Pages

sábado, 22 de setembro de 2012

MBA Gestão de Projetos - update

Está um pouco difícil conciliar trabalho, estudos, freelas, vida pessoal e lazer, mas tento ter sempre em mente que é só uma fase.

Hoje até voltei a ter aqueles pesadelos (antes muito recorrentes) em que eu chegava para a aula e não era aula, era prova. E eu não tinha estudado. Olhava as questões e não tinha ideia do que eram aqueles assuntos. Pânico. E o alívio de acordar.

Depois de "Comunicação Interpessoal", tivemos aulas de "Liderança e Trabalho em Equipe" no MBA. Desse segundo módulo de aulas, duas coisas me chamaram a atenção:

1. É preciso estar muito atento às diferenças culturais no ambiente profissional. 
O professor, um catarinense descendente de alemães, contou alguns casos de insucesso porque as pessoas desconheciam a cultura de pessoas com quem trabalhavam. Lembro de uma história em que pessoas de uma empresa onde ele trabalhava levaram clientes indianos para uma churrascaria - sendo que, até onde sei, boa parte dos indianos são vegetarianos. Os indianos ficaram horrorizados.
Teve também uma história que um colega contou e me pareceu bem verossímil. No lugar onde ele trabalha, um funcionário tinha conseguido uns clientes japoneses e, por conta do contato prévio, a empresa mandou esse funcionário para o Japão, para fechar uma venda gigantesca. No aeroporto, o funcionário brasileiro foi recebido pelo presidente da empresa, que lhe deu o cartão de visitas, e comentou que ele estaria com um outro número de telefone também, o funcionário foi anotar o telefone no verso do cartão de visitas que o presidente tinha acabado de oferecer para ele. Dizem que o presidente virou as costas e foi embora. Depois o funcionário até tentou entrar em contato de novo com o presidente, mas não foi atendido. Parece que esse funcionário foi despedido. Japoneses têm normas sociais meio rígidas e difíceis de entender, mas, nesse caso, chuto que deve ser considerado muito "desprezo" escrever no cartão de visitas, porque é como se o funcionário tivesse considerado aquilo um pedaço de papel qualquer.

2. É preciso mapear/identificar os tipos que fazem parte da equipe que você vai liderar.
Quando se trabalha com várias pessoas, precisamos identificar as competências de cada uma para poder atribuir tarefas que possam ser desempenhadas da melhor forma possível. Parece uma coisa "óbvia", mas quando os projetos precisam ser finalizados em um curto espaço de tempo, a pressão faz com que o trabalho seja distribuído de qualquer forma, porque o trabalho precisa ser feito e ponto. Tentar evitar esse tipo de situação é, também, uma das tarefas do líder.

Gostei bastante desse módulo porque me mostrou que a "liderança" não é uma coisa nata. Claro que há pessoas que nascem com essa característica bem desenvolvida, mas, além disso, precisamos nos educar como líderes, identificar problemas, nos mostrar dispostos, mostrar caminhos e possibilidades para resolver problemas e ser uma referência para a equipe com que estamos trabalhando.

E aconteceu uma coisa chata também. A prova de Liderança estava marcada para o dia 10/09 e, quando cheguei lá e entrei na sala, havia alguns colegas e dois funcionários da FGV tentando explicar por que a prova havia sido cancelada. "Tivemos um problema no sistema." SEI. Depois vi que mandaram um e-mail lá pelas 18h, cancelando a prova que seria às 19h. Beleza, considerando que várias pessoas às vezes levam duas horas para se deslocar de uma parte a outra em São Paulo. Alguns colegas mostraram bastante insatisfação pelo e-mail do grupo, e com razão, outros manifestaram a vontade de resolver logo o problema, e muitos, como eu, não se manifestaram. Sinceramente, tenho várias outras coisas na cabeça. Esse é um problema dos menores. Agora faremos a prova no dia 28/09 ou, quem quiser, também pode fazer na sexta-feira seguinte. Não gostei que marcaram a prova para duas sextas-feiras, porque o trânsito fica muito mais infernal nesse dia da semana, mas vamos lá, o importante é fazer a prova e se livrar disso o quanto antes.

Depois de Liderança, começamos a ter aula de "Fundamentos de  Gerenciamento de Projetos". A matéria é bastante DENSA, confesso que às vezes me perco nas aulas. O professor é bastante dinâmico e indica uma avalanche de coisas para ler. A apostila é bem grossa e também recebemos um livro dessa matéria, que foi editado pela editora da FGV. Agora acabou a moleza.

Vou lá correr pra aula de tcheco agora. Depois quero ver se atualizo mais isso aqui.

2 comentários:

Crisão disse...

muito interessante suas aulas... e obrigada por compartilhar!!!

devo dizer apenas algo: essa teoria é linda. Mas colocá-la em prática só funciona se a empresa quiser. Caso contrário...

beijos

aline naomi disse...

Cris,
pior que eu sei que muitas, talvez a maioria (?), das empresas são bem desorganizadas. Acho que não só pra mim, mas para todos os colegas, muitas coisas que vemos nas aulas são impossíveis de ser aplicadas na realidade por inúmeros motivos. Massss como a esperança é a última que morre...! :) E, também, quero ver se esse curso me ajuda a manter uma certa distância de editoras totalmente desorganizadas (a ideia, com o tempo, é poder escolher onde quero trabalhar e não precisar aceitar qualquer trabalho em qualquer lugar).
Beeijo!