Pages

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Pedido de Autofalência da IMBRA

Hoje vou fugir um pouco dos tópicos atuais da minha vida para fazer um update sobre a IMBRA, basicamente uma rede odontológica de implantes, já que muita gente chega ao meu blog por meio deste post, de dezembro de 2008.

Apesar de ter deixado a faculdade de odonto lá na Unesp de São José, no fim de 2008, continuo interessada na área e recebendo informações e notícias por e-mail e correio comum, porque, provavelmente quando participei de congressos, meus dados foram para os órgãos de classe: CRO, CFO, etc.

Hoje recebi isso por e-mail:


NOTA DE ESCLARECIMENTO


PEDIDO DE AUTOFALÊNCIA DA IMBRA


Diante do pedido de autofalência formalizado pela IMBRA recentemente, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo preocupado com os cirurgiões-dentistas e demais profissionais da Odontologia que tinham algum vínculo com a referida empresa, seja empregatício seja de prestação de serviços, vai realizar uma REUNIÃO visando prestar esclarecimentos e orientações de cunho ético e jurídico a estes profissionais, no intuito de oferecer o apoio que necessitam nesse momento.

A referida REUNIÃO realizar-se-á no próximo dia XXXXXXX, às XXXXX hs, na Subsede do CROSP, XXXXXXX.


CONSELHO REGIONAL DE ODONTOLOGIA DE SÃO PAULO

CROSP


(Coloquei XXXXXX porque não sei até que ponto as informações sobre a reunião são confidenciais.)

Encontrei a notícia sobre a autofalência da IMBRA aqui no Correio Braziliense, publicada em 07/10/2010.

Minha mãe tinha comentado algo sobre a falência da IMBRA mês passado, mas, como há muitos comentários (em geral, negativos) sobre a rede, nem dei muita atenção. Meu irmão, que vai para o sexto e último ano de odonto ano que vem, também não comentou nada - às vezes esse tipo de assunto gera algum tipo de discussão entre os alunos e os professores mais interessados. Pelo número de reclamações crescente que a IMBRA tem no site do "Reclame Aqui" (fui conferir agora e estão com 403 reclamações, para conferir, clique aqui), a rede já deveria ter fechado faz tempo e não por pedido de autofalência, mas por intervenção externa, talvez do PROCON (?).

Um pouco antes de sair do convênio odontológico onde eu trabalhava em São José (no fim de 2008), uma colega de trabalho dentista que também trabalhava lá estava para entrar na IMBRA, só que saí antes de ela começar, então, apesar da minha imensa curiosidade de saber se todos os boatos sobre as condições horríveis de trabalho lá eram verdadeiros, até hoje, não sei o que é verdade e o que é mentira. Também correm boatos sobre o salário dos dentistas, alguns dizem que é muito alto, outros, que é ridículo pela carga horária e procedimentos nem sempre éticos que são obrigados a cumprir.

Muitos dentistas dizem que colegas que entram nesse tipo de negócio (não sei como denominar de outra forma, porque é algo que, visivelmente, está voltado para o ganho financeiro e não exatamente ao que se propõe: saúde do paciente) estão se prostituindo e tal. Mas eu penso que não. Para mim a odonto parece estar à beira de um colapso (muito mais mão de obra que trabalho disponível), então, qualquer oportunidade de trabalho talvez deva ser aproveitada de acordo com a ética pessoal e profissional de cada um.

Aos pacientes, bom, volto a escrever o que já escrevi no post anterior: se informem bem sobre as empresas e profissionais antes de iniciar qualquer tratamento; se possível, consultem mais de um profissional, porque os diagnósticos e técnicas de tratamento podem variar de um dentista para outro e tomem cuidado, porque alguns danos podem ser irreversíveis.

E tenho dito.

Nenhum comentário: