Pages

sábado, 4 de dezembro de 2010

"Desde que descobrira - mas descobrira realmente com um tom espantado - que ia morrer um dia, então não teve mais medo da vida, e, por causa da morte, tinha direitos totais: arriscava tudo."

Clarice Lispector
Onde Estivestes de Noite

2 comentários:

Lúcia Harumi disse...

Li num jornal um poema de separação, que lido do fim para o começo dá sentido oposto. Não constava autor. Achei bonito e fiz uma sacola onde copiei tal poema. Esta semana, na aula de Informática, soube que é da Clarice. Só meu desenho nessa sacola é que não ficou muito legal: um perfil masculino e outro feminino. Vale pelo poema, enfim.

aline naomi disse...

Que legal, tia! =)

Adoro Clarice!