosos serem pegos caso deixem impressões digitais em carros ou outros lugares, porque vai ter esse banco de dados em sistema.

Observação: um consolo: do 4º passo em diante, foi rápido.

Nenhum comentário: