Pages

domingo, 27 de novembro de 2011

Suspensa no tempo

Às vezes eu queria estar em outro lugar. Ser outra pessoa, outras pessoas.

Às vezes, não sempre, sinto que a minha vida está em descompasso. Parece que a vida está acontecendo e estou só assistindo. Porque queria estar antes (ou depois) do momento presente.

Às vezes parece que estou caminhando e não sei mais aonde estou indo. "É preciso se perder para se achar". Já não sei mais se acredito nisso. E se nos perdemos pra sempre sem saber que nos perdemos? Ninguém vai nos salvar.

Às vezes eu queria ir embora. Mas sei que isso não resolve. Aqui, em Roma ou em Tóquio, o que vai dentro é o mesmo.

Às vezes sinto saudades de algumas pessoas que se perderam. Egoísmo querer que as pessoas importantes e que eu adoro fiquem por perto. Elas também têm o direito de se perder no tempo e de mim.

4 comentários:

Crisão disse...

Lindo e perfeito. Sem maiores comentários.

Lúcia harumi disse...

O que vc escreveu me deu uma sensação de déjà vu. Acho que já senti algo parecido ou já falamos algo sobre. Aproveite para criar personagens e escrever. Na ficção, vc pode ser quem quiser, ter personalidades que quiser, fazer os enredos que quiser. E...transferir para a realidade... ou vice-versa. Meio que "quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha" "fazer da ficção realidade ou da realidade ficção". E fique sã.

Karen disse...

Oi, Aline! Não sei se este é lugar mais adequado, mas queria perguntar se você tem interesse em mangás em japonês. Tenho três mangás pequenos e meio velhinhos que gostaria de doar. Pensei em deixar na escola de japonês que frequento, mas as coisas por lá ficam tão largadas que prefiro doá-los para alguém. As histórias são bobinhas, água com açúcar para garotas, se não gostar, pode passá-los para frente, em SP deve ser mais fácil fazer isso. Envie um e-mail se tiver interesse (perdi o seu no micro que pifou).
Abraços!

aline naomi disse...

Obrigada pelos comentários! :)

Larguei isso aqui por um tempo. Estou com dificuldade de retomar.