Pages

sábado, 23 de junho de 2012

Eu receberia as piores notícias - Marçal de Aquino

[Escrevi sobre este filme em abril, mas volto a ele de novo porque li o livro.]

Vi o filme "Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios", baseado na obra homônima do Marçal de Aquino, há algum tempo e fiquei impressionada. Quando vi a Camila Pitanga no pôster, nem esperava muito da atuação - puro preconceito, eu sei, mas o que posso fazer se na Globo dão sempre uns papeizinhos idiotas mesmo para bons atores? -, e me enganei. A Camila Pitanga está maravilhosa no filme. 

Gostei tanto do filme que comprei o livro e devorei.

Para quem não viu o filme ainda, recomendo que leia o livro primeiro. No filme algumas partes ficaram meio desconexas, mas, lendo o livro, entendi o que acontece nas lacunas.

A história se passa em algum lugar perdido no Pará. Cauby, um fotógrafo de São Paulo, vai para lá para fotografar prostitutas que vivem ali para atender garimpeiros e conhece Lavínia (Camila Pitanga), que é casada com um pastor de igreja. Os dois começam a ter um caso e o que parecia não ter muitas consequências gera uma série de tensões, somada à tensão-mor de se morar em um lugar com suas próprias leis.

Vendo o filme, fiquei tensa, porque me coloquei no lugar do Cauby, que estava em um lugar estranho, rodeado de pessoas estranhas e nas quais ele não sabia se podia confiar.

Há algumas diferenças entre o livro e o filme. Por exemplo, no livro o Cauby tem um tatu, no filme é um camaleão. No livro há um chinês meio pedófilo, que tira fotos de garotos nus no estúdio de fotos dele - esse personagem, que ocupa uma parte considerável da narrativa, foi subtraído da adaptação para o cinema. No filme não fica claro por que o Cauby foi parar naquele fim de mundo e nem como [SPOILER] a Lavínia vai parar na clínica.

Esse é um dos filmes que vi ultimamente e recomendo. Se tiver preguiça,  veja só o filme. Se não tiver preguiça, leia o livro e depois veja o filme, dá para apreciar melhor.

Nenhum comentário: