Pages

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

22ª Bienal do Livro de São Paulo 2012

No dia 09/08 (quinta-feira passada) começou a 22ª Bienal do Livro de São Paulo. Na verdade, na quinta, a Bienal só estava aberta para profissionais do livro e convidados, então, depois do trabalho, fui lá pegar a minha credencial e conferir o evento nesse dia, porque ia estar tudo tranquilo. Às vezes trabalhar em editora tem umas vantagens! ;)

Se eu não tivesse ido na quinta, provavelmente não iria mais, apesar de a credencial me dar direito a entrar sem pagar todos os dias. Depois que abrisse para o público, sei que o Pavilhão do Anhembi ia lotar de gente para ver e talvez comprar livros com o preço normal. Acho insano demais ficar disputando espaço para tentar comprar um livro.

Aliás, uma coisa que até hoje não entendo é por que a maioria dos livros na Bienal não pode ser comprada com desconto.

A entrada vista de fora

Pavilhão tranquilo na quinta

Stand da Turma da Mônica

Vi o Mauricio de Sousa passeando por lá! E nesse stand da Turma da Mônica acho que estavam sorteando um Sansão gigante. O cara quis me parar para falar sobre a promoção, mas eu estava impaciente demais, dei uma desculpa e fui saindo.

Não curto gente me chamando para supostamente me "presentear" com alguma coisa (sempre querem algo em troca, lógico). Da editora Abril, ganhei uma Veja e uma Veja especial para fazer compras em Miami e Nova York (eu que adoro comprar roupas e bugigangas inúteis!) e ganharia mais outras revistas encalhadas se tivesse um cartão de crédito. Mas ainda bem que não uso cartão de crédito. A Veja está cada vez com mais cara daquelas campanhas publicitárias que são distribuídas gratuitamente: mais da metade da revista é propaganda e de vez em quando surge uma matéria meia-boca para entreter os leitores.

No centro do Pavilhão estava instalada a exposição "Deu a louca nos livros":

Dá para ver a ponta da "cobra" que servia de sofá para os cansados






Acabei encontrando uma "livraria de saldos" e, depois de muito vasculhar, comprei uns livros por preços muito abaixo do normal e acho que fiz um bom negócio. Um livro de literatura, um de fotografia, a HQ Gourmet (o Sergio me emprestou faz um tempo, gostei e acabei achando lá por R$ 12, lacrado!) e um sobre tradução. Se não fosse isso, teria voltado de mãos abanando, porque os descontos que vi nos stands de editoras que me interessavam não era significativo. Ou seja, não vale a pena. Melhor comprar livros na Estante Virtual  ou em lojas virtuais como Extra e Submarino - essas duas últimas lojas vivem fazendo megapromoções e ainda dão o frete grátis para compras acima de um certo valor.


Esse ano houve uma certa polêmica em torno da Bienal, sobre não oferecerem cachê para palestrantes/mediadores, sobre dinheiro arrecadado por patrocínio não ter sido bem utilizado e assuntos obscuros relacionados à CBL (Câmara Brasileira do Livro), como pode ser lido no blogue da Raquel Cozer, e isso me ajudou a concluir que a Bienal do Livro em São Paulo é algo que não tem razão de ser. Li uma crítica em algum site em que o autor falava que feiras do livro fazem sentido em locais onde os livros não chegam tão fácil (cidades do interiorzão do Brasil), e eu concordo.  

Depois que saí da Bienal, fiquei pensando e bem que os sebos de São Paulo poderiam se reunir e fazer uma boa feira do livro. Isso, sim, seria promover e tornar a leitura mais acessível, pois o preço dos livros também estaria acessível à maioria.

O quê? 22ª Bienal do Livro de São Paulo
Quando? De 09 a 19/08/2012 (de 09 a 18/08, das 10h às 22h e 19/08, das 10h às 20h, com entrada até 18h)
Onde? Pavilhão de Exposições do Anhembi - Av. Olavo Fontoura, 1209 - Santana - São Paulo-SP (tem ônibus grátis das estações de metrô Portuguesa-Tietê e Barra Funda; usei o ônibus do Tietê e está tudo bem sinalizado)
Quanto? R$ 12 e R$ 6 (meia-entrada) / Estacionamento: R$ 30 (preço único)

Nenhum comentário: