Pages

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Cara Metade - Curtas do Festival Mix

Na última sexta, fui ver uma série de curtas (Cara Metade) selecionados para o Festival Mix de Cinema com a Yuri. Os curtas que vi estão aqui, menos o último da lista, que não lembro de terem passado.

Eu sinceramente não gostei muito da maioria, mas o Curious Thing (Amizade Colorida), um curta americano do diretor Alain Hain, eu achei interessante, porque toca indiretamente na questão: de onde vem o amor?

Eu e a Mila vira e mexe ficamos filosofando sobre isso e chegamos (cheguei?) à conclusão de que não tem explicação. A gente simplesmente gosta e pronto. Mesmo quando racionalmente sabemos que é uma furada, que não deveríamos, que, até certo ponto, é uma perda de tempo.

No curta de 9 minutos, o diretor consegue desenvolver bem uma história que eu considero complexa (e que talvez seja mais comum do que se pensa): Jared um dia conhece Sam em um bar e os dois sentem uma certa afinidade; Jared namora uma garota bonita e que ele considera legal, mas a relação fica abalada com o aparecimento de Sam. Os dois começam a sair juntos para beber e conversar, até que Jared percebe que o que sente é mais que amizade. Os dois se beijam, se estranham, rolam umas cenas de ciúmes e confusão mental, mas, no fim, Sam diz algo assim: "Desculpe, eu não posso", ou seja, ele não era gay, mas gostava muito da companhia de Jared. E, alguns anos depois, aparece a voz de Jared em off, dizendo mais ou menos assim: "Eu o vi outro dia, parece que tem uma vida muito feliz, tem um filho [e aparece o Sam acenando para ele num parque], também estou feliz com outra pessoa, mas ele é alguém que sempre vai ter um espaço no meu coração porque me abriu para um mundo diferente".

Achei bonito o final. Porque, no fim das contas, talvez tudo que reste de uma relação sejam algumas lembranças e essa sensação indefinível por todo mundo que me abre para mundos diferentes (em vários sentidos).

Nenhum comentário: