Pages

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Infância em São José

Outro dia a professora de tcheco comentou um pouco sobre a infância/adolescência dela na Tchecoslováquia (e, desde 1993, República Tcheca); disse que, apesar de o país estar sob domínio comunista, a infância dela foi muito tranquila. Não tinha várias marcas de produtos (açúcar, farinha, etc.), mas as crianças eram felizes. Os pais eram, em sua maioria, operários, mas todos tinham férias e benefícios e iam pra praia nas férias (o que lembra as férias da classe média brasileira).

Fico revendo lugares e não saberia ao certo descrever como foi minha infância/adolescência aqui. Acho que foi boa, não lembro de muita coisa... Lembro que com 12 anos eu pegava o ônibus e ia pro centro, para a biblioteca Cassiano Ricardo (que ainda existe), eu gostava de ler. Lembro de uma festa junina ou outra da escola, de alguns professores, de alguns colegas. Depois, quando estava no colégio, fugia pro cinema sempre que dava. Dormia tarde (ficava lendo coisas, em geral, que não iam cair no Vestibular ou estudando na véspera das provas), acordava cedo, dormia ou delirava (via coisas, sonhava acordada) nas primeiras aulas. Lembro que fazia vários cursos - tentei catecismo, fui fazer aulas de datilografia, inglês, computação, pintura, órgão, corte e costura, culinária, japonês, escotismo, espanhol, pintura em tela, pintura em tecido, judô e coisas que nem lembro -, tentava de tudo porque achava legal saber um pouco de tudo (continuo achando) e um dia eu ia descobrir que era boa em algo. Fazia basicamente essas coisas quando todo mundo "se pegava" e vivia em outro mundo. Acho que por isso fui formatada de um jeito meio estranho e não consigo ter a mesma percepção que as pessoas têm da realidade - às vezes é um poco angustiante, mas não fico pensando muito.

Para mim, São José sempre será o lugar onde estão minhas raízes, mas sempre tive a sensação de que o mundo é mais que isso aqui... é uma cidade industrial, entre Rio e SP, onde a maioria das pessoas sonha em entrar em uma das grandes indústrias daqui: Embraer, Johnson's ou GM, casar e ter filhos e talvez morar em um condomínio e aparecer na coluna social do jornal da cidade. Queria tentar alguma coisa diferente e que me fizesse mais feliz. Ainda estou buscando.

2 comentários:

.:*Mandy*:. disse...

Troque São José por Joinville e vc terá basicamente a minha estória de adolescente também.
How bizarre!
Ainda bem que pelo menos a minha cidade (onde continuo morando) mudou drasticamente de uns anos para cá, senão seria um tédio desgraçado, hehehehe
Beijos =**************

aline naomi disse...

HAHAHAHAHA... que terror... as cidadezinhas todas se parecem!

Beeijo!