Pages

sábado, 30 de abril de 2011

Pinokio, no Club Noir




Fui ver essa peça hoje, depois do trabalho. Comprei o último ingresso! Que sorte. Talvez para compensar a minha ida ontem ao CCSP só para constatar que os ingressos para as duas peças do Festival de Teatro Latino-Americano de Grupo estavam esgotados (queria muito ter visto "Los niños desaparecidos", de um grupo espanhol, mas fiquei só na vontade).

O teatro do Club Noir é pequeno (deve ter uns 40 lugares) e tive a sensação de ser privilegiada por estar ali. Embora não conheça tanto sobre teatro, posso dizer que gostei e que achei boa! A peça faz alusão ao Pinóquio (boneco de madeira que queria ser gente), mas de modo contrário. Lembrei também do menino androide do filme "Inteligência Artificial" (ele era um androide, fabricado para suprir vazios humanos, e, assim como o Pinóquio, ele também queria ser um menino de verdade). Há pouca iluminação no palco e ouvimos vozes, quase inumanas, dos personagens-androides (?) falando confusamente sobre sentimentos, desespero, dor, espanto, busca pela imortalidade por meio da fusão com o "robótico" (homem + máquina = vida eterna - mas que tipo de vida?).

É muito diferente de tudo que já tinha visto no palco. Gostei muito.

O quê? Pinokio
Onde? Club Noir
Rua Augusta, 331 (para quem vai de transporte público, acho que o jeito mais fácil de chegar é descer no metrô Consolação e depois pegar qualquer ônibus que desça a rua Augusta)
Tel: (11) 3255-8448 / 3257-8129
Quando? De 17/03 a 15/05/2011 (de quinta a sábado às 21h; domingo às 20h)
Quanto? R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada) (a bilheteria abre duas horas antes da apresentação)
Site com mais informações, aqui.


Nenhum comentário: