Pages

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Androide no País dos Humanos

É só um desabafo.

Não costumo escrever coisas assim, mas é que me incomoda e eu não sei o que fazer com o que sinto.

Alguém fica me escrevendo pra pedir dicas profissionais, contatos profissionais, etc. Cansa, eu me canso, e não sei o que fazer. Já deu vontade de ignorar, já deu vontade de escrever: "veja bem, você só me procura para pedir dicas de trabalho, sendo que eu nem tenho tanta experiência e nem mais vontade de falar com você, já te disse o que penso, você também já sabe o que tem de fazer, então, por que não faz?", já deu vontade de digitar uma resposta surrealista. Não que eu não queira ajudar, ajudo até quem não conheço, mas é fato: algumas pessoas não querem ser ajudadas, parecem só querer alguém com quem se justificar por não tomar nenhuma atitude em relação à própria vida (pessoal, profissional, seja lá o que for).

Me sinto androide, porque não consigo sentir compaixão nem nada e não sei como lidar com a estranheza anestesiante que sinto em relação a algumas pessoas que um dia já foram próximas e de repente vejo que não temos mais nada a ver. Não é desprezo nem nada, é só uma falta de vontade de estar perto. Não sou o tipo de pessoa que fica passando a mão na cabeça das pessoas que dizem querer mudar e não mudam. Não tenho muita paciência, porque, sinceramente, acho que quem realmente quer algo, vai lá e faz e não fica inventando desculpas pra não fazer.

E, sim, todo mundo tem o direito de fazer (ou não fazer) o que bem entender da própria vida, só que eu não quero ficar ouvindo sempre os mesmos mimimis. Preciso estar perto de pessoas que me inspirem, isso, sim.

Pronto, falei.

6 comentários:

Tati disse...

Marque como spam. :P

É sério.

Sharlene disse...

Adorei esse desabafo. Afinal, poucas vezes temos coragem de falar o que realmente nos perturba. O fato de você não sentir nada com relação a essa pessoa te torna tão humana quanto qualquer outra pessoa. Afinal, você tb tem direito a se irritar e a perceber quando está sendo usada... não é?

Lúcia Harumi disse...

Vc pode ganhar dinheiro com isso respondendo para leitoras de alguma revista(como a personagem da novela das 7), ou continuar exercitando a sua paciência. Quando trabalhei na entidade de ajuda emocional (vc sabe qual), a orientação era a seguinte: ouça tudo como se fosse a 1a vez (mesmo que a pessoa estivesse ligando pela 100a vez, falando dos mesmos problemas) e focar na pessoa e não no problema da pessoa. Outro recurso é voltar p/ a pessoa, tipo: " o que vc acha melhor p/ vc?"

Anônimo disse...

olha, a resposta é simples. você mesma deu: "veja bem, você só me procura para pedir dicas de trabalho, sendo que eu nem tenho tanta experiência e nem mais vontade de falar com você, já te disse o que penso, você também já sabe o que tem de fazer, então, por que não faz?"
se a pessoa volta a te procurar é porque você dá brecha para que ela a procure. seja sincera. só isso basta. não se culpe por achar que está sendo "uma pessoa má". a verdade é má. sabe por quê? porque vivemos num mundo hipócrita! cheio de gente falsa. que vive puxando o saco dos outros em troca de favores.
quando você é autêntica, você é má. porque é diferente dos outros. mas quer saber? fodam-se os outros! porque os tais outros não são os que carrego no coração.
beijo. va

Karen disse...

É acho que você deve dizer/dar a entender que há limites.

(Sei que você é muito gentil com coisas assim por experiência própria!)

aline naomi disse...

Tati,
gostei da ideia! Bem prático e quase indolor... vou pensar seriamente a respeito. Porque se for pra caixa de spam direto, minha consciência não fica tão pesada por não responder.

***
Shar,
eu odeio ficar "reclamando" das pessoas, mas estava meio no limite e precisava de uma válvula de escape. Percebi que tenho problemas em dizer o que penso para não magoar alguém que um dia foi um(a) bom(boa) amigo(a)...

***
Tia,
hahahahaha... não quero ficar respondendo leitores, não!
Eu acho que vou simplesmente me afastar da pessoa...

***
Va,
é isso mesmo que você disse. No fundo eu não quero ser a "má" e falar o que penso, que estou me sentindo mal com a presença desse alguém na minha vida e que estarei melhor sem ele ficar me falando coisas que nem me interessam e que eu não tenho vontade de responder. E isso só acontece porque eu deixo acontecer (eu também acho que algumas coisas acontecem porque as pessoas deixam!). Vou ligar o "foda-se". Parece egoísta, mas não posso ficar mal só para não magoar os outros. Fim.

Beijo!

***
Karen,
sim, também tem isso. Muita gente deve me ver como "legal", daí deduzem que estou sempre gostando de tudo que elas fazem e falam. Não, não é bem assim. Não mesmo.

***

PESSOAL,
obrigada pelos comentários. É meio chato, mas cheguei à conclusão de que vou deixar de falar com a tal pessoa. Dá um pouco de angústia porque a conheço há uns 10 anos e já fomos bem próximas, mas é isso, as pessoas crescem para lados diferentes e eu preciso de leveza na vida.