Pages

sábado, 28 de maio de 2011

Se eu tivesse uma máquina do tempo

Sei que é perda de tempo ficar pensando no que poderia ter sido e não foi, porque máquinas do tempo não existem, mas é inevitável. O tempo é irreversível, e, por isso, preciso tentar acertar tudo de primeira ("a vida não é um esboço, é um livro definitivo").

Mas se a máquina do tempo existisse, eu faria várias coisas diferente, principalmente as decisões que tomei profissionalmente.

1. Se hoje eu tivesse 15 anos, ia tentar emprego em uma das locadoras de vídeo que tinha perto de casa - com 15 anos, eu já gostava muito de cinema e trabalhar em uma locadora (na época, de fitas VHS!) me daria a chance de ver milhares de filmes grátis, além de aprender, desde cedo a ter responsabilidades, a organizar o meu tempo e a dar valor ao dinheiro;

2. Se eu tivesse 17 anos, me inscreveria para o Vestibular para tradução de novo, mas tentaria o curso na UFRGS e na UnB. Poderia até tentar o Vestibular da Unesp em Rio Preto, mas, se eu passasse em uma das duas primeiras, nem cogitaria ir para o interior de São Paulo. Vira e mexe me bate uma sensação de ter perdido muito tempo numa cidade que, culturalmente, me acrescentou muito pouco, quase nada. Adquiri muito conhecimento na faculdade, mas, fora dela, não tinha nada de cultural (cinemas alternativos, teatro, exposições, etc.) que eu teria em Brasília ou em Porto Alegre. Ok, fiz grandes e ótimos amigos, mas isso não compensa os anos de atrofia cultural;

3. Se eu tivesse feito uma faculdade que não fosse integral e em uma cidade decente, eu teria feito estágio em uma agência de tradução ou editora (trabalhar em editora, ou pelo menos com livros, era o meu objetivo antes mesmo de entrar na faculdade) desde o primeiro ou segundo ano e teria bagagem acadêmica e profissional (porque aquilo que vimos na faculdade, pelamor, não tinha nada a ver com a realidade de mercado/de trabalho);

4. Com um diploma na mão, eu viria pra São Paulo e tentaria Vestibular para editoração na USP, para ter mais base para argumentar minhas escolhas na área editorial;

5. Odontologia passaria longe (embora eu ainda goste da área da saúde - mas acho que não para estudar e fazer disso uma profissão);

6. Teria levado o curso de japonês a sério desde sempre, para poder tentar ganhar bolsa de pós em estudos literários/culturais no Japão, entre uma faculdade e outra ou durante uma das faculdades;

7. Se eu tivesse 20 anos, tentaria rever meus conceitos sobre namoro, casamento, parceria. Ser livre e independente é bom, mas ter alguém ao lado, também.

Fim do mimimi.

7 comentários:

Lúcia H. disse...

Fica fria, tudo vem a seu tempo.
Certa época, o lema onde eu trabalhava era "faça certo da 1a vez", por causa do "bendito" ISO (auditoria). Os funcionários ficavam em pânico diante de auditores internos e externos (até estrangeiros). Tudo tinha de estar perfeito para a firma ganhar o certificado. Meu terapeuta, na época, disse que apareceram muitos funcionários estressados com essa pressão, no seu consultório. Então... prefiro ir pelo comentario de um amigo, sobre uma arte japonesa: tipo, fazer um desenho (ou pintura, nem lembro), e se errar não corrigir, manter o erro como sua sinceridade do momento.
Bjs

Anônimo disse...

Nunca é tarde para recomeçar...
E também não precisas ir muito longe para ver que o tempo foge das nossas mãos. Afinal, o hoje já é passado para o amanhã.
Beijo, Va.

* lembre-se que estou aqui esperando tu jogares a mesa para o alto e fazeres do mundo a nossa casa. ;)

Karen disse...

Não sei se teria feito tudo diferente se voltasse ao passado. Talvez em relação à carreira, mas não sei se seria mais ou menos feliz. Abrir uma porta fecha outras e, em certas coisas, você precisa contar com um elemento de sorte. Estar no lugar certo na hora certa e tal.

aline naomi disse...

Obrigada, gente! :)

Preciso aceitar o fato de não ter uma bola de cristal e que faço as melhores escolhas que consigo no momento em que tenho de escolher.

.:*Mandy*:. disse...

Justamente por ficar pensando no que poderia ter feito ou não que minha cabeça entra em parafuso!!!
Mas agora prefiro não pensar mais. Passei a vida toda com medo do futuro baseado em coisas do passsado, agora chegou a hora de viver um pouco.

Beijos =**********

aline naomi disse...

Mandy,
é isso: a gente precisa viver e pronto!
Tento não lembrar das coisas, mas é inevitável fazer isso sempre...
Beijos!

.:*Mandy*:. disse...

Relendo seus posts (fazia um tempinho que não passava no seu blog, my bad!), lembrei desta musiquinha aqui:

http://youtu.be/jSppbKN2sTE

Tem a ver, não? hehehehehehe

Beijos