Pages

segunda-feira, 9 de agosto de 2010


não quero ser triste
como o poeta que envelhece
lendo maiakóvski na loja de conveniência
não quero ser alegre
como o cão que sai a passear com o seu dono alegre
sob o sol de domingo
nem quero ser estanque
como quem constrói estradas e não anda

Quero no escuro

como um cego tatear estrelas distraídas...

[Isso é Zeca Baleiro.]

Nenhum comentário: