Pages

sábado, 5 de março de 2011

Poesia - Lee Chang-dong

Hoje passei no Reserva Cultural para ver o filme sul-coreano "Poesia", de Lee Chang-dong.

Saí de Alphaville umas 16h15 (o editor me liberou mais cedo, por causa do trânsito #ilovemyboss), peguei o bus umas 16h25 e cheguei na Paulista às 20h15! Algumas pessoas ficaram desesperadas no ônibus e começaram a descer no meio do trânsito congestionado. Eu já sabia que isso ia acontecer, como sempre acontece em véspera de feriados por aqui.

Gostei bastante desse filme aparentemente simples, mas muito sensível. O modo como os orientais veem as coisas é mesmo diferente...

Mija é uma senhora de 65 anos que vive de pensão e do dinheiro que ganha ao cuidar de um senhor, que provavelmente foi vítima de derrame, além de fazer a limpeza do lugar onde ele mora. Também cuida do neto, cuja mãe é ausente, que, com amigos estuprou uma jovem, que se joga de uma ponte. Os pais dos amigos do neto convocam uma reunião em que fica decidido que farão um acordo com a mãe da menina que se suicidou: eles darão 5 milhões de won para a mãe da menina, para que ela se cale. Vê-se que a sociedade coreana também é machista - com o dinheiro, os pais dos meninos pretendem encobrir o erro dos filhos e cuidar para que eles tenham um futuro sem "manchas". Em meio a problemas com o neto desnaturado e falta de dinheiro, Mija se matricula em um curso de poesia e passa a participar de um clube de leitura de poemas - e sua vida muda a partir do momento em que a poesia passa a fazer parte dela e da vida dela, pois a visão de mundo dela passa a ser mais ampla.

Eu gostaria de ter escrito uma resenha tão boa quanto à que o Pedro Henrique Gomes fez aqui, mas só consegui isso mesmo! :)



0 comentários: