Pages

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Comunicação telepática

É engraçado como algumas coisas acontecem.

Em um fim de semana recente, pensei em uma amiga, a "Analu Magalhães", como eu a chamo - uma brincadeira com o nome dela, com referência à cantora Malu Magalhães, haha -, pois fazia muito tempo que eu não falava com ela, e, no começo da semana seguinte, ela me mandou um e-mail para perguntar como eu estava. Um detalhe engraçado é que fazemos aniversário no mesmo dia e no mesmo mês. Talvez por isso nos entendemos bem e nos identificamos. E eu gosto dos amigos que me escrevem quando penso neles [não é a primeira vez que acontece, o que me faz acreditar que tenho tendência a ter poderes telepáticos, ohhh!], não para me cobrar presença, mas para saber como estou.

Logo ela me inteirou de sua vida e fiquei feliz em saber que estava bem. E lembrei que nos afastamos um pouco porque, na época em que eu a conheci - embora morasse no Tucuruvi, muito perto da minha casa -, ela estava estudando loucamente para passar em medicina na USP-Pinheiros, o que acabou não acontecendo e ela tomou outros rumos não menos interessantes.

Respondi o e-mail dela e, no e-mail seguinte, ela disse que ia fazer um curso de roteiro no CineSESC e me convidou. O curso é este: 

São Paulo na tela: vídeo e roteiro
Durante a oficina serão realizados roteiro e vídeo sobre a cidade de São Paulo, abordando alguns aspectos de temas como gente, arquitetura, transporte, comida, luz, sombra, cor e textura. Serão dadas noções básicas da linguagem de vídeo, fotografia, áudio, pesquisa e roteiro. Com Mônica Simões.

Infelizmente esse curso já está com as inscrições esgotadas. Imagino que o custo (R$ 30 e R$ 15 a meia-entrada) faz com que esses cursos sejam bem procurados. Fiquem atentos porque, ao que parece, o CineSESC sempre promove vários cursos rápidos e baratos sobre vários assuntos. Este não deve ser profundo, mas vou fazer para ver se vale a pena investir em um curso de roteiro com maior duração - já faz algum tempo, vi que existe um curso de roteiro na Academia Internacional de Cinema. A Marina, uma amiga cinéfila do curso de tradução, disse que já fez um curso lá, se não me engano, de História do Cinema (esse curso eu fiz no SESC de São José do Rio Preto há uns 10 anos!), e disse que gostou bastante.

Independentemente de trabalhar um dia com isso ou não, quero entender como é feita a adaptação de um livro de literatura para um roteiro de filme. E por que alguns conseguem transformar livros em filmes muito bons e outros, definitivamente, não.

Obrigada, Analu Magalhães!

Nenhum comentário: