Pages

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Natal, família, amigos

Estou com os horários meio alterados, então vim escrever.

Hoje, depois de muito tempo, fui encontrar a Sol Kato na Paulista. A Sol morou comigo na república em Rio Preto e agora, como vários amigos-colegas, também está em São Paulo. Se ganhar uma bolsa do governo japonês, vai para o Japão no começo do ano que vem para ficar, no mínimo, um ano - pelo nível da burocracia, ninguém mais deve ter se inscrito para a bolsa, então ela VAI e pronto. Ela disse que eu tenho que ir pro Japão também, "enquanto estamos solteiras e não temos família". É, porque, se nos comprometermos, ferrou, não tem como fazer só o que (e como) queremos, teremos de levar sempre em conta o que a outra pessoa quer. É por essas e outras que cheguei à conclusão de que não sou uma menina pra casar. Porque ninguém suportaria a minha incurável imprevisibilidade. "Juntei uma grana, vendi o nosso carro e vamos viajar pro Nordeste de mochila, costeando o litoral, e depois vamos pro Acre." "O QUÊ????? EU NÃO ESTOU ACREDITANDO NISSO!" "Acredite. A gente pega o primeiro bus amanhã. E vai ser a melhor viagem da sua vida." =)

***

Fui passar o Natal com a minha família, que também já fazia um certo tempo que eu não via.

Alguns pratos da ceia:

Minha mãe fez salmão ao molho de alcaparras e champignon, entre outras comidas gostosas. Comi horrores.

Irmão, cunhada e Brisa (que não tirava os olhos dos pratos!)

Meu bolo de aniversário em Cristo*

* Essa palhaçada de "... em Cristo" surgiu do blog da Cleycianne - a Vi que indicou e dou risada quando leio. Um dos bordões da Cley é "Deus é MAS!" - é muito ridículo e muito engraçado!

Meu pai tirou outras fotos com o celular super mega power dele, mas ainda não me mandou, então, por enquanto, é isso.

Depois da ceia, eu e a Yuri fomos pegar a Mila na casa da tia dela e fomos pra casa dela. A mãe dela é enfermeira e estava trabalhando no Natal, e, como a casa estava liberada, demos uma festa de arromba - mentira! =P Vimos filmes, foi legal!

***

Depois do Natal, a Fran (que eu conheci no colégio como Eiry, o primeiro nome dela) me chamou para fazer compras com ela no shopping. Antes, passamos na Decathlon que abriu recentemente lá no bairro onde meus pais moram, porque ela precisava de um snorkel - ela ia viajar para a Bahia na madrugada do dia seguinte e ainda não tinha o que precisava, não tinha roupa para passar o réveillon em ritmo de axé, não tinha nem feito a mala ainda (haha). Então fomos lá: eu, Fran, San (amiga de adolescência também) e a Yuri.

Fran provando o snorkel

Yuri testando o punching bag

Ui!

A Decathlon é uma loja gigantesca que vende produtos esportivos de tudo quanto é tipo. As crianças pessoas podem ficar andando de bicicleta, patinete, skate e "provar" os produtos. Queria ter provado a cama elástica, mas não estava disponível para pular. Lembrei da Va. Quando ela e Tiago forem para São José, a gente tem que fazer um vídeo nessa loja.

E depois disso, no shopping...

Fran, provando um vestido e trocando ideia com a vendedora e com a San

Essa foto eu tirei do lado de fora da loja. Eu e a Yuri sentamos em um sofá (adoro o Vale Sul Shopping porque tem uns sofás nos corredores) e ficamos observando. Fazer compras no shopping não é exatamente o meu esporte favorito.

Fran, eu e San. Foto by Yuri.

Eu e Yuri. Foto by Fran.

Uma observação pertinente (ou não): a Yuri comentou que essa minha saia de corações, assim como todas as minhas maravilhosas meias coloridas e de Hello Kitty e meu lindo guarda-chuva com as cores do arco-íris, dão diabetes. Porque ela é da comunidade "Coisas muito cuti-cuti me dão diabetes!". Ela é do mal. Só de raiva, vou dar umas meias bem Restart pra ela! =P

Foi bom ver a Fran e a San, que agora não vejo com tanta frequência quanto gostaria porque elas moram em São José. E é engraçado porque, apesar de termos crescido e os assuntos terem mudado, sempre que nos encontramos dá uma sensação de que nos vimos na semana anterior e várias coisas ainda remetem ao que éramos quando tínhamos 15 anos, continuamos rindo de umas bobagens que só a gente entende. E a Fran sempre lembra que eu gostava "daquele menino horrível que parecia o Doug Funnie", haha. Ele não era horrível, era lindo dentro da estranheza dele.

Também queria ter visto minha prima Diana, a Flá, a Pri e a Sam (que está grávida de uns 6 meses agora), mas não deu tempo. Morro de saudades da Ana! Queria poder encontrar vários outros amigos, mas vai ficar para o ano que vem. Sei que às vezes sou displicente com eles, mas amo todos, sinto saudades e penso sempre neles. E não consigo dizer: "meus melhores amigos são...", porque todos têm importância na minha vida.

4 comentários:

dan disse...

"era lindo dentro da estranheza dele" vou guardar essa pra caixa de pérolas =P

Feliz ano novooo alineeeee!!!

Que fofo seu natal by Japan. Por que Natal e Ano novo não precisa ter Chester (ou que lah for esse animal que eu nunca vi). Podemos nos virar muitooo beeem com Salmão ao molho de alcaparras e champgnon (agua na boca!)


bjinhuuus

aline naomi disse...

Feliz Ano-Novo, Dan!! =D

Minha primeira virada sendo eu a cozinheira e que passo de um jeito meio diferente! =D

Beeeeeijos! Saudade.

.:*Mandy*:. disse...

Aniversário em Cristo, minha nossa! #hanamacantaravasuya xD

O meu Natal também não teve um chester de perna aberta em cima da mesa. Quem cozinhou fui eu. Mas pelo visto o pessoal nem curtiu muito, comeram tão pouquinho... :( #foreveralone

Beijos =***************

aline naomi disse...

HAHAHAHAHAHA! #foreveralone (ô dó!)

Mandy, a gente ainda vai ser chef! ;) Não desanima, não!

:-***