Pages

domingo, 31 de julho de 2011

Hoshi no koe - The voices of a distant star

Também li o mangá Hoshi no koe [The voices of a distant star / Vozes de uma estrela distante] (cuja capa foi publicada no Brasil pela Panini desse jeito, o título não foi traduzido), de Mizu Sahara.

É uma história de amor bem sublime entre dois jovens, Mikako e Noburo, que se passa em 2046 (seria uma referência ao filme "2046" do Kar-Wai?). Mikako é selecionada para participar de um treinamento intergaláctico em que pilotará robôs gigantes; até ser chamada definitivamente, vai vivendo uma vida comum, indo à escola e aproveitando o tempo ao lado do amigo Noburo.

Quando Mikako vai para o treinamento em Marte, Noburo permanece na Terra, entra no colegial, e segue sua vida. Os dois trocam mensagens pelo celular, mas, com o tempo, Mikako precisa fazer o treinamento em planetas mais distantes da Terra e o tempo de envio e recebimento das mensagens aumenta (de semanas passa para meses).

Gostei desse mangá porque me fez refletir sobre a passagem do tempo e sobre a duração dos sentimentos (quanto dura o amor? quanto dura uma lembrança? o que é longe? o que é perto? "para sempre" existe? o tempo é mesmo igual para todos? a sensação da passagem do tempo certamente não é igual para todos!). Lembrei de uma fala de um personagem do filme "Cortina de Fumaça", um balconista de uma loja de conveniência em um bairro meio barra pesada de Nova York - quando alguém percebe que ele poderia trabalhar em algo melhor, questiona algo do tipo: "Você não é só o cara atrás do balcão, por que está trabalhando aqui?", aí ele responde algo assim: "Independentemente de estar aqui ou fazendo outra coisa, no fim acabaremos todos da mesma forma, o tempo vai passar do mesmo jeito". Esse filme é muito bom! Preciso rever. Tanta gente buscando fama, fortuna, sucesso. E o tempo continua passando. Para mim, o que importa é aproveitar o tempo fazendo o que gosto, com quem gosto, sentir que meus dias estão sendo bem vividos, porque sei que, diferentemente da música do Legião, nossos [meus] dias não serão para sempre.

Talvez eu tenha me desviado do propósito do post. Melhor vocês lerem mais sobre este mangá aqui, que tem uma resenha ótima. ;) E, se gostarem da resenha, leiam o mangá.

Nenhum comentário: