Pages

domingo, 15 de setembro de 2013

Marisa Monte - Show "Verdade, uma ilusão"


Há duas semanas, a uma hora dessas, eu e a Yuri estávamos no show da Marisa Monte, Verdade, uma ilusão, na casa de espetáculos HSBC, aqui em São Paulo.



Confesso minha ignorância em música. Não conheço quase nada, só ouço as poucas coisas de que gosto, e o que a maioria das pessoas normais gosta e sente prazer em ouvir para mim não passa de barulho (ouvir música barulhenta ou que considero "ruim" e ouvir barulho de britadeira, marteladas e liquidificador para mim dá na mesma).

A Marisa Monte está entre as minhas cantoras preferidas, talvez A preferida e, apesar de não ser fã no sentido "fanático" da coisa, tenho todos os CDs dela - alguns ganhados, alguns comprados ao longo dos anos, além do DVD Barulhinho Bom. Desde adolescente sempre gostei do trabalho dela, sendo Barulhinho Bom e Cor de rosa e carvão meus álbuns preferidos. E sempre quis ir a um show dela, talvez um dos únicos shows a que eu realmente gostaria de ir na vida, mas sempre deixava "para depois" (se fosse fã fanática, jamais deixaria para depois, né? :). Então surgiu a oportunidade de ir a esse show e fui.


De repente entendi muito melhor a loucura que os fãs têm por seus ídolos. Apesar de nem de longe ser a "fã número um" da Marisa Monte, fiquei encantada em vê-la tão de perto, ouvi-la ao vivo (cantando músicas que fizeram parte da minha adolescência e ainda fazem parte do meu presente) e comentando sobre uma música ou outra do repertório do show. Não, não é a mesma coisa que ouvir o CD ou ver um show no DVD ou na TV. É um momento especial de encontro, ela e apreciadores do trabalho dela juntos naquele mesmo tempo-espaço, um tempo infinitamente pequeno diante da "eternidade", mas um tempo infinitamente feliz.


Uma das características da Marisa de que gosto é que ela preserva a vida pessoal. Ela evita ou tenta evitar que fofocas apareçam na mídia e se sobreponham ao trabalho dela. Pesquisando sobre a biografia dela há alguns anos, li que ela já teve vários maridos e tem um filho chamado Mano Vladimir, mas isso só vai descobrir quem fuçar, não é amplamente divulgado e, também, para o público dela, provavelmente nem interessa. O que importa é que ela continue escrevendo letras, cantando e protagonizando shows lindos como esse.

Um fato engraçado que ela contou em uma entrevista que vi há vários anos, acho que na TV Cultura: ela estava em algum lugar no Rio, gravando um clipe, havia a movimentação do pessoal da equipe de apoio e gravação; no intervalo, ela foi comprar alguma coisa em uma loja de 1,99 e ouviu alguém perguntando: "Você sabe o que está acontecendo aí?" e outra pessoa respondeu: "Não sei, acho que estão fazendo uma reportagem". Por não se expor tanto na mídia, ela não é reconhecida de imediato, o que deve dar um certo alívio.

Acho que foi nessa mesma entrevista que ela comentou algo no sentido de ser fascinada por pessoas, porque, dos olhos para dentro, elas eram um mundo, um mistério, ninguém poderia saber o que realmente acontecia (a não ser que elas externassem os pensamentos e sentimentos). Achei bonito.

No início do show, "a voz" que dá as orientações gerais informou que não era possível fotografar nem filmar o show, mas quem disse que as pessoas respeitam? Até pensei em não fotografar nem filmar, mas foi impossível depois de ver todo mundo fazendo isso. Eu queria guardar uma lembrança daquele dia. Abaixo, a gravação que fiz quando ela cantou "A Sua", uma música que, há anos, eu ouvia direto, colocava no "replay" infinitamente porque me fazia lembrar de uma pessoa específica. Aliás, as músicas de que gosto em geral estão ligadas a pessoas de que gosto ou que foram importantes em algum momento - e, de certa forma, continuam sendo. Para mim, música está diretamente relacionada a memórias afetivas.




Site oficial da Marisa Monte: http://www.marisamonte.com.br/pt


2 comentários:

Maria Fernanda disse...

Que bom que você finalmente realizou uma das suas grandes vontades! (e ela com quase 30 anos de carreira ainda continua encantando seu público)
Mas com todo respeito, achei que você tem um pouco de "líder de torcida" enrustida, daqui a pouco está colando poster da Marisa na parede do quarto etc. Não se avexe, essa síndrome afeta mais pessoas do que se imagina
(a propósito, só atualizando, ela também já tem uma filha - Helena - com outro marido, mas isso os fã-clubes já devem estar carecas de saber...)

aline naomi disse...

Hahahaha! Morri de rir com o "líder de torcida" enrustida, Maria Fernanda! O pior é que talvez você tenha razão!! :) Apesar de achar que nunca vou chegar a colar pôster dela nas paredes, descobri que sou muito mais fã dela do que imaginava!