Pages

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

"F" de férias (ou foda-se)

Estou oficialmente de férias. Não sei por que este ano fiquei tão ansiosa por isso. Talvez o cansaço, talvez outras coisas.

Hoje fui para prova de Macroeconomia igual ia para as provas de Física do colégio. Continuo tendo dificuldades para lidar com tudo que me entedia, deixo para estudar na última hora - e daquele jeito. Acontece que, quando fui ler a matéria na apostila hoje (detalhe: a prova foi hoje), cheguei à conclusão de que Macroeconomia é uma daquelas matérias que eu gostaria de ter estudado sozinha e ido a uma aula para tirar eventuais dúvidas... lendo, aprendi mais que nas cinco aulas, que, ponderando agora, foram corridas, confusas e permeadas de cálculos nem sei se úteis. Não sei se algum dia na vida precisarei calcular o PIB (Produto Interno Bruto), o PNB (Produto Nacional Bruto) ou índices de inflação para o que quer que seja - na verdade, nem sei se um dia saberei fazer esses cálculos. A parte teórica é interessante (sem ironias), mas, do jeito que foi dada, para mim foi um suplício (#prontofalei). Vamos ver o que acontece com essa minha nota. A prova não foi difícil (como nenhuma prova até agora), mas tenho a impressão de ter respondido tudo errado... e delirei na última questão de cálculos, a professora vai dar risada quando ler!

Hoje, na hora do almoço, algo insólito: eu estava lendo a tal apostila de Macroeconomia em um dos bancos de praça no Centro Comercial de Alphaville (é como um minicondomínio com várias lojas, empresas e restaurantes), onde vou almoçar todos os dias, quando passou um velhinho vestido de Papai Noel, barba branca de verdade e tudo, naquele calor infernal e disse algo do tipo: "Que menina esforçada, está estudando..." e me deu 3 balas de framboesa. Se ele soubesse da "estudante esforçada" que sou, nem teria me dado as balas! 

E, talvez maldição do meu inferno astral, depois da prova, fiquei esperando mais de uma hora pelo ônibus para só então saber (via SMS da Yuri) que o ônibus que eu estava esperando e que me deixava em frente de casa não passa mais na Av. Paulista. Devem ter tirado essa linha de circulação há pouquíssimo tempo. Agora precisarei pegar dois ônibus em vez de um. E essa foi a minha sorte sagitariana do dia.

Porém, contudo, entretanto, nada me abala - estou de férias e estou feliz.

Obs: ganhei dois livros do editor, um de aniversário e outro de Natal. Um do Haruki Murakami e outro da Lya Luft. Isso é que é intuição. Ou chute. Amo Murakami e gosto da Lya.

4 comentários:

Lúcia H. disse...

Espero que o livro que ganhou do editor não seja o mesmo que comprei pra você (do Murakami). Rs.
Ah, falando nisso: pretendo fazer um livro em tecido, manuscrito. Hummm, será? Já faz um tempo que estou com essa idéia maluca... talvez... quem sabe...Se eu fizer será seu presente de aniversário do ano que vem. Ah, vai demorar...

aline naomi disse...

Tia, pior que é o mesmo livro! Mas vou trocar o dele por algum outro... só preciso tirar a dúvida se posso trocar em qualquer Saraiva ou precisa ser na de Alpha... ;) Acho incrível que vocês dois olharam o mesmo livro e intuiram que eu poderia gostar dele!! COMO?

Nossa, que lindo um livro em tecido. Só para constar: vira e mexe uso aquela sacola multiuso com a história manuscrita em japonês que você me deu (e SEMPRE penso no trabalho que deve ter dado escrever tudo aquilo!).

Lúcia H. disse...

Ah, Aline. O livro é mesmo "IQ84"?
Acho que coincidiu de escolhermos por ser o último do Murakami (conforme a vendedora me disse).
Quer que troque pelo "Kafka à beira mar"? Liguei na Maxsigma e a vendedora disse pra ver etiqueta atrás do livro e eles colocaram que posso trocar até 06/01/13. Se preferir outro qualquer, podemos ir juntas lá quando vc vier. Acho que é mais fácil trocar aqui do que o seu aí.

aline naomi disse...

Tá certo, tia! Quando eu for pra São José, a gente vai junto lá. "Kafka à beira mar" eu quero ler também! :)