Pages

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Então você quer ser editor(a) de livros?

 Foto tirada daqui.

Até começar a trabalhar em uma editora, nunca havia pensado em ser editora de livros. E nem sei se alguém, quando criança, tem esse tipo de aspiração. Nunca vi crianças dizendo: "Quando eu crescer, quero ser editor(a) de livros". Mas, de certa forma, sempre tive vontade de trabalhar com livros - só que minha meta era mais trabalhar com texto (escrever, traduzir, revisar) e ser boa, uma das melhores, nisso, sendo que "a glória", meu ápice profissional, seria traduzir livros da área de saúde (por isso fui estudar odontologia por um tempo; não foi uma loucura repentina) e literários, especialmente de literatura japonesa, direto do japonês - e de literatura tcheca, direto do tcheco, desde que comecei a estudar o idioma há alguns anos.

Hoje de manhã revi o filme As horas, em que a Meryl Streep faz o papel de uma editora nova-iorquina, e lembro que, quando o vi pela primeira vez, fiquei encantada com as cenas em que os originais ou provas de livros, impressos em papel, aparecem empilhados em uma sala-escritório da casa dela (hoje em dia várias editoras devem aceitar o original em arquivo). São pilhas de papéis com anotações e post-its, como acontece na vida real. Fiquei meio fascinada com a possibilidade de levar esses livros ainda em gestação para casa e ter o privilégio de lê-los antes de todo mundo. Mesmo tendo visto o filme várias vezes, esse detalhe, que para muitos deve passar batido, continua me chamando a atenção. 

Escrevo este post meio que pretensamente, porque ainda não sou "editora". Talvez um dia me torne uma, estou em fase de aprendizados eternos e, pelo rumo que as coisas estão tomando e pelo rumo que estou dando às coisas, é isso que serei quando crescer.

Quando fui trabalhar em uma editora pela primeira vez, em 2009, fazia um trabalho que é o sonho de muita gente: coordenava o departamento de tradução. Selecionava títulos para possível publicação (ou seja, solicitava os títulos para editoras estrangeiras e lia pelo menos uma parte deles para ver se o conteúdo tinha a ver com a linha de publicação da editora), selecionava tradutores free-lance para traduzir os livros a ser publicados, avaliava a qualidade da tradução, selecionava revisores de tradução, além de traduzir e revisar alguns títulos também - entre outras várias atividades que não eram as principais. Eu era apaixonada por esse trabalho, mas, por motivos pessoais, migrei para uma outra editora no ano seguinte, onde fiquei apenas alguns meses, até chegar a esta terceira onde trabalho atualmente.

Nas duas primeiras editoras, eu tinha noção de partes do processo e, nessa terceira, por ser uma editora pequena, participo de todo o processo de publicação (desde ver o original do livro em Word, passando pelo trabalho com o texto - às vezes edito e reviso alguns títulos, às vezes elaboro textos para ser incluídos em capas ou em campanhas de divulgação -, agendamento de locutores para gravar os CDs de áudio que acompanham os livros, até a contratação de serviços gráficos e entrega dos livros). E às vezes me irrito com vendedores de serviços gráficos e de papel - mas isso daria um outro post.

Ao longo da minha recente caminhada pelo meio editorial, me dei conta de que ser uma editora, aliás, ser uma BOA editora, é um processo muito árduo e lento. Diferentemente de várias outras áreas, em que se pode focar e se especializar em algo e ser bom naquilo, ser uma boa editora significa ter uma boa noção de várias áreas.

Antes de continuar, um parênteses: sou extremamente grata por ter tido/ter a chance de trabalhar internamente em uma editora. Tenho certeza absoluta de que sou uma tradutora e revisora muito melhor por conhecer em detalhes todo o processo de publicação de livros. Também sou grata por ter a chance de trabalhar com um editor extremamente profissional, com quase a minha idade apenas de trabalho na área, e que me ensina muito.

Continuando, para mim, com base em experiências e observação, ser uma boa editora significa:

1. gostar de ler e ler muito sobre tudo (ter sido uma boa leitora desde criança ajuda, pois quando somos mais jovens temos mais tempo e menos preconceitos);

2. ter um excelente domínio da língua portuguesa;

3. ter domínio de, no mínimo, uma língua estrangeira (atualmente, acho que saber inglês é um bom começo); dominar outras línguas -  quanto mais, melhor -, pois facilita muito a vida profissional, especialmente no momento de avaliar originais estrangeiros, selecionar tradutores e negociar os direitos de publicação com editoras internacionais;

4. ter cultura geral (não é tão difícil se o item 1 for verdadeiro);

5. saber avaliar "racionalmente" um original (ou seja, pesquisar se e quantos títulos semelhantes já foram lançados por outras editoras, o que os leitores comentam sobre eles e se há público e mercado para aquele determinado livro);

6. tentar descobrir em que categoria o original se encaixa: a) o livro é bom e há um público-alvo que certamente o compraria; b) o livro é bom, mas não há público para ele/o público é extremamente restrito; c) o livro é ruim, mas provavelmente há um público-alvo numeroso e ansioso para consumi-lo; d) o livro é ruim, mas o autor é famoso e tem uma legião de fãs (bastando "apenas" um bom trabalho de edição); e)  o livro é ruim e provavelmente não haveria público para ele;

7. conciliar, de forma realista, o orçamento disponível com o que se pretende publicar (não é possível publicar um livro colorido, com um bom papel e capa dura com um baixo orçamento, por exemplo);

8. ter boas habilidades interpessoais e um ótimo jogo de cintura com os autores, sobretudo os chatos;

9. ter noções de design gráfico - ainda que editores, em geral, não sejam os responsáveis pelo projeto do livro (quando são definidos o formato do livro, as cores em que será impresso, se haverá ilustrações etc.), é preciso ter alguns conhecimentos para poder avaliar o trabalho de possíveis funcionários ou colaboradores da área (hoje em dia, para mim, é nítida a diferença entre bons designers e pessoas que fizeram um curso de fim de semana e se dizem designers/capistas - e isso importa muito, porque pode ter um impacto direto na venda do livro);

10. ter noções de marketing ajuda a impulsionar a divulgação do livro para o público-alvo e também a avaliar se as ações do departamento de marketing estão sendo coerentes com as práticas do mercado, público-alvo e perfil da editora;

11. estar atenta aos mercados nacional e internacional e estar aberta às inovações (redes sociais, concorrência, evolução/flutuações do mercado editorial, e-books, expectativas do público que consome os livros publicados pela editora...);

12. entender, mesmo que sucintamente, como funcionam o departamento de vendas e o departamento financeiro;

[Três outros itens de que lembrei e incluí, depois de ter publicado este post:]

13. ter feeling em relação a que título(s) publicar (intuição de que aquele conteúdo vai ser bom ou agradar uma boa parte do público-alvo);

14. ter noções de direitos autorais;

15. saber como planejar o todo antes de dar início ao processo de publicação e ter uma visão geral de como todos os itens anteriores estão interligados.


Tendo isso em mente, às vezes me angustio porque não sei quantos anos levarei para ter domínio sobre a maioria dos itens que listei. A única coisa que posso afirmar atualmente é que domino o trabalho com texto, mas sei que esse também será sempre um aprendizado constante.

No fim, espero que tudo que estou buscando aprender e tentando aprimorar valha a pena. Sempre vale a pena quando a alma não é pequena, não é mesmo? :)


Leia também: O que faz uma assistente editorial? ou Libros nuevos

Inclusão de 01/02/2014: iniciei um outro blogue apenas para assuntos editoriais - Aline in Bookland. Prefiram fazer comentários por lá (do que aqui), para que outros leitores possam comentar também. Obrigada.

147 comentários:

Anônimo disse...

Quer ser minha tutora pessoal? Hahaha....nossa, que post adorei, respondeu muitas das minhas perguntas e acho que de muita gente também...acho sim, que você se sairia muito bem como editora, o modo como você escreve e se expressa define um nível de conhecimento bem superior, como uma criança que observa e grava pra si cada pequeno canto de uma casa...amei o post!Parábens e esteja convicta de sua sua carreira como Editora!by:mayara

aline naomi disse...

Hahaha, Mayara, obrigada pelo apoio!
Sinta-se à vontade pra perguntar o que quiser. Te ajudo no que puder.

thebloggerwocky disse...

Ótimo post!

Lúcia H. disse...

Nossa! A única coisa que eu pensava era sobre o item 6 e estava enganada: que o livro apenas tinha de ser bom para ser publicado. Rs. Êta, como cresceu a minha sobrinha. Nem parece aquela que peguei no colo e não sabia nem falar. Agora me fala um pouco sobre direitos autorais. O escritor quando escreve um livro de contos, por ex, registra (se é que é esse o termo) o livro todo ou pode fazer isso a cada conto? E onde se faz isso?

Luna Martins disse...

Post excelente, acredite ou não, foi o único post sobre o assunto que me esclareceu dúvidas. Eu já sabia que o caminho para tornar-me editora seria árduo, mas você mostrou-me os conhecimentos necessários, muito obrigada!
Todavia, eu tenho mais algumas perguntinhas, se não for muito incômodo rsrsrs... Eu pretendo, prestar o vestibular de editoração na USP. Porém, antes quero terminar o meu técnico em comércio... nesse curso, eu aprendo um pouco de finanças, marketing, orçamento... e outros. Pretendo também fazer um curso - ai, já estando na faculdade - de extensão em marketing. Quanto a idiomas, domino somente o inglês...
"Tendo" esses cursos no currículo, o que mais seria interessante fazer? Ou tudo isso nem chega a ser necessário, pois acaba se aprendendo na prática?
Bem, de novo, ótimo post, e desejo que você consiga tornar-se uma excelente editora o mais rápido possível, para assim, postar em seu blog como está sendo a experiência! (blog que agora começarei a seguir").
Beijos!

aline naomi disse...

Tia,
dá para registrar livros inéditos, sim, para garantir os direitos sobre a obra. Isso é feito pela Fundação Biblioteca Nacional. Não sei se dá para fazer o registro de conto por conto - acho que dá -, mas o mais comum é registrar um livro inteiro. O link para registro é esse: http://www.bn.br/portal/?nu_pagina=28 (tem que pagar uma taxa para registro)
A tabela de preços está aqui (custa R$ 20 para registrar uma obra): http://www.bn.br/portal/arquivos/pdf/tabela.pdf

Nesse link da tabela também constam as informações para registro:



2. Preencha e Imprima a GRU
(Guia de Recolhimento da União)
no site:
www.bn.br/eda
ou
www.stn.fazenda.gov.br
. Os campos a serem
preenchidos na GRU são:
●Código de Recolhimento:
28830
-
6
●Nome do Pagante
●CPF ou CNPJ
●UG:
Fundação Biblioteca Nacional
-
Código:
344042
/
34209
●Valor (R$)
(conforme a Tabela de Preços EDA)
3. Na impossibilidade de gerar o boleto de pagamento (GRU) pela Internet:
dirija
-
se a qual
quer agência do Banco do Brasil e efetue o
depósito bancário informando ao operador de caixa os seguintes dados:
●Transação:
210
●Opção:
7
●Cliente:
Conta Única do Tesouro Nacional
●Identificador 1:
3.440.423.420.928.830 6
4. Para Registrar obras intelect
uais devem ser entregues, NECESSARIAMENTE, os documentos abaixo relacionados:

Requerimento de Registro e/ou Averbação preenchido e assinado nos campos que referem ao(s) requerente(s) do Registro e à Obra

Intelectual;

Cópia do RG e CPF/CIC (para pessoa
física) e CNPJ (para pessoa jurídica) do(s) requerente (s);

Cópia do comprovante de residência do requerente principal, de acordo com os dados informados no Requerimento;

Comprovante original de pagamento (GRU paga);

Cópia do CPF e RG (para pessoa físic
a) do Representante Legal de Autor em situação de minoridade (de menor);

Uma (1) via da obra intelectual
;

A obra intelectual deve estar numerada na(s) página(s) e toda(s) página(s) deve(m) estar rubricada(s);

Solicitação de Registro via
procurador
deve
estar acompanhada da
Procuração original
(com firma reconhecida ou cópia autenticada)
devendo, na mesma, constar os dados:
endereço completo (com CEP), CPF e/ou CNPJ do procurador,
mais os dados do autor
representado;

Pessoa Jurídica deve apresentar cópi
a do Contrato/Estatuto Social, do CNPJ e da Ata de Constituição e/ou Assembléia;

Em caso de Cessão de Direitos, deve ser apresentada e entregue uma cópia do contrato de cessão.
5. Você pode encaminhar sua solicitação de Registro e/ou Averbação e/ou Servi
ços
da seguinte forma:
1. Presencialmente:
dirigindo
-
se ao Escritório de Direitos Autorais (FBN), situado à Rua da Imprensa, nº.16, 12º. Andar, Castelo, Rio de
Janeiro, CEP: 20030
-
120. Horário de 10 às 16hs de 2ª a 6ª feira.
2. Via Correio:
para encaminha
r seus documentos via correio, faça uso do endereço supracitado (acima). Dê preferência às modalidades
de envio registradas.
3. Via Postos Avançados:
esta modalidade de encaminhamento de documentos para registro, e outros, está disponível em alguns
Estados
brasileiros. Certifique
-
se sobre quais são os Postos Avançados pelo
site
:
www.bn.br/eda.

aline naomi disse...

Oi, Luna!
Com os cursos que está fazendo/pretende fazer, já terá uma boa base para atuar na área.
Fora esses, sugiro cursos de idiomas (se você se interessar), porque isso ajuda bastante, e também cursos avulsos de curta duração sobre literatura, revisão, tradução. Mesmo que não for atuar exatamente nessas áreas, terá mais noção de como elas funcionam.
E, sim, muita coisa também se aprende na prática - principalmente a resolver problemas que vão acontecendo ao longo do processo de edição de um livro...
Beijos e sucesso!

Bruna Ferracini disse...

Oi Aline !
Eu estava pesquisando um pouco mais sobre a carreira de editor e me deparei com seu post e adorei !
Eu estou no último ano do ensino médio e por cinco anos tudo o que eu queria era cursar Jornalismo, porém muitas dúvidas se formaram e me peguei pensando que sim, gostava de Jornalismo, mas não é algo que eu me vejo fazendo... Então conheci o curso de Produção Editorial e me apaixonei completamente :) haha Sou apaixonada por livros desde de pequena e quando descobri o curso de Produção Editorial me encantei por todas as etapas da produção de um livro. Fui visitar uma editora na minha cidade e me apaixonei mais ainda pelo mundo editorial, porém, conversando com o editor ele me sugeriu que eu cursasse o curso de Letras e não o de Produção Editorial. Conversei com mais um editor e este me sugeriu o mesmo. Bom, acho que você já deve imaginar que eu não faço a miníma ideia do que fazer ! Estou em dúvida com relação a escolha do curso adequado para a formação de editor. Você poderia me responder que curso cursou e o que você sugere. Muito Obrigado !

aline naomi disse...

Oi, Bruna!

Cursei Bacharelado em Tradução na Unesp. E não sei dizer se o conselho dos editores que você consultou está certo, mas a maior parte dos editores (até onde sei) são formados em letras, produção editorial ou jornalismo. Para mim, o ideal seria cursar letras E produção editorial (eu teria cursado produção editorial depois de tradução)... mas se fosse para escolher entre um curso e outro, eu faria tradução.
É que tenho a impressão de que em produção editorial, você domina, entre outras coisas, técnicas de produção. Em letras/traduçao, o curso é mais voltado para a linguagem (e línguas) e texto. As técnicas de produção acho que dá para correr atrás com cursos à parte, mas conseguir ter noção do que é um bom texto é mais difícil depois.
Mas essa escolha talvez tenha a ver com o tipo de objetivo que você tem no longo prazo também. Eu gosto muito de trabalhar com texto - confesso que se pudesse trabalhar apenas com isso (ser editora apenas de texto), eu preferiria. Se você tiver mais paixão pelas técnicas de produção do livro e se seu objetivo for controlar esse processo (não trabalhar exatamente com texto nem fazendo capas, mas cuidando para que tudo isso tenha qualidade),então recomendo o curso de produção editorial.
Espero ter ajudado!

Suzana Souza disse...

Oi Aline!
Eu vou prestar vestibular para Cásper Líbero em SP, pra jornalismo. Você acha que no futuro tem como eu me tornar uma editora?

aline naomi disse...

Oi, Suzana!
Com o curso de jornalismo você teria uma boa bagagem para seguir carreira de editora sim. Mas fica a sugestão de também estudar línguas estrangeiras (se ainda não tiver conhecimento de nenhuma) - mesmo se não for trabalhar como editora depois, isso será ótimo para a carreira de jornalista - e cursos avulsos na parte de editoração, como os oferecidos pela Universidade do Livro aqui em SP: http://www.editoraunesp.com.br/unil-home.asp
Se puder, faça também um estágio em uma editora ainda na graduação, assim poderá ter mais certeza de que rumo dar à sua carreira. Em geral os estágios não são bem remunerados, mas pela experiência valeria muito a pena!
Sei que parece uma avalanche de recomendações, mas é que depois as coisas ficam mais fáceis/menos difíceis quando for procurar um trabalho depois da graduação.

Bruna Ferracini disse...

Obrigado, Aline !
Ajudou muito.
O que eu quero realmente é trabalhar com texto, mas confesso que sou fascinada pelas técnicas de produção, pelos direitos autorais, enfim...
Mas acho que posso adquirir esses conhecimentos depois.
Você esclareceu muitas dúvidas, muitíssimo obrigado !
Posso pedir sua opinião sobre mais um coisa ? haha Sobre o mercado de trabalho, você acha que é um mercado difícil ou há boas possibilidades ?

aline naomi disse...

Bruna,
o mercado não é muito "fácil" para se entrar (existem muitas pessoas que querem trabalhar em editoras), mas não é impossível. Por isso, se puder fazer estágio em uma editora durante a graduação, mesmo que não ganhe muito financeiramente, é melhor. Assim, depois que se formar já terá alguma experiência e as chances de trabalhar em outras editoras aumenta.
Abraços!

Renata disse...

Oi Aline
sou formada em arquitetura e até trabalho na minha área mas não estou feliz. Como sempre amei livros comecei a pensar em trabalhar com alguma coisa relacionada, no caso numa editora. E procurando sobre cursos e informações achei seu blog e gostei muito da sua publicação.
Claro que pretendo fazer curso ou faculdade de editoração, mas gostaria de já trabalhar com isso agora, vocé acha que teria alguma chance de eu conseguir um trabalho em alguma editora sem uma faculdade da área específica?

aline naomi disse...

Oi, Renata, sinceramente, acho difícil você conseguir trabalho em uma editora sem nenhuma experiência nem cursos na área.
Por experiência, arquitetos podem se tornar excelentes produtores gráficos e/ou designers. A melhor designer que conheço é formada em Arquitetura na FAU e foi fazer uns cursos em design de livros em Londres.
Eu acho que a forma mais fácil de entrar na área é primeiro fazer pelo menos um curso relacionado à área de design, editoração ou letras (não sei em que área exatamente você pretende trabalhar; o mais natural seria design, mas nada impede que você vá para a parte que cuide do texto - só que, nesse caso, seria melhor fazer um curso específico de texto).

Heidy disse...

Olá Aline. Tudo bem?
Eu cursei 1 ano de "Letras - Tradutor" e acabei me transferindo para "Jornalismo" esse ano. Mas guardo essa paixão por livros, e passou pela minha cabeça a possibilidade de depois de formada trabalhar em uma editora de livros. Você acha que com essa formação é possível?

Obrigada desde já!
PS: Acabei de descobrir seu blog, procurando sobre o assunto e já vi que vou virar leitora assídua! ;)
Beijinhos.

Heidy

aline naomi disse...

Oi, Heidy!
Como você me mandou e-mail, respondi por lá! ;)

A medicada disse...

Aline, adorei tudo o que li no post.

Publiquei em um Editora por demanda, um livro com ilustrações do meu filho. Será que poderia opinar sobre ele? Se continuo ou não acreditando?

Grata. Yandra Lobato.

aline naomi disse...

Oi, Yandra,

posso dar uma olhada no livro, sim, mas gostaria que soubesse que, por não ter tannnta experiência ainda, minha avaliação e opinião serão parciais e limitadas.

Se quiser, pode enviar o arquivo (ou parte dele) para o meu e-mail: naomi(ponto)sassaki(arroba)gmail (ponto) com

aline naomi disse...

Obs: Yandra, como o livro está sendo distribuído e vendido? Uma boa divulgação também pode contribuir para o sucesso de um livro. Às vezes o livro é bom, mas ninguém conhece/ não se fala dele...

Bruna C. disse...

Oi, Aline, tudo bom?
Primeiramente, eu AMEI seu post, esclareceu muitas e muitas dúvidas que eu tinha sobre esse assunto. Tenho só 14 anos, mas já penso em meu futuro emprego e realmente gostaria de ser uma editora, mas eu queria saber que faculdade eu deveria fazer, tipo Letras ou alguma outra...
Obrigada pelo post ótimo e boa sorte no trabalho! kk
Beijos

aline naomi disse...

Oi, Bruna,
para ser editora, você pode estudar Letras, Tradução, Jornalismo ou Editoração, que são alguns cursos que podem ajudar bastante quando você for trabalhar. Melhor ainda, se puder, combine Letras, Tradução ou Jornalismo com Editoração, aí terá uma formação mais completa.
Te admiro muito por saber o que quer fazer com apenas 14 anos (até a véspera do Vestibular, quando eu tinha 17 não sabia exatamente o que estudar/o que eu queria ser, prestei Letras, Tradução, Jornalismo, Odontologia e quase prestei Biologia também! ;D).
Beijão!

Sandro B. disse...

Muito obrigado por ter escrito este post! Já vinha pensando em trabalhar nessa área, e fiquei ainda mais motivado!
Estou fazendo Letras numa faculdade de ensino à distância. Você sabe se as editoras têm algum preconceito quanto a isso? Ou será que a maioria já é mais cabeça aberta? Você já tinha experiência na área antes da sua primeira editora?
Obrigado! :)

aline naomi disse...

Sandro,
não sei dizer se as editoras têm algo contra profissionais formados a distância (embora eu não tenha amigos nem colegas que se formaram dessa forma trabalhando na área - pensando bem, não conheço ninguém que tenha se formado dessa forma!).
Quando comecei a trabalhar em uma editora, não tinha experiência como assistente/coordenadora editorial, apenas como tradutora e revisora. Trabalhei por um mês como revisora interna e depois disso passei a coordenar o departamento de tradução da editora (eu amava!).
Bons estudos e boa sorte!

Luiza A. disse...

Então... Olá, Aline!
Muito prazer, sou Luiza e tenho 14 anos, assim como a Bruna.
Há algum tempo tive vontade de trabalhar numa editora (... quando crescer) e, com isso, decidi me formar na área de Design Gráfico, há um ano. No entanto, há algum tempo também que tenho uma certa dúvida acerca de se poderia mesmo trabalhar numa editora, como queria. Hoje, fui pesquisar sobre isso no Google (oh, grande fonte de informações!) e vi que, sim, poderia.
Com isso, decidi procurar um pouco mais, como no que eu deveria me formar caso queira ser mesmo uma editora - e não apenas fazer a capa de livros - e achei seu blog!
Primeiramente, amei o post e fiquei bastante interessada! Ainda mais que vi uma parte leviana do trabalho de um editor no mangá/anime 'Bakuman', e confirmei tudo o que vi!
E segundo: além de Design Gráfico, eu também pretendia, caso pudesse, fazer ao mesmo tempo Letras e, depois, me especializar em alguma língua estrangeira como inglês ou japonês...
O que acha que devo fazer para poder trabalhar numa editora na edição de livros?
Obrigada antecipadamente!
Beijos!
Lu.
PS: Notei o segundo nome e o sobrenome no e-mail japoneses - em minha opinião O.O... É japonesa? *o*

aline naomi disse...

Oi, Luiza!
Desculpe a demora para responder. Esses dias estão meio insanos e corridos.
Primeiro de tudo, preciso dizer que estou impressionada por você ter só 14 anos e escrever sem erros de português e de forma clara! Parabéns! :)
Coincidentemente, também estou lendo o mangá "Bakuman", porque um amigo, fã de mangás, me emprestou. Algumas partes são meio monótonas, outras, bastante interessantes. Acredito que as editoras japonesas que só trabalhem com mangás funcionem daquele jeito mesmo. A pressão do público é importante para o sucesso de vendas de determinados mangás. Com editoras de livros a pressão não é tão grande, mas é preciso publicar livros que tenham um público em potencial e que vendam (caso contrário a editora, que também é uma empresa, não se sustenta, não tem dinheiro para pagar contas, funcionários e publicar novos livros). Ainda não terminei de ler, mas, em geral, estou gostando. Uma coisa que também notei no "Bakuman" e que é real é que os editores vão melhorando com o passar do tempo (tanto que o primeiro editor dos meninos era visivelmente melhor que o segundo, porque era editor há mais tempo).
Sou descendente de japoneses, sim! :) Mas ainda não sei falar/escrever fluentemente a língua dos meus avós. Ano que vem pretendo retomar as aulas e, quem sabe, no futuro, ser tradutora de literatura japonesa (meu sonho).
Sobre seu futuro profissional, se puder, se tiver condições, estude Letras e Produção Editorial ao mesmo tempo ou faça um curso e depois outro. Se não puder fazer os dois, faça estágios ao longo do curso (as editoras gostam quando a pessoa já tem uma experiência prévia... e também gostam de estagiários que sejam estudantes porque podem pagar um salário menor).
Acho que é isso. Se tiver mais perguntas ou se puder ajudar em mais alguma coisa, é só deixar um recado e responderei assim que possível.
Beijo,
aline naomi

Izabella Azevedo disse...

Olá Aline, que benção ter encontrado o seu blog com esse post! Estou cursando o terceiro ano do EM e estou naquela fase de decisão sobre o que cursar entende? Eu amo ler tudo, escrevo muito também, e tenho um blog literário, eu quero trabalhar em um editora, pois minha maior meta de vida é abrir uma, claro que sei que para isso levarei muitos anos para adquirir conhecimento e maturidade o suficiente. Mas enfim, a minha dúvida é: Qual curso devo fazer para poder trabalhar em uma editora? Eu levei meses pensando que era o Jornalismo, mas em pesquisas recentes descobri que na verdade os cursos mais apropriados para uma editora de livros, são Letras e Produção Editorial. Eu moro na Bahia e infelizmente Produção Editorial só tem em três faculdades do Brasil, que ficam em RJ, e SP. Então pretendo começar a cursar Letras ano que vem. Pretendo ingressar na melhor faculdade de Letras do meu estado (É federal) e estou estudando muito pra isso; desde o começo do ano. Enfim, gostaria muito de ter sua opinião sobre a questão do curso. Qual você fez, sua experiência no curso... Isso me ajudará muito. Amei o post, teu blog está nos meus favoritos. :)

aline naomi disse...

Oi, Izabella!
Estudei Tradução na Unesp (Universidade Estadual Paulista), porque eu queria ser tradutora literária, mas acabei indo trabalhar internamente em editoras - o que também gosto muito de fazer!
Como por aí não tem curso de Produção Editorial, Letras ou Jornalismo são boas opções. A maioria dos amigos e colegas que trabalha em editora estudou Letras, apenas um colega do MBA que estou fazendo estudou Produção Editorial (tem lógica, se considerarmos que o número de universidades que oferecem o curso de produção editorial é muito muito muuuuito pequeno em relação às que oferecem o curso de Letras ou Jornalismo).
Se puder, faça Letras e um idioma estrangeiro, tenho a impressão de que isso valoriza o currículo (em vez de estudar Letras/Língua Portuguesa ou Letras/Linguística - se seu foco fosse dar aula em universidade, talvez essas duas últimas opções seriam melhores).
E, sem querer te deixar ansiosa nem te desanimar, mas, mais para frente, se não conseguir trabalho na área editorial na Bahia (não sei quantas editoras existem no estado), talvez você precise se mudar para SP ou para o Rio, onde fica a maioria das editoras. Não sei se conhece a LP&M, que publica livros de bolso; ela é um editora gaúcha, fundada em Porto Alegre, mas recentemente anunciou que está se mudando para SP porque o maior público consumidor está no Sudeste e eles precisam gastar muito com frete para enviar os livros pra cá, então compensa mais produzir os livros aqui.

Anônimo disse...

Olá Aline,tenho 30 anos e nunca fiz faculdade por motivos pessoais,mais amo ler e quero muito trabalhar em uma editora,de preferencia ser editora chefe,ou fazer tradução literária,que faculdade vc me indica,letras potuguês/inglês ou tradução literária?
amei o seu Blog...

aline naomi disse...

Anônima,
não existe um curso específico para se tornar editora, mas entre Letras (Licenciatura) e Tradução, se puder escolher, eu acharia melhor Tradução, se não tiver a mínima intenção de ser professora. É que o curso de Letras (Licenciatura) inclui matérias pedagógicas e, na maioria dos cursos, você precisa fazer um estágio dando aula em alguma escola como estágio obrigatório. Se pretende seguir a carreira de editora, a meu ver, o tempo pode ser empregado para aprender outras matérias mais "úteis" para o seu objetivo. Existem cursos de Bacharelado em Letras, mas geralmente voltados para Linguística. Posso estar errada, mas acho que o curso de Tradução tem mais matérias relacionadas ao trabalho de um editor (em comparação à Licenciatura em Letras).
Jornalismo e Produção Editorial também são boas opções.
Abraço!

Cinthia disse...

Olá Aline.
Eu sei que o post aborda a Editoração, mas como você disse que começou trabalhando como revisora espero que possa me ajudar.
O que é preciso para ser uma revisora. Não necessariamente revisora "pós tradução" (acredito que após a tradução os textos passam por uma revisão geral, não?), mas, digamos, uma revisora final (para gramática, pontuação, etc.). É necessário ter cursado Letras, ou algum outro curso mais específico para isso?

Desde já agradeço e a parabenizo pelo post e pela gentileza de partilhar seus conhecimentos conosco.

aline naomi disse...

Cinthia,
todos os tradutores que conheci cursaram Letras, Tradução ou Jornalismo. Não posso afirmar que todos os revisores têm esse tipo de formação, mas são cursos que dão uma boa base para esse tipo de profissão. Na verdade, pelo que entendo por revisão, não existe apenas uma revisão ortográfica e gramatical; quando se revisa um texto, não importa se é a primeira ou a última, uma série de itens precisa ser verificada, por exemplo, se o texto está claro, se o que foi escrito em um parágrafo não está contradizendo o parágrafo anterior, se o texto não está muito prolixo, se alguma informação pode estar errada ou imprecisa etc.
Imagino que haja revisores sem ser formados especificamente em Letras ou Jornalismo e que, com anos de experiência, conseguiram se firmar no mercado, mas não é o que normalmente vejo. Também há a opção de se fazer um curso de pós-graduação em tradução, revisão ou língua portuguesa para ter mais chances de se trabalhar na área, caso tenha feito uma graduação que não tenha relação nenhuma com o trabalho de revisor.
Espero ter esclarecido a sua questão!
Abraço,
Aline

aline naomi disse...

Cinthia,
um post de que gostei muito sobre o trabalho de revisor é este:
http://esbocoserascunhos.blogspot.com.br/2013/04/as-virtudes-do-profissional-do-texto.html

Cinthia disse...

Oi Aline, era a esse tipo de revisão que que me referia e você esclareceu muita coisa, sim.
Eu me viro muito bem no inglês, mas não tenho domínio, por isso me interesso pela revisão secundária, até porque já faço isso. Há anos faço revisões de trabalhos acadêmicos e textos em geral; faço revisão de livros (traduzidos livremente por leitores) e já até fiz revisão de livros de amigas, e, como sou muito crítica e detalhista, penso que seria uma ótima opção para mim, além de poder estar fazendo algo que eu amo que é ler.
Como vc disse, minha graduação não tem nada a ver com e essas áreas, então vou ver se há na minha cidade algum curso de especialização para esse fim.

Outra coisa, você sabe se é possível fazer revisão à distância? Quer dizer, a editora enviar uma cópia por email para o revisor, ou isso não é utilizado? Pergunto isso porque, como você citou anteriormente, as grandes editoras estão reunidas entre Rio e São Paulo, então, quem mora fora desse circuito fica sem muita opção, a não ser, se mudar, não é?

Mais uma vez obrigada, adorei o Blog que você me indicou, é muito informativo e me tirou várias outras dúvidas.

Abço.

aline naomi disse...

Cinthia,

é possível trabalhar com revisão a distância, sim. Essa primeira etapa (tanto para livros traduzidos quanto para livros escritos em português) é chamada de "preparação de texto" ou "copidesque" ou "revisão de tradução". O arquivo do livro é enviado em arquivo Word, aí o preparador faz as alterações necessárias, deixando o controle de alterações do Word ativado (para que o autor e o editor saibam o que foi alterado do texto original). Depois disso, se o texto estiver ok, ele passa para a parte de projeto e diagramação (o designer faz alguns estudos com tipos e tamanhos de fontes e faz um levantamento sobre a necessidade de contratar ilustrador ou comprar direitos de fotos - isso também pode ser feito pelo editor, dependendo do caso). Depois que o projeto é aprovado, o livro é diagramado, ou seja, "formatado" do jeito que o livro será publicado mesmo. A partir disso, são necessários os revisores. Nessa etapa é mais comum as editoras enviarem o trabalho (uma "prova" impressa do livro) para um revisor que resida na cidade onde fica a editora, por uma questão de tempo; às vezes pode ser solicitado que o revisor retire e entregue o material pessoalmente (em vez de enviar por correio ou por motoboy), para que ele não se perca nem seja danificado. Dependendo do livro, ele passa por vários revisores, que sempre revisam sobre a prova impressa que vão sendo geradas (primeira prova, segunda prova, terceira prova... quantas forem necessárias até o livro estar em condições de ser publicado).

Anônimo disse...

Oi Aline,vc sabe me dizer se fazendo um curso de publicidade eu posso trabalhar em uma editora? Trabalhando na parte de marketing ou algo parecido?
Agradeco desde jah...

aline naomi disse...

Anônimo,
sim, em geral, as editoras de porte médio e grande contratam pessoas formadas em marketing (ou com experiência na área) para elaborarem as campanhas de divulgação dos livros e/ou organizarem eventos de lançamento, mas nem todas as pequenas contratam pessoas especializadas, pois isso exigiria pagar um salário maior que muitas vezes não cabem no orçamento delas.

Poisoned Heart disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana disse...

Olá Aline!
Bom, eu tenho 16 anos e meu nome é Mariana, sempre tive essa vontade de trabalhar em editora sabe, eu sou apaixonada por leitura e fiquei com mais vontade ainda depois de ver um certo anime chamado Sekai Ichi Hatsukoi, ok, dizendo isso pareço aquelas garotinhas sonhadoras, e é o que exatamente sou, mas quero levar isso MUITO a sério.
Eu comecei a fazer o primeiro ano agora e até o dia de hoje eu não sabia o que fazer na minha vida, como eu disse sempre tive essa vontade de trabalhar em editoras mas não levava a serio, de repente me deu um estalo e eu percebi que estava fazendo da minha vida um horror me preocupando com coisas das quais eu não deveria me abater então depois de uma conversa com uma amiga minha eu cheguei à essa conclusão. Eu queria lhe perguntar como eu começo, quais cursos devo fazer, qual faculdade seria a mais apropriada. Eu sei que existem vários cargos dentro de uma editora e estou pesquisando fervorosamente por isso para ver em qual eu me encaixo, você poderia me ajudar?
Eu vi aqui um curso de graduação em publicidade, pra mim seria ótimo, também tem essa área dentro de uma editora não é?
Eu só sei que preciso usar os dons me que foram dados de uma forma que eu me sinta bem, por mais que o caminho seja muito duro, eu prefiro trabalhar em um emprego que eu sempre quis mesmo com um salario não muito bom do que ser infeliz em um emprego com o salário muito alto.
Já vou logo agradecendo, desculpe algum incômodo.

Laura disse...

Aline, gostei muito do seu post, já que tenho o objetivo de trabalhar em uma editora futuramente. Pretendo cursar a faculdade de letras(bacharelado), mas ainda estou no primeiro ano do ensino médio e sei que fazer um curso técnico ajuda na hora de conseguir um emprego em uma editora. Eu gostaria de saber se o curso de administração ou comércio ajuda no currículo.
Eu faço curso de inglês e já domino a língua, mas também pretendo fazer curso de francês.
Beijos!

Laura disse...

Olá!
Eu gostei muito do seu post, já que quero trabalhar em uma editora futuramente. Pretendo fazer faculdade de letras(bacharelado), mas ainda estou no primeiro ano do ensino médio e tenho a oportunidade de fazer um curso técnico. Gostaria de saber se os cursos de administração ou comércio ajudam no currículo.
Beijos!

Anônimo disse...

Olá Aline
Gostaria que me desse sua opinião, se possível.
Você acha que daqui alguns anos a carreira de editor, de livros por exemplo, pode estar em baixa? Pelo fato de nao ser considerada uma "carreira do futuro", ou seja, não fazer parte das áreas que envolvem tecnologia, de forma geral,como engenharia ou até mesmo medicina. Mesmo com os audio-books e os e-book, tenho um certo receio de fazer o curso e não conseguir arrumar um bom emprego futuramente, já que estou no último ano do ensino médio.
Agradeço desde já.

Carina disse...

olá. eu faço jornalismo mas estou realmente pensando em fazer letras. além claro de ter ingles (e mais outras línguas) vc acha que ficaria mais fácil para entrar nesse "mercado de livros das editoras" eu fazer letras também? ou cursos livres seriam suficiente?

obrigada pelo post!

Thaís Sousa disse...

Olá, já estou no último ano do Ensino Médio e estou completamente decidida de que quero ser editora, desde o inicio desse ano estou focada em fazer Produção Editorial, mas ultimamente estou pensando na opção de cursar Letras, pois só há 3 faculdades de Editoração aqui em São Paulo já Letras tem um leque de faculdades bem maior.Estou muito em duvida se fazendo Letras vou ter uma formação tão boa para ser editora quanto teria fazendo o curso especifico de Editoração.
E ótimo post o seu!

aline naomi disse...

Desculpem por demorar tanto para responder os comentários! Minha vida estava realmente corrida, e eu não conseguia entrar no blog.

Vejam as respostas abaixo.

aline naomi disse...

Mariana,

sim, nas editoras existam vários cargos e também para quem estuda publicidade (geralmente faz parte do departamento de marketing, que bolam as campanhas para venda dos livros em diversos tipos de mídia: site, revistas, mídias sociais - não sei se é bem isso que você gosta de fazer).

Não existe um curso "certo" para ser editor (o editor com quem trabalho e que tem quase 30 anos de experiência com publicação de livros, por exemplo, estudou Ciências Sociais e fez pós-graduação em Ciências Políticas - o que ele precisou aprender sobre publicação, aprendeu na prática e com cursos avulsos, que hoje em dia existe bastante), mas, pelo que tenho visto, a maioria das pessoas que trabalham com edição de livros (cuidam da parte de texto e às vezes supervisionam a parte de arte/design) estudou Letras. Cursos como Jornalismo e Editoração são ótimos para dar uma base, mas muita coisa se aprende na prática mesmo.

Abraços!

aline naomi disse...

Laura,

os dois cursos técnicos (administração e comércio) seriam bons para você conseguir um estágio ou um trabalho em editora, enquanto não faz uma faculdade mais direcionada para trabalhar no departamento editorial - que acho que é o que você pretende?

Se fizer administração, pode trabalhar no Departamento Financeiro ou de Contas, por exemplo. E (acho) que comércio seria mais direcionado para técnicas de vendas dos produtos da editora. Talvez eu esteja falando bobagem, mas é essa a ideia que o curso técnico de comércio me passa.

Se fosse para escolher, acho que eu faria administração - como não tive absolutamente nenhuma matéria na vida relacionada a isso, fui fazer um MBA em Gerenciamento de Projetos (MBA é administração) e vi que há muitas matérias no curso que ajudam a ter uma visão mais ampla de como organizar uma empresa.

Beijo!

aline naomi disse...

Anônimo,

você levantou uma questão interessante!

Li algumas matérias já faz um tempo questionando o papel do editor no futuro, já que estão surgindo e-books e outras tecnologias no mundo editorial (que até poucos anos atrás era intocável - o livro era feito em papel e não havia outra forma de fazê-lo / fazê-lo com outro tipo de suporte).

Sinceramente, não sei responder a profissão de editor vai desaparecer daqui uns anos. Mas sei que o editor faz um papel importante dentro da empresa e do mercado, pois ele é responsável, principalmente, por selecionar livros que serão publicados e que podem ser de interesse para as pessoas e por analisar criticamente o livro antes de ser publicado e sugerir melhorias quando necessário (a maioria das pessoas nem imagina, mas livros escritos por escritores nacionais, em geral, precisam de muitos ajustes para se tornar publicável - erros de português em todos os níveis são "normais", então há todo um trabalho que precisa ser feito, caso o livro apresente um tema interessante e que valha a pena ser publicado).

Eu chuto (bem chutômetro mesmo) que editoras e editores vão continuar existindo, porque o público precisa dessa pré-seleção - eu, por exemplo, gosto muito de ler livros de literatura da CosacNaify, Cia. das Letras, Alfaguara, tanto porque essas editoras publicam livros que me agradam e também porque tenho uma certa garantia de que se o livro não for tão bom, péssimo também não vai ser. Hoje em dia é mais comum autores publicarem livros sozinhos (sem editora), eles simplesmente pagam para que uma empresa faça o livro para eles - aí quem manda não é a qualidade, mas o dinheiro. Quem tem dinheiro, publica. Como cada vez mais gente está se autopublicando, um nicho para os editores pode ser trabalhar com esse tipo de público - o editor (vinculado ou não a uma editora) pode orientar autores novos sobre como melhorar o livro e cuidar da produção deles. Na editora onde trabalho atualmente existem alguns editores que fazem esse tipo de trabalho - aí enviam os arquivos prontos do livro e só tenho o trabalho de enviá-los para a gráfica (quando eu cuido da produção internamente, preciso estar atenta a tudo: se o texto está bom, se a organização do livro (sumário antes da apresentação, índice no final do livro, dedicatória no lugar certo, se as informações na página de crédito estão corretas etc etc).

Concluindo: eu ACHO que sempre vai ter lugar para editores, sim, mas talvez seja necessário adaptar a profissão às circunstâncias (como editor de e-books, por exemplo, que precisará ter uma noção muito boa de como esses livros são feitos e de como podem ser comercializados, divulgados...).

Mas é claro que há outras profissões com um futuro muito mais "seguro" (as profissões tradicionais: medicina, engenharia, direito) do que a de editor. Então é uma questão de escolha mesmo. Como ser editora não é algo que sempre quis fazer, se por acaso meu palpite não for o certo, se a profissão meio que acabar daqui uns anos/algumas décadas, ainda assim, poderei trabalhar como tradutora (que, na verdade, é o que eu queria quando entrei na faculdade :).



aline naomi disse...

Carina,

se estiver gostando de jornalismo, talvez não valha a pena mudar de curso!

Pelo que já vi, jornalistas também trabalham em editoras de livros (principalmente no Rio de Janeiro).

Se tiver certeza de que não quer trabalhar como repórter, redatora, radialista, talvez seja o caso de mudar para Letras (ou outro curso que também tenha a ver com texto).

Abraços,
Aline

aline naomi disse...

Thaís,

dependendo do que você quer, um curso pode ser melhor que outro.

Se seu foco for mais texto, acho que Letras é melhor. Se seu objetivo for mais cuidar da parte "estética" do livro (arte, tipo de papel, design) e conhecer isso a fundo, produção editorial é melhor.

Nada impede que você faça um dos cursos e trabalhe tanto com texto quanto com produção, mas se já tiver uma ideia mais específica do que gosta de fazer, talvez seja melhor focar desde já.

Abraços.

Anônimo disse...

Olá, Aline!

Queria saber se posso enviar um e-mail para você com dúvidas sobre oportunidades de carreiras em Editoras e outros meios. O motivo de não enviar num comentário é a infinidade de dúvidas e as explicações mais precisas para o meu caso.

Desde já agradeço por compartilhar informações tão úteis no post.

Bruna R

Anônimo disse...

Oii...
eu achei seu blog agora e adorei, eu quero mto trabalhar como editora e vi que vc disse que eu posso cursar letras - tradução e já até prestei vestibular,mais eu queria saber é necessario ter o ingles para fazer essa faculdade, pois eu pretendo começãor o curso agora

thandara

Fernanda Passos disse...

Eu não estava certa de qual rumo dar pra minha vida, e após ler esse post acho que tenho uma certeza. Sorry, mom!
Só sei que quero revisar/traduzir livros, fazer basicamente o que você disse, mas sem a parte artística, sabe? Não sou boa nisso. Mas não sei qual faculdade deveria cursar, letras ou jornalismo? Ou talvez nenhum dos dois haha
http://nuvensdecrepom.blogspot.com.br/

Marina Carneiro disse...

Gostei do post!
Cheguei aqui, porquê resolvi pesquisar a respeito do ramo. Vou começar a cursar letras no próximo semestre, mas não tenho a intenção de lecionar. Depois de anos matutando, cheguei a conclusão de que deveria trabalhar com minha grande paixão: livros.
Então, percebi que não fazia ideia de como a área funcionava...
E continuo perdida, sem saber por onde começar.

Se você tiver dicas pra alguém que está totalmente fora desse mercado. Por onde começar/procurar e tudo o mais, eu aceito de bom grado!

Marina Carneiro disse...

Funcionava não, né. Funciona.

aline naomi disse...

Thandara,
você precisa verificar com a faculdade se é necessário ter inglês para estudar tradução. Algumas faculdades pedem algum nível de conhecimento do idioma.
Onde estudei colegas que estudaram inglês (eu estudei francês e italiano) comentavam que os professores já pressupunham que os alunos tinham determinados conhecimentos e precisavam escrever trabalhos em inglês e também apresentá-los em inglês, mas isso depende muito de onde você for estudar.

aline naomi disse...

Fernanda,
letras ou jornalismo ou editoração. O trabalho real de editora você vai mesmo aprender na prática, mas é importante ter alguma base.

aline naomi disse...

Marina,
recomendo você conseguir um estágio em alguma editora assim que puder, assim poderá saber se é isso que realmente quer ou não. Se gostar da área, depois de se formar, já vai ter também experiência e as portas vão se abrir mais facilmente. Acho que é a única dica "prática" em que consigo pensar no momento. Além de estudar línguas, procurar fazer cursos ou assistir a palestras relacionadas à área de publicação sempre que possível.


Marina Carneiro disse...

Muito obrigada pela dica, Aline! É realmente uma ideia muito plausível.
Vou procurar fazê-lo.
Te desejo boa sorte. <3

Giulia Urizzi disse...

Oi, tudo bem, adorei seu post. Tenho 16 anos e queria muito trabalhar com livros. Mas, como a maioria das pessoas, não sabem como é em uma editora até entrar lá. Como já li você escrever " a maioria das coisas se aprende na prática". Quero saber se vou ter que me mudar para SP/Rio para trabalhar ?(sou do interior de sp)
Como é o seu dia-a-dia? É todo dia a mesma coisa lá, você trabalha muito o dia todo e ainda leva trabalho para casa? O salário compensa?
Obs: estou pensando em fazer produção editorial e/ou tradução.
Você me ajudaria muito. Obrigado.

ORKUT disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiza A. disse...

Olá de novo, Aline!
Depois de meses estou voltando ao seu blog! Decidi rever sua resposta porque não lembrava exatamente qual tinha sido seu conselho; agora que a reli, gostaria de fazer uma pequena pergunta: qual parte de Letras, exatamente, eu poderia cursar? Não tenho a mínima atração por Jornalismo, embora goste muito de escrever e, inclusive, seja uma autora de fanfics (já ouviu falar? Se não ouviu, é um termo para designar histórias ficções criadas por fãs, geralmente em cima de uma obra já criada).
Obrigada pelo elogio à minha escrita, afinal, como disse, sou uma autora e escrever de forma clara e com o mínimo de erros ortográficos e gramaticais fazem parte do negócio. E devo acrescentar que me orgulho deste fato - escrever sem erros gramaticais, e etc. Será que ainda continuo escrevendo assim? Faz tempo que não revejo as regras... E também tirei uma nota regular na minha última prova de português, haha. Porém, a nota de português acabou sendo abafada pela nota de redação, que ainda estou incrédula que fui capaz de tirar essa nota, um 10,0, junto na matéria mais difícil de redação: Dissertações.. Mas, enfim, não importa.
E, quase me esqueci, voltando ao assunto de 'futura carreira profissional', a Produção Editorial é um curso dentro ou fora da faculdade? Como poderia arranjar estágio em alguma editora? Acabei ficando com essas dúvidas também...
Sei que ainda está um pouco cedo para pensar nessas coisas - inclusive que irei entrar no Ensino Médio esse ano ainda -, mas é sempre bom planejar com antecedência. Além do mais, tenho conhecimento de que sou muito indecisa, então é bom saber o máximo que puder para que, com o acúmulo de informações, eu possa ser capaz de decidir se quero mesmo seguir carreira.
Tente voltar às aulas de japonês, sim! Adoraria ler uma obra traduzida por você :D E, talvez, possa ser minha sensei e me ensinar também! Com o decorrer do tempo, tive, sim, vontade de estudar a língua japonesa, mas estudar sozinha não dá muito certo, e como já faço curso de inglês, não teria como fazer outro curso agora... Mas ainda aprenderei! Dê o seu melhor nas aulas!
Quanto ao Bakuman... Estou montando a coleção dos volumes de mangá, ainda faltam 11... Realmente tem partes que são chatas - e perdi a vontade de ler por enquanto justamente por causa disso -, mas, em si, é uma grande obra! Mostra também o que os futuros mangakás terão que enfrentar algum dia, rs.
E... Acho que é isso.
Obrigada novamente, Aline, e foi realmente um prazer! ^^
Beijos,
Lu.

Sandy Gonçalves disse...

Eu tenho 12 anos e meio e quero muito ser uma esditora de livros e revistas, mas estou com muitas dúvidas, pois não consigo obter muitas informações tratando-se de trabalhar em uma empresa editora. Sempre estão se relacionando sobre escrever e publicar um livro. Gosto muito de escrever, mas não é isso que quero fazer. Preciso saber que cursos devo fazer, informações básicas, porém necessárias.

aline naomi disse...

Oi, Giulia,

provavelmente você precisará se mudar para SP ou para o Rio se quiser trabalhar em uma editora, sim. Se tiver sorte, pode conseguir trabalhar em cidades do interior, mas, em geral, as editoras se concentram nessas duas capitais (e também em Porto Alegre - apesar de que li no ano passado que a LPM, uma das maiores editoras gaúchas, vai se mudar para SP, por causa dos custos de se produzir livros lá e precisar enviar uma grande parte para o sudeste).

Meu dia a dia na editora, em geral, é bastante corrido, pois faço uma série de coisas (a editora em que trabalho é pequena), mas talvez nas editoras maiores o trabalho seja mais tranquilo, pois o trabalho é melhor dividido entre os profissionais. Às vezes levo trabalho para casa, sim. E, às vezes, também pego trabalho de outras editoras para fazer em casa.

Sobre salário, não tenho do que reclamar atualmente, mas, no início, para mim, foi um pouco difícil (eu precisava necessariamente fazer trabalhos em casa para conseguir pagar todas as contas).

Um conselho que sempre dou é: quando estiver cursando Tradução ou Produção Editorial, procure fazer um estágio na área. Só assim será possível ter certeza de que é realmente isso que você quer para a sua vida profissional. Algumas pessoas amam, outras preferem migrar para outras profissões...

aline naomi disse...

Oi, Luiza,

não sei o que recomendar dentro do curso de Letras - acho que depende mais do que você gosta (estudei com colegas que gostavam mais das partes teóricas, como linguística e teorias da comunicação, outros que preferiam estudar mais literatura ou se debruçar sobre tradução). Eu gostei muito de fazer tradução, pois gosto de trabalhar com idiomas e aprender sobre culturas diferentes e visões diferentes de mundo.

Sim, o curso de Produção Editorial é um curso universitário. Em SP, os cursos da USP (universidade pública) e o da Anhembi-Morumbi (particular) parecem ser os melhores. Seria legal se você conseguisse entrar em contato com alguém que fez ou faz o curso (infelizmente não conheço ninguém para te indicar) para ter mais informações.

Sobre estágio em editora, não tem jeito, você vai precisar correr atrás, enviar currículos e contar com um pouco de sorte.

Beijos!

aline naomi disse...

Oi, Sandy,

quando eu tinha a sua idade não tinha a menor ideia do que eu queria fazer quando crescesse... :)

Como você ainda é bastante nova, para agora, recomendo que você estude inglês (se é que já não estuda) e, se conseguir, outras línguas também. Independentemente de seguir carreira como editora ou não, isso pode ser muito bom para você no futuro.

Depois do Ensino Médio, você poderá estudar algum curso relacionado com a área. Não é regra, mas várias pessoas que conheço que trabalham em editoras são formadas em Letras, Tradução, Produção Editorial ou Jornalismo. Mas também já vi editores com formações diferentes dessa (o editor com quem trabalho atualmente é formado em Ciências Sociais, por exemplo). Não existe curso superior específico para quem quer se tornar editor, pois a profissão requer um pouco de conhecimento de várias áreas, no entanto, creio que os cursos que dão bastante bagagem sejam esses mesmos (Letras, Tradução, Produção Editorial ou Jornalismo).

aline naomi disse...

Pessoal,

em breve vou abrir um blog só de assuntos editoriais, já que as pessoas parecem ter várias dúvidas. Será um espaço para podermos conversar mais sobre vários assuntos relacionados à área e lá colocarei informações que talvez sejam úteis para mais gente também.

As coisas estão meio corridas para mim ultimamente, mas deixarei um aviso sobre o novo blog aqui quando ele estiver no ar.

No mais, obrigada pela visita.

Naira Costa disse...

Naomi-san arigatou pelo post,realmente me elucidou bastante em relação a trabalhar em uma editora.Sendo assim irei procurar fazer os cursos que você indicou,só estou na dúvida mesmo de qual faculdade seria a ideal para trabalhar na área de edição.faz pouco tempo que resolvi entrar nesse mercado,não tenho nenhuma experiência e na verdade nem sei por onde começar.Mas obrigada pelas dicas!Foram realmente muito valiosas.

Beca Fleury disse...

Olá!!!


Tudo bem?
Sou formada em Letras e Jornalismo. Você conhece algum curso para que eu possa ter mais conhecimento sobre a área de Edição?
Ou você acha que possível conseguir emprego como assistente editorial com minha formação?
Beijos

aline naomi disse...

Olá, Beca.
Com a sua formação já seria possível encontrar trabalho em editora. Se não tiver nenhuma experiência, provavelmente você começaria como assistente editorial e depois avançaria nos cargos.
Se estiver no Rio, sei que a FGV oferecia um curso de especialização em publishing management (tentei encontrar a página no site da FGV, mas não estava disponível; você precisaria entrar em contato com eles para saber quando é a próxima turma) e sei também que em 2013, em São Paulo, a CBL em conjunto com o editor Carlos Carrenho ofereceu o curso "Publisher: o livro como negócio", mas ainda não ouvi falar nada sobre a abertura de novas turmas para este ano: http://publishnews.wordpress.com/publisher/. Em BH também há um curso de pós graduação: http://blogs.una.br/pos/curso/pos-graduacao-em-projetos-editoriais-impressos-e-multimidia/ (mas esse curso, na época, eu não achei muito bom com base nos currículos e experiências dos professores - agora eles não disponibilizam mais, mas lembro que nem todos os professores tinham experiência na área, nem mesmo a coordenadora do curso, o que, para mim, é um pouco estranho). Se puder/tiver disponibilidade para fazer outro curso de graduação, o curso de editoração da USP parece ser a melhor opção: https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/listarGradeCurricular?codcg=27&codcur=27011&codhab=302&tipo=N. A Anhembi-Morumbi de São Paulo também oferece um curso que parece ser muito bom: http://portal.anhembi.br/estude-aqui/graduacao/cursos/producao-editorial-com-enfase-em-multimeios/

Como não estava conseguindo encontrar um curso de pós-graduação bom em São Paulo, em 2012 acabei iniciando um MBA de Gestão de Projetos na FGV, que é um curso mais genérico (serve para qualquer área - o que tem seu lado positivo, mas também negativo, pois o mercado editorial é meio específico, mas o curso, em geral, valeu a pena).

Espero ter ajudado!

Arte abstrata disse...

Aline,

Estou encantada com esta profissão que descobri agora. Estou cursando Letras e tenho o sonho de ser revisora de textos. Trabalho em uma escola, pois sou formada em Pedagogia, mas curso Letras no 3° período. Eu decidi que é isto que eu quero fazer para o resto da minha vida e sinto que me encontrei. Faço um curso bem simples de Revisão e Copidesque, mas quero me especializar mais nesta área. Moro no Rio de Janeiro. Você teria algumas dicas de cursos para mim?

Arte abstrata disse...

Aline,

Estou encantada com esta profissão que descobri agora. Estou cursando Letras e tenho o sonho de ser revisora de textos. Trabalho em uma escola, pois sou formada em Pedagogia, mas curso Letras no 3° período. Eu decidi que é isto que eu quero fazer para o resto da minha vida e sinto que me encontrei. Faço um curso bem simples de Revisão e Copidesque, mas quero me especializar mais nesta área. Moro no Rio de Janeiro. Você teria algumas dicas de cursos para mim?

Fabi disse...

Oii! Me identifiquei com algumas coisas!
Estou cursando licenciatura em Letras e percebi, obviamente, que é tudo voltado mais para a docência.
Queria saber se mesmo eu cursando "apenas" licenciatura eu conseguiria atuar na área de produção editorial e/ou até mesmo tradução? Ou é necessário Bacharelado para isso?
Penso em fazer uma especialização em produção editorial ou tradução, pois essas duas áreas me atraem e tenho medo de não conseguir emprego me tornando licenciada em Letras.

Obrigada! :)

aline naomi disse...

Oi, Fabi!
Conheço várias pessoas que fizeram Letras - licenciatura - e trabalham em editora.
Na minha opinião, é melhor você fazer uma pós em produção editorial ou em tradução depois que se formar. Ou talvez outra graduação em produção editorial. É que depende muito do foco que você prentende dar a sua carreira. Se pretende ser principalmente tradutora, talvez não compense fazer outra graduação.

Abraços,
Aline

Anônimo disse...

Oi Aline,
Realmente adorei o seu post, gostaria se saber se tem idade para ser uma editora, pois já estou com 26 anos e sou formada em RH, teria que começar do zero, e pelo que vi a caminhada é longa, será que ainda posso ter sucesso nessa profissão? Que graduação poderia fazer? Pode ser sincera, rsrsrsrs.

Obrigada!

Ladyane.

aline naomi disse...

Ladyane,

por favor, leia esse post que escrevi no meu outro blog sobre publicação, livros e assuntos editoriais:
http://alineinbookland.blogspot.com.br/2014/02/quero-ser-editora-o-que-devo-estudar.html

Nunca é tarde para começar a trabalhar no que se gosta. Como você já é formada, talvez valha mais a pena fazer cursos de especialização e/ou mestrado na área de letras ou jornalismo ou produção cultural ou literatura (entre outras áreas afins).

Abraços,
Aline

Fabi disse...

Entendi, Aline! Mas aí no caso, se eu optar por tradução, a licenciatura não me dará a "formação necessária", não é? Como eu poderia me especializar sem uma nova graduação?

Obrigada novamente, boa semana :)

aline naomi disse...

Fabi, dependendo do ano que você estiver cursando de Letras - licenciatura (se estiver no último ano, por exemplo), acho que é melhor terminar esse curso/se formar e fazer uma especialização depois. Se estiver no 1º ou 2º ano, aí você precisará decidir se vale realmente a pena continuar ou começar outro curso que você ache que tenha mais a ver com o cargo que gostaria de exercer em uma editora.
Eu havia entendido que você ia terminar a licenciatura de qualquer forma...

Maria Carolina disse...

tenho 16 e estava meio indecisa e vc esclareceu bem, minhas duvidas obriadão!!!!

Naty Cunha disse...

Olá Aline, parabéns pelo post eu simplesmente adorei. A 4 anos tinha a certeza que fari Administração de empresas, mas ai na semana passada conheci Comunicação social: Produção Editorial e me apaixonei! Agora earou dividida e com muitas dúvidas, mas a sua postagem me tirou muitas, ainda não tenho certeza do que ireo fazer, só sei que amo livros e adoraroa trabalhar com eles, mas ainda não domino nenhuma lingua e nãp gostaria de fazer letras e nem jornalismo. Confesso aue seria um sonho trabalhar em uma editora :)

aline naomi disse...

Obrigada pela visita, Maria Carolina e Naty!

Anônimo disse...

olá Aline meu nome é jaqueline atualmente faço gestao de recursos humanos mas me decepcionei então fiz um teste vocacional caiu jornalismo mas sou muito timida eu gosto muito de lê livros sera que letras é uma boa!me mande um a resposta por email pois nem sempre visito o blog obrigado
ps jaky_purcena@hotmail.com

Rah sousa disse...

Ola Aline!!
Me Chamo Raissa e quero muito lhe parabenizar por essa ótima matéria.
Estou no ultimo ano do Ensino Médio, e mega confusa em decidir qual faculdade fazer, já quis ser nutricionista, engenheira, jornalista e etc... Mas ultimamente estou fascinada pela área Editorial, desde uns dois anos pra cá, não consigo me imaginar em outra profissão.
Porém, pela falta de informação e por não ter nenhum contato com alguém dessa profissão, não fazia a miníma ideia de qual faculdade estar relacionada a essa área.
Seu post respondeu uma infinidade de duvidas sobre esse assunto. E meu deu forças para insistir nessa maluquice minha, mesmo tento um milhão de dificuldades que terei de enfrentar.
Muito obrigado mesmo e gostaria se possível q me respondesse uma questão. Para se trabalhar em editora o certo é eu escolher LETRAS?

aline naomi disse...

Olá, Raissa.

A maioria das pessoas que conheço e que trabalha em editora (como assistente editorial e editora) é formada em letras. Mas nada impede que você estude jornalismo ou produção editorial (ou outro curso) também.

Dá uma olhada nesse post no meu outro blog:http://alineinbookland.blogspot.com.br/2014/02/quero-ser-editora-o-que-devo-estudar.html

Abraços!

Taynara Luiza disse...

Boa tarde Aline,
Tenho 19 anos, sou casada, é isso mesmo, casada rs. Por isso tenho uma pequena dificuldade de terminar os estudos, pois como muitos falam "Vida de gente casada não é fácil" mas estou me esforçando e terminando o ensino médio e dando de cara com uma série de profissões que me atraem, mas Letras e Psicologia me encantam e lendo sua publicação me deixou mais intrigada ao fato de fazer parte de uma editora, meu sonho sempre foi trabalhar numa, e como amo livros, sinceramente não me vejo sem esses lindos(livros kk). Enfim, gostaria muito de sua opinião pois pelo o que vi você trabalha em uma editora há um ano se não me engano, gostaria que informar-se os prós e contras (se não for pedir demais) sei que é um mercado difícil, mas gostaria de saber por que realmente vale a pena seguir esta carreira e nada melhor do que alguém que já esta nela para responder. Aguardo ansiosamente sua resposta, bjs Taynara L.

Ana Carolina Hey Ana disse...

Olá! Bem, eu sou bem jovem, mas já me interesso pela área editorial (Especialmente Revisão) por conta do meu amor pela leitura e meu gosto por corrigir erros de português (Sim, eu sou um pouquinho chata nesse quesito haha)Mas eu moro em Goiás, em uma cidade pouco conhecida e nem um pouco perto de qualquer editora, penso eu, e eu fico pensando: É obrigatoriamente necessário morar na cidade de uma editora para trabalhar como revisora? Pode parecer uma dúvida besta, mas eu gostaria de saber, pois não quero me mudar, mas sonho em trabalhar nessa área!
Aguardando sua resposta. Amei o Blog! Bjs

Gabriela Alves disse...

Olá, encontrei seu blog e seus textos sobre a área editorial me ajudaram muito. Estava cursando História, porém senti que a carreira não era para mim e então, lá fui eu para o Sisu novamente. Dia 11 começo a fazer Com. Social na UFRJ e uma das habilitações é em Produção Editorial, o que pretendo seguir. Depois, pretendo fazer uma especialização em Tradução (se tiver condições, na PUC-Rio).
Estou no caminho certo, ou deveria repensar e optar por Jornalismo, ou mesmo mudar para Letras, e só depois fazer uma especialização em Editoração?
Obrigada por tratar do assunto. É difícil encontrar textos e vídeos falando sobre essa área.

aline naomi disse...

Taynara, para a maioria das pessoas que quer entrar na área, é difícil (não vou mentir); porque há muitas pessoas querem trabalhar em uma editora, mas não existem tantas assim. E difícil também porque, em geral, nas pequenas e médias editoras, os salários não são exatamente bons (vira e mexe vejo editoras pagando entre R$ 1.000 e R$ 1.500 em SP ou no Rio para assistentes editoriais, para trabalhar de segunda a sexta, das 8h às 18h, com acúmulo de funções - uma assistente editorial quase sempre também faz várias outras coisas, traduz, revisa, faz compras de serviços terceirizados, elabora relatórios diversos...).
Apesar disso, para mim, está valendo a pena.
Trabalho em editora desde 2009 (esse é o meu sexto ano de trabalho nessa área).
Abraços,
Aline

aline naomi disse...

Ana Carolina,
não será impossível você trabalhar como revisora para editoras aí, mas, por experiência, creio que será mais difícil - por vários anos tentei trabalho como tradutora e revisora free-lance em editoras de SP, sendo que eu morava em São José dos Campos (fica a mais ou menos uma hora de SP) e não conseguia; as coisas só começaram a acontecer quando vim morar definitivamente em São Paulo mesmo. Se você estiver mesmo a fim de trabalhar na área, talvez seja preciso se mudar para SP ou para o Rio.
Mas tudo depende um pouco de sorte também. Se você for uma boa profissional e a editora gostar do seu trabalho, você poderá trabalhar aí e enviar os trabalhos pela internet.
Independentemente disso, sugiro que estude bastante e se informe sempre sobre a área para não perder chances de entrar no mercado no futuro.

Abraços,

Aline

aline naomi disse...

Gabriela,
acho que você fez uma excelente escolha!
Se quer trabalhar em editora, o curso de editoração dá muito mais base para isso do que jornalismo (não sei se já comparou a grade dos cursos).
Uma especialização em tradução posteriormente será um ótimo complemento para o seu currículo, além de te dar oportunidade de trabalhar também como tradutora (e não apenas como editora) e ter um olhar mais crítico em relação a tradutores que eventualmente você precise contratar caso trabalhe internamente em uma editora.
Acho sua escolha boa porque, depois, para se especializar em tradução é menos difícil do que se especializar em editoração (pelo menos em SP não há cursos de pós-graduação em editoração - eu já procurei e os que oferecem não me pareceram bons, são mais "palestras" sobre o mundo editorial, ou seja, pessoas falando sobre coisas que fazem parte do meu dia a dia de trabalho e eu provavelmente já sei), mas há vários e bons cursos de tradução.
Abraços,
Aline

cirlandia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aline naomi disse...

Cirlandia,

obrigada por visitar o blog e pelos comentários positivos!

Sobre cursos, se você estiver no Rio ou em São Paulo (capitais), pode fazer vários cursos rápidos e relativamente baratos enquanto cursa a graduação. Os cursos da Universidade do Livro, que fica na Praça da Sé, em São Paulo, costumam ser muito bons.

Você pode consultar meu outro blog sobre o mundo editorial (acho que esse blog será mais útil para você), porque sempre que fico sabendo de cursos na área, publico lá. Como moro em São Paulo, não sei exatamente que cursos são bons no Rio (vejo algumas propagandas de vez em quando, mas como não sei se são úteis/bons ou não, acabo não publicando - mas acho que vou mudar essa postura e publicar sobre todos os cursos de que fico sabendo).

http://www.alineinbookland.blogspot.com.br/search/label/cursos

Abraços,

Aline

Jullyana Pimenta disse...

Olá Aline,
Sou uma Jornalista em crise. rs Uma Jornalista que nunca quis ser repórter e que não sabia exatamente o que é ser uma editora, mas sempre sonhei em trabalhar com os livros, em otimizar textos e penso sempre na fluidez destes.
Seu texto é bem realista e esclarecedor. Já tive experiência com gestão de pessoas (acabei fazendo uma pós nessa área)mas, descobri que realmente não é algo com que eu queria trabalhar por mais tempo. Depois de idas e vindas, estou trabalhando como free com algumas revistas do seguimento no qual quero me especializar que é conteúdo para o público cristão. Estou concluindo meu curso em um bom Seminário Teológico em BH. Creio que esse é um passo importante na especialização, mas não quero correr o risco de limitar a minha visão por ter o foco sobre este público. Gostaria de poder trocar mais ideias com você. Obrigada. Seu texto realmente me ajudou.

Isabela Carapinheiro disse...

Adorei tirar as duvidas com tudo que você escreveu.
O chato é saber que editoras normalmente contratam quem faz jornalismo, e eu me formei em Letras. Eles praticamente me ignoram. :/

http://abelanaoafera.blogspot.com.br

Maryellen Correa disse...

Oi. Eu me chamo Mary e estou no ultimo ano a minha escola. Este ano vou prestrar vestibular para duas faculdades, uma publica e outra privada. A publica é a unicamp que so oferece o curso de letras licenciatura e linguística o bacharelado. Meu sonho é passar na Unicamp e me tornar editora de livros ja que desde muito nova sempre amei ler e acho que essa profissão seria perfeita pra mim. Como nao tenho a menor intencao de me tornar professora optei por linguística apenas. Mas agora depois de pesquisar mais a fundo fiquei em duvida. Alguem formado em Lingüística pode se tornar uma editora de livros ou eu devo escolher Letras mesmo nao tendo o Bacharelado?

Maryellen Correa disse...

Oi. Eu me chamo Mary e estou no ultimo ano a minha escola. Este ano vou prestrar vestibular para duas faculdades, uma publica e outra privada. A publica é a unicamp que so oferece o curso de letras licenciatura e linguística o bacharelado. Meu sonho é passar na Unicamp e me tornar editora de livros ja que desde muito nova sempre amei ler e acho que essa profissão seria perfeita pra mim. Como nao tenho a menor intencao de me tornar professora optei por linguística apenas. Mas agora depois de pesquisar mais a fundo fiquei em duvida. Alguem formado em Lingüística pode se tornar uma editora de livros ou eu devo escolher Letras mesmo nao tendo o Bacharelado?

aline naomi disse...

Oi, Mary. Acho que Linguística na Unicamp seria uma ótima escolha, pois acabei de ver a grade curricular do curso e tem língua estrangeira. Se não tivesse língua estrangeira, eu sugeriria Licenciatura em Letras, mesmo tendo algumas matérias pedagógicas que você provavelmente não vai usar muito se for editora, pois estudar no mínimo uma língua estrangeira durante a graduação seria bastante útil no futuro.

Abraços,
Aline

Grazielle Florentin disse...

Olá, tudo bem??
Encontrei seu blog hoje e estou adorando.
Ler sempre foi uma paixão pra mim. Por conta disso me formei em direito mas percebi que não é nada disso que eu quero, hehehe.
Então, como eu já tenho certeza que o meu futuro está em meio aos livros, resolvi começar as pesquisar pra mudar de carreira.
Alguma dica importante pra uma iniciante como eu? Nessa altura do meu comentário você já deve ter percebido que eu não tenho nenhuma experiência, mas muuuuuitaaa vontade de aprender.
Obrigada!
=)

Irene Canadinhas disse...

Tudo mais que esclarecido!! Li a sua outra página e já logo perguntei: como faz para trabalhar com você??? Encontrei um resumo da minha vocação. Obrigada!!!

Maryellen Correa disse...

Oi. Sou eu aqui de novo. Entao... u encontrei duas faculdades relativamente boas que oferecem o curso de bacharelado em letras, mas em uma delas diz que nos dois primeiros anos eu tenho que fazer a licenciatura e que somente apos isso eu poderia me especializar em bacharelado somente se o numero de alunos que se interessarem for maior que 40, ou seja, se nao houverem 40 interessados eu teria que fazer somente a licenciatura. E ai me veio a duvida. Eu tenho que fazer a licenciatura pra poder fazer o bacharelado? Ou é so nessa faculdade? E teria um modo de começar a faculdade fazendo apenas o bacharelado? Estou muito em divida com isso porque eu sempre magine que ou voce fazia um ou outro, ou se fosse a sua vontade faria os dois. E fiquei frustrada porque eu escolhi justamente o bacharelado apenas porque nao queria nem passar perto da licenciatura.
Se puder responder minha duvida ficaria muito grata.

aline naomi disse...

Oi, Grazielle, não tenho muitas dicas além do que escrevi aqui e também em outro post do meu outro blogue: http://alineinbookland.blogspot.com.br/2014/02/quero-ser-editora-o-que-devo-estudar.html (sobre cursos que podem ajudar quem quer entrar na área).

***

Oi, Irene! Hahaha... ainda não tenho poder para decidir quem trabalha comigo, mas agradeço pela visita e qualquer coisa, estou às ordens! Abraço.

***

Oi, Maryellen.

Eu não conhecia esse tipo de curso (em que primeiro se faz a licenciatura e depois o bacharelado). Em geral já se escolhe o tipo de curso no Vestibular. Há também a possibilidade de depois trocar de curso, mas por uma questão de o aluno não ter gostado de licenciatura ou do bacharelado e querer trocar. Lembrei agora de uma amiga que estudou na PUC-SP e ela fez quatro anos de bacharelado e depois mais um de licenciatura, era um complemento do curso de bacharelado (aulas didáticas e tal) para que ela pudesse ter uma base melhor para dar aula - no meio do curso ela sentiu que gostava mais de dar aula do que de traduzir/revisar/trabalhar com texto. Mas caso ela tivesse concluído o bacharelado, já teria o diploma. Como ela fez o complemento de um ano, ela conseguiu se formar em licenciatura e bacharelado.
Desculpe a sinceridade, mas essa faculdade que propõe o estudo da licenciatura para depois passar para o bacharelado - isso se houver um número mínimo de interessados - me pareceu meio obscura. Se você tem certeza de que quer fazer bacharelado, procure uma faculdade que ofereça isso desde o começo... acho que não compensa estudar licenciatura se você não pretende dar aula, ou, pelo contrário, se ainda pretende ter isso como opção de profissão (ser professora em algum nível do ensino), acho que vale a pena fazer a licenciatura!

Abraços,

Aline

Beatriz Sousa disse...

Olá!
Ainda ando no 11º mas já tenho de pensar no curso que quero seguir e andava um pouco desanimada porque não sabia o iria fazer. E a minha área é um pouco limitada. Tenho uma enorme paixão por livros e sempre tive um desejo de os traduzir, (porque encontro muitos erros). Este texto só veio reforçar o meu desejo e agora sim, sei o que quero ser quando for adulta.

Gisele disse...

Oi, Aline, tudo bem?

Vou te contar um pouco da minha história kkk
Eu sempre gostei muito de ler. Sou apaixonada por livros. Na hora de escolher o curso para o qual iria prestar o vestibular, fiquei na dúvida entre letras e biblioteconomia. Com medo de me tornar professora, resolvi fazer biblioteconomia mesmo, até porque a área é mais ampla.
já estou no 5º período, na UFMG e sinceramente, há um tempo atrás ainda não sabia o que fazer depois de formada. Comecei a pesquisar e descobri que como bibliotecária posso trabalhar em uma editora. com tanta área para se trabalhar, percebi que era a única coisa que realmente me interessa. Estou pensando em fazer estágio na Editora UFMG, pra ter uma noção de como funciona o trabalho de uma editora e finalmente decidir se é isso mesmo o que quero. Já pensei também em "puxar" matéria de outros cursos como, letras e jornalismo. E me especializar em Literatura Brasileira.
Pesquisando um pouco mais sobre o assunto, acessei por acaso o seu blog e gostei muito. Esclareceu bastante algumas de minhas dúvidas. Lendo os comentários, você citou muito os cursos de letras e jornalismo, como os que mais facilitam na hora de conseguir um emprego em uma editora. Você acha que que como bibliotecária, e mesmo enriquecendo o meu currículo com essas matérias e a especialização eu posso conseguir um trabalho em uma editora?

Obrigada!
E Parabéns pelo blog.

Guinho disse...

Bom, primeiramente gostaria de agradecer pelas dicas. Meu nome é Thiago faço letras- inglês pela universidade federal de campina grande e atuo como professor de idiomas, entretanto tenho uma aspiração por edição de livros, nossa minha paixão, muito obrigado pelas valiosas dicas. Passar bem, e sucesso na sua carreira.

Dbora Win disse...

Meu sonho é ser revisora, quem sabe editora. Estou cursando Letras na UCSaL e no momento tudo que quero é conseguir um emprego em um jornal ou editora, ou em um setor de comunicação, qualquer coisa que me aproxime do meu sonho! Amo isso!

Ester Souza disse...

Ooi Aline, como vai?? Gostaria de lhe pedir um conselho... Eu estou pretendendo cursar Produção Editorial na UFRJ, mas, não sei se você sabe, eu tenho que "começar" com Comunicação Social e a partir do 4º período me especializar em Prod. Editorial, dai o meu pedido de conselho seria: se eu não conseguir entrar na faculdade de Comunicação, eu poderia cursar outra e me beneficiar mo meio Editorial ou seria melhor eu estudar mais e tentar ano que vem novamente?? Muito obrigada, beijão.

Bruna Ferracini disse...

Oi, Aline. Tudo bem ? Em 2013 (saudades eternas <3) comentei aqui minhas dúvidas sobre o que estudar para ser editora. Bom, um ano se passou e eu optei por Jornalismo. Depois de dois semestres em Jornalismo cheguei a conclusão que tentei ignorar: eu odeio Jornalismo.
Triste, porém verdade. O que acontece: não gosto das matérias práticas no curso, Radiojornalismo, Técnicas de reportagem, Jornalismo Online. Sempre que estou na faculdade fico pensando "o que estou fazendo aqui?" e isso me deixa muito infeliz. Enfim, meu amor por Editoração não mudou, fiz alguns cursos pela Editora UNESP e todos foram incríveis. Quero muito continuar com o sonho de ser editora e por isso estou buscando outras opções de curso, já que Jornalismo não está funcionando. Pensei em me transferir para Letras, mas tenho medo de acabar só conseguindo oportunidades na área educacional. Enfim, se você puder me dar alguma opinião sobre meus devaneios profissionais, eu adoraria.
Obrigada!

Mariana Furtado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana Furtado disse...

Oi, eu amei o seu post e me ajudou muito a escolher a faculdade que eu vou cursar e não so me ajudou a escolher como ne motivou eu reprovei três anos na escola por ter tipo problemas pessoais muito ruins e depois não saber lidar com eles, agora como ja estou muito "velha" vou ter que fazer supletivo e ja estava muito desanimada com isso, mas eu realmente quero cursar letras e ser uma editora, eu amo ler e este post me deu o animo que eu precisava para estudar o triplo e passar lindamente para uma federal rsrsr.Muito obrigada pelo post e boa sorte com a sua carreira.
Beijos da Mari *-*

Anônimo disse...

Olá Aline!
Adorei sua postagem e me senti motivada, visto que fica bem claro que você entende do que está falando.
Sou formada em licenciatura em letras.
Confesso que nunca foi meu sonho ser professora. É uma profissão linda, mas ainda acredito que precise de dom, que não é o meu caso.
Enfim, não gosto de fazer nada pela metade, terminei o curso acreditando que conseguiria realizar meu sonho, que é trabalhar com textos.
Mandei currículos para algumas editoras. Nunca obtive resposta.
Acredito que devo ter feito tudo errado. RS...
A verdade é que ainda sonho em trabalhar com textos, mas não vejo nenhuma maneira palpável de conseguir fazer isso.
O que você me recomendaria?

Danii Fernandes disse...

Oi Aline!!! Eu amei o seu post e você me ajudou a esclarecer muitas dúvidas.
Recentemente iniciei a faculdade em Administração, pois sempre trabalhei com isso, porém não me senti bem e tranquei o curso, tive a certeza que detesto ADM rss....
Gosto mesmo de textos, ler, editar, formatar, tanto português quanto inglês e espanhol. Acho que cursar Letras seria o melhor caminho, outras pessoas que me conhecem disseram que seria o melhor caminho e depois de ler seu post, fiquei encantada!!!
Super beijo e muito sucesso!!!
Daniele

Maryellen Vieira disse...

Oi, eu mandei uma pergunta a um tempo atraz, mas agora estou com outra, acontece que eu nao vou poder fazer o curso de bacharelado Letras porque ele tem somente em outra cidade e para pagar a conducao eu teria que trabalhar, e o meu dia ficaria corrido(trabalho, curso, duas horas quase de viagem para a faculdade) entao por esses motivos decidi que seria melhor fazer o curso de Licenciatura na cidade que eu moro mesmo ja que só tem ele, mas estou com medo, conversei com algumas pessoas e elas me disseram que com licenciatura eu nunca conseguiria me tornar editora de livros de fato, apenas uma revisora de pequenos textos em revistas e afins. Estou com medo que mesmo depois de me formar e fizer esses cursos independentes que você indicou em seus textos eu nunca chegue a ser uma editora, entao eu pergunto. Vale a pena passar por todo esse esforco e estudar em outra cidade? Ou mesmo que o caminho seja mais longo eu faco a licenciatura aqui mesmo(ainda teria que trabalhar mas isso ja seria mais facil se ter que viajar para outra cidade).
Nao estou procurando o caminho mais facil, de todo modo os dois serao bem dificeis, mas queria saber se com a licenciatura eu posso me tornar uma editora.

Livia Dencker disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Livia Dencker disse...

Oi Aline, estou acompanhando seu outro blog, mas resolvi deixar o comentario neste post por se tratar deste assunto específico.
Sempre gostei de livros, leio sobre diferentes assuntos e percebo que inconscientemente faço essas avaliações que você descreve com todos os titulos que pego na mão.
A maior parte das pessoas sonha em escrever um livro, mas eu gostaria de pegar um texto e transformá-lo em livro.
Porém, sou profissional da área da saude, moro longe de grandes centros e já passei dos 30.
Na sua opinião, baseado no que você vê na sua área, vale a pena começar agora a fazer cursos e tentar entrar na área ou terei poucas oportunidades?
É possivel trabalhar em esquema home office ou é pré-requisito morar no eixo rio-sp e afins?
Qual é a realidade do mercado de trabalho atual?
Agradeço enormemente a atenção!

Juliana Duarte disse...

Que post incrível!! Eu sempre quis trabalhar com livros, meu maior sonho sempre foi poder publicar o meu e trabalhar revisando os livros. Nunca achei um texto que tirasse todas as minhas dúvidas nesse ramo. Só aumentou mais ainda a minha vontade de querer participar desse meio produtivo. Obrigada!

Anônimo disse...

Olá, quero ser escritor de ficção, porém preciso me sustentar. Pensei que trabalhar como editor seria uma boa escolha. Mas apesar de tudo, não sei que curso escolher. As opções: graduação em Letras - a maioria das universidades têm apenas licenciatura, e agora?-, Teoria Literária, (ou fazer pós-graduação?), ou editoração na USP?

aline naomi disse...

OLA ALINE, VC TERIA UM EMAIL PRA CONTATO....
GOSTARIA DE ESCLARECER DUVIDAS A RESPEITO DE TRABALHAR EM EDITORAS
OBG
PS: TECLADO DESCONFIGURADO RS.
meu email jackprof2@yahoo.com.br

aline naomi disse...

OLA ALINE, VC TERIA UM EMAIL PRA CONTATO....
GOSTARIA DE ESCLARECER DUVIDAS A RESPEITO DE TRABALHAR EM EDITORAS
OBG
PS: TECLADO DESCONFIGURADO RS.
meu email jackprof2@yahoo.com.br

aline naomi disse...

OLA ALINE, VC TERIA UM EMAIL PRA CONTATO....
GOSTARIA DE ESCLARECER DUVIDAS A RESPEITO DE TRABALHAR EM EDITORAS
OBG
PS: TECLADO DESCONFIGURADO RS.
meu email jackprof2@yahoo.com.br

aline naomi disse...

OLA ALINE, VC TERIA UM EMAIL PRA CONTATO....
GOSTARIA DE ESCLARECER DUVIDAS A RESPEITO DE TRABALHAR EM EDITORAS
OBG
PS: TECLADO DESCONFIGURADO RS.
meu email jackprof2@yahoo.com.br

Sabrina Prado disse...

Melhor matéria. Acho que nunca teria uma noção realmente grande sobre essa área. Sempre achei que pra trabalhar em edição eu teria que cursar jornalismo. Desenvolvi o projeto de cursar essa faculdade aos 12 anos e só fui mudar a alguns meses quando li sua matéria. Espero alcançar metade das suas conquistas,mas claro, em área diferente. Nunca tive um contato com uma editora, e nem sei como entrar em uma. Isso se torna uma insegurança enorme quando penso que estou indo pra começar no segundo ano do ensino Medio em 2016 e estou mais perto da reta final. Se puder eu gostaria muito de conversar com você, por Email mesmo,e esclarecer algumas duvidas. Desde já muito obrigado.

Meu Email: srodriguesfreitas2012@gmail.com

Marcos Mateus disse...

Olá, primeiramente queria parabenizar você pelo post. Também sou apaixonado por produção editorial, a forma como alguém pega a ideia de um autor e transforma em um livro que pode ser lido e admirado por outros, como eu mesmo admiro, é incrível. Estou cursando o terceiro ano do ensino médio e já tenho interesse em trabalhar área de editoração de livros, porem pretendo cursar jornalismo na Usp e gostaria de saber se um formado nesse curso pode trabalhar em uma editora.
P.S.: Também me encantei com o trabalho de Clarissa em "As horas"

Sara disse...

Olá, como vai?

Gostei muito da sua postagem e gostaria de saber se você sabe de algum blogueiro que esteja interessado em uma editora ou assistente, o que inclui a senhorita se estiver interessada. Eu gosto muito de ler e escrever, edito textos no geral e alguns trabalhos de conclusão de curso.

De todas as maneiras, parabéns pelo blog e obrigada pelo post que me esclareceu muito.

Obrigada.

Yukiina disse...

Ola boa tarde ^^
Bom eu li seu artigo , achei muito bom mas...Bem eu tenho 15 anos e eu gostaria de ser editora de manga, mas ai que ta eu não sei nem por onde começar! Você poderia me ajudar??
Obgd pela atenção bjs

Luana Santos disse...

Olá ! Gostaria de saber quais cursos profissionalizantes você fez para entrar nas editoras, por favor ? Obrigada :*

Unknown disse...

Boas dicas. Riquíssimas informações.
Muito grato!

Luana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luana disse...

Se descobrir me conta? Estamos na mesma situação, a diferença é que tenho 18 e começo faculdade ano que vem... Tenho planos de fazer letras mas não sei se é o caminho certo

Unknown disse...

Adorei seu texto!! Você respondeu minhas dúvidas e regou a sementinha do meu sonho de trabalhar com aquilo que eu gosto: LIVROS!!!

Você tem Facebook?? Gostaria de ser sua amiga!!

Verônica Martins disse...

Meu Deus Aline, eu adorei tudo o que você disse e concordo plenamente. Meu sonho desde os meus 15 anos é ser editora, eu sempre fui uma amante de livros e quando descobri esta profissão decidi que era isso que eu queria, atualmente eu estou no meu ano de vestibular e neste ano maluco quando impus realmente minha vontade de ser editora muitas pessoas não apoiaram por diversos motivos bobos, como sou aquariana e acredito em mim mesma decidi que iria tentar... só que sempre que procuro saber mais sobre esta encantadora profissão tanho dificuldade pois não existem muitos artigos que expliquem como é ser editor ou quais as dificuldades que isto implica. Mas você ao contrario de tudo nos trouxe essa linda historia, a sua, e me motivou muito a seguir em frente. Ser editor exige aperfeiçoamento dia a dia contudo creio que o mercado brasileiro esta crescendo ainda e vamos aprender muito mas vamos chegar la . você mencionou o filme que te inspirou a ser editora , bom para mim pode soar clichê mas a J.K.Rowling foi a minha musa inspiradora.Quando descobri esta profissão eu só podia pensar em como o editor de Harry Potter deve ser uma pessoa feliz por ter participado do processo de uma historia tão fantástica e de como um dia eu queria me sentir assim .

aline naomi disse...

Obrigada pelo comentário, Verônica!

***

Pessoal,

agradeço pelos comentários, mas é difícil responder individualmente cada um e dar conselhos sobre que caminho seguir. Meu conselho geral é para que busquem estudar em boas universidades, mesmo com as dificuldades do Vestibular etc. e, depois, continuem estudando sempre (edição de livros, idiomas estrangeiros, literatura e demais gêneros e tudo que for possível). Não existe fórmula mágica, mas quando mais vocês se esforçarem, mais chances terão de conseguir entrar no mercado e conseguir trabalhar com o que sonham.

Abraços a todos e um ótimo 2017!

Aline Naomi

Renato Oliveira disse...

Engraçado como o tempo voa e a gente muda com ele.
Desde que comecei a trabalhar com livros, ainda não tinha bem definido qual caminho eu queria seguir. Até que um dia vi que queria ser editor, simples assim.
O problema é que eu não tinha muita noção do que é ser um editor e o que ele faz no mundo real. Até que encontrei essa sua postagem, sua experiência e tudo o que tinha a dizer sobre essa profissão.

Pois bem, no começo do ano comecei uma pós graduação em Edição e Gestão Editorial, e vi que sim, a vida de editor tem muito do que você descreve e vai além. Hoje tenho certeza de que é isso o que eu quero estar fazendo no meu futuro meio distante.

Hoje reencontrei seu post e as memórias daquele tempo de incertezas e dúvidas sobre o futuro me disseram "oi, como é aí no futuro?". "É melhor do que vocês imaginam", respondi.

Bom passei aqui só pra compartilhar esses pensamentos com você. Obrigado pela participação (indireta rsrs) na minha história. Espero que leia. :)

aline naomi disse...

Olá, Renato!

Onde está fazendo a pós em Edição e Gestão Editorial? Estou fazendo um MBA na área, mas não estou muito satisfeita, enfim, coisas da vida.

Obrigada por compartilhar seus pensamentos e sentimentos em relação à profissão de editor. Quando mais eu trabalho na área e converso com colegas, vejo o quanto ainda há para aprender! :)

Abraço!

Renato Oliveira disse...

Oi Aline, estou fazendo na Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro. Os professores são muito bons (tem sempre um que fica fora da curva rsrs), e eu tenho aprendido muito.

E concordo com você, quanto mais a gente aprende mais há a aprender, tipo um poço sem fundo rsrs.

aline naomi disse...

Oi, Renato!

Vi o anúncio dessa pós no PublishNews (você deve assinar) e fiquei contente em saber que está gostando!

Se tiver LinkedIn, me passa o link para eu te adicionar por lá e ficarmos de certa forma em contato.

Abraço e que 2017 seja ÓTIMO! :)

Renato Oliveira disse...

Oi Aline, meu link é www.linkedin.com/in/renato-f-oliveira

Carol Gomes disse...

Olá Aline!
Gostei muito do seu texto. Eu gostaria de saber qual sua formação, achei dificil encontrar cursos superiores relacionados a editoração. Alguém com uma faculdade de jornalismo poderia trabalhar dentro de uma editora?
Obrigada.

Dani Silva disse...

Boa Noite Aline, tudo bem?

Quero dar os parabéns pelo post, foi o melhor e mais esclarecedor que achei até hoje sobre esse assunto.
Tenho mais algumas dúvidas, acabei de me formar em Biblioteconomia, amo livros, mas infelizmente ainda não possuo competência em outros idiomas e estou muito interessada em trabalhar em editoras de livros. Quais seriam os próximos passos que devo seguir para atingir esse objetivo? Cheguei a pensar em fazer outra faculdade de Letras ou algum curso de especialização e/ou mestrado que me direcione para esse caminho (nem sei se existe....rrsrsrsr). O que você acha?
Fico no aguardo. Beijocas!!

aline naomi disse...

Olá, Carol!
Sou formada em Bacharelado em Tradução pela Unesp, em São José do Rio Preto, depois fiz um MBA em Gerenciamento de Projetos na FGV e atualmente faço um MBA em Book Publishing na Casa Educação/ Instituto Singularidades, em São Paulo.
Sim, jornalistas têm formação para trabalhar em editoras, dependendo do perfil de funcionário que as editoras buscam.
Acho que a formação mais "indicada" para quem quer trabalhar em editora é a graduação em Editoração (sei que a USP, a UFRJ e a Anhembi-Morumbi oferecem esse curso), mas é possível conseguir uma vaga em editora por outros meios/ outros tipos de formação.
Abraço!

aline naomi disse...

Olá, Dani!

Olha, para ser sincera, nunca conheci alguém formado em Biblioteconomia que trabalhasse em uma editora, mas, se quer seguir esse caminho, recomendo uma pós voltada para o mercado editorial (ou mesmo cursos de curta duração se não puder fazer uma pós agora). Estou fazendo esse MBA em Book Publishing: http://www.casaeducacao.com.br/courses/mba-book-publishing/ em São Paulo (mas esse ano vão abrir turmas em outras capitais, dê uma olhada e veja se interessa; apesar de achar que o curso, em geral, é mal estruturado, é uma boa forma para se conhecer mais sobre o mercado, ter mais consciência sobre a produção de livros e ter contato com pessoas que já trabalham na área).

Como você já tem uma graduação, não sei se compensa fazer mais 4 ou 5 anos de outra graduação. Talvez seja melhor continuar estudando, mas em cursos de pós-graduação. Apesar disso, se você não se sentir segura, se achar que um curso de letras ou editoração pode melhorar seu currículo e/ou te dar mais segurança e mais base para atuar em uma editora, vá em frente! E sugiro que você estude idiomas em escolas de idiomas também. Inglês continua sendo a língua com mais "demanda" no meio editorial (porque a maioria dos livros traduzidos é do inglês; as negociações com editoras estrangeiras de vários países, em geral, são feitas em inglês; se você for para as feiras internacionais de livros em Frankfurt ou em Bolonha, a língua falada entre editores será o inglês etc.).

Abraço e sucesso!

Dani Silva disse...

Aline só quero agradecer por ter conseguido responder ao meu comentário. Consegui ter uma noção melhor de quais passos devo dar para ingressar nessa área. Muito muito obrigada mesmo!!!!

Beijocas!!

Dani

aline naomi disse...

Disponha, Dani! ;)
Um beijo é que você consiga alcançar seus objetivos em breve.

MINHA MANEIRA DE OLHAR disse...

Ola Aline.
Eu amei seu postagem.
Por favor preciso da sua opiniao.
Eu sou formada em publicidade. Meu sonho sempre foi trabalha em uma editora. Eu moror em brasilia. Mas aqui e dificil. Vou faz pos graduacao. Mas nao sei qual posso fazer. Ja pesquisei sobre editorial. Mas aqui em brasilia e muito complicado acha uma faculdade cm esse curso. Entao qual pos graduacao voce me sugerer?

Márcia Filipa disse...

Eu estou a tirar licenciatura de Tradução em Inglês e Alemão, no entanto, o meu sonho sempre foi ser escritora e, retirando esse sonho das opções, trabalhar numa editora, ler os manuscritos de outros autores e trabalhar com eles sempre foi um grande sonho. No entanto, não sei se com o curso que estou a tirar consigo entrar nessa área....

aline naomi disse...

Oi, Márcia!

Pelo seu jeito de escrever o português, acredito que você seja portuguesa (?).
Se for isso, desculpe, mas não tenho muita base para comentar sobre o mercado editorial em Portugal, pois não conheço muito como as coisas funcionam aqui. O que posso dizer é que, como você está estudando tradução e vai saber, no mínimo inglês e alemão (duas línguas estrangeiras), você poderia trabalhar com obras estrangeiras - analisando obras nas línguas estrangeiras que você domina e concluindo se essas obras seriam boas para se publicar no seu país, se eles teriam público interessado em ler essas obras.
Se puder, faça cursos sobre edição de livros enquanto faz sua licenciatura em Tradução. E, se tiver tempo (se o curso não for integral), procure um estágio ou trabalho de meio período em alguma editora, mesmo que o salário seja baixo, é que ter a experiência de trabalho em uma editora é importante para você decidir se realmente gosta e quer trabalhar com isso.

Espero ter ajudado!

Pedro Mattos disse...

Primeiramente, gostaria de parabeniza-la pelo artigo e pela simpatia. Você conseguiu sintetizar o trabalho de um editor em poucas linhas, parabéns. Depois, gostaria de esclarecer uma dúvida: quais seria os departamentos básicos de uma pequena editora? E sobre a parte de distribuição, você sabe como funciona? Obrigado!

aline naomi disse...

Olá, Pedro!
Desculpe por demorar uma eternidade para responder. Estava me recuperando, sem muito ânimo para acessar o blog e resolvendo coisas burocráticas, mas agora as coisas se acalmaram e estou de volta.
Sobre os departamentos básicos de uma pequena editora, eu diria que, no mínimo, é preciso um editor que entenda sobre edição de livros (não precisa saber fazer tudo - embora, para uma pequena editora isso fosse o desejável, pois pouparia dinheiro -, mas que tenha noção de que o texto precisa ser adaptado, preparado ou revisado antes de seguir para o designer/diagramador, que o livro precisa ter uma capa atraente e que tenha a ver com o conteúdo, noções de como vai divulgar e vender/ distribuir os livros, os contratos com autores e demais fornecedores devem estar em ordem etc.) e os outros setores podem ser terceirizados.
Não entendo muito sobre distribuição, mas sei na última editora onde trabalhei, isso era terceirizado (uma distribuidora comprava e revendia os livros, às vezes faziam divulgação também). Tive algumas aulas sobre isso também e, segundo os professores, fiquei sabendo que é muito difícil para uma editora que está iniciando as atividades conseguir colocar os livros em livrarias... em geral, essas editoras iniciantes precisam delegar o trabalho para uma distribuidora (quando a distribuidora aceita) - imagino que as livrarias prefiram comprar de distribuidoras porque elas fornecem livros de várias editoras, então, quando vão fazer os pedidos, fica bem mais fácil (pois podem pedir pequenas quantidades de exemplares de várias editoras e não precisam fazer vários pedidos de quantidades pequenas para cada editora).
Não sei se consegui ajudar muito, mas se tiver outras dúvidas, pode perguntar.
Abraço,
Aline