Pages

domingo, 28 de novembro de 2010

Dizer e não pedir segredo

Ontem eu, a Yuri, a Lu e a Flávia (amiga da Lu) fomos ver a peça Dizer e não pedir segredo. Encontrei a Yuri na catraca da estação Consolação - em São Paulo é comum as pessoas combinarem de se encontrar nas catracas pela praticidade - e fomos caminhando para o apartamento na rua Bela Cintra, onde a peça seria encenada.

Quando chegamos, já tinha duas pessoas esperando na entrada do prédio. Ficamos lá e depois descobri que a garota era Flávia, que eu não conhecia pessoalmente. Depois de um tempo, o Luiz (diretor da peça e com quem eu tinha conversado por telefone para agendar lugares) desceu e conversou um pouco conosco. Depois foram chegando outras pessoas, incluindo a Lu.

Pegamos o elevador, descemos no sétimo andar, entramos no apartamento, escolhemos um sofá em que nós quatro pudéssemos sentar e os atores nos ofereceram bebidas (água, refrigerante) e comidinhas (Ruffles, amendoim, jujuba, cookies), como se estivéssemos visitando uns amigos. No centro da sala havia dois cabideiros com alguns objetos (arcos de cabelo com lencinho branco, bolsa, camisa, bermuda, um boné de lobinho (que são os escoteiros mais crianças), penacho de plumas verdes, camisas de time de futebol...). Falaram que poderíamos dar uma olhada nos objetos; aí fiquei mexendo e abri a bolsa que estava pendurada para ver se tinha algo dentro *pouco curiosa*. Depois cada um escolheu o que achava mais legal dos cabideiros, ficou segurando e os objetos foram usados ao longo da peça.

Os três atores (Jahjah, Paulo e Ronaldo) iniciaram a peça lendo cartas em que pessoas públicas falavam sobre homossexualidade, depois foram encenando várias histórias que refletem histórias de pessoas comuns, histórias de descoberta, preconceito, medo, represália. E como os atores atuavam muito, muito perto de nós, olhando nos nossos olhos, me pareceu que a verdade do que diziam era muito mais latente. E lembrei de algumas histórias contadas por amigos.

Foi uma experiência ótima. Provavelmente a peça mais intimista que terei visto na vida.

O blog da peça é este.

Trecho do folder:

Dizer e não pedir segredo é uma peça idealizada para ser feita em salas de casas, apartamentos, associações e afins. Para contratar e tirar dúvidas acesse o blog www.teatrokunyn.blogspot.com ou ligue 11 8564-4248

Nenhum comentário: