Pages

sábado, 1 de fevereiro de 2014

CLIPE 2014 - Casa das Rosas


Essa semana foi meio tumultuada, mas consegui fazer minha inscrição hoje (último dia!) no Curso Livre de Preparação do Escritor (CLIPE) 2014 na Casa das Rosas, na Av. Paulista. Demorei quase três horas para chegar lá, porque o trânsito de Alphaville estava caótico hoje. Mas consegui.

 Casa das Rosas - foto retirada da internet
Já faz um tempo que quero fazer uma oficina literária, para aprimorar a escrita, conseguir ter um olhar mais apurado sobre a minha própria escrita e conhecer pessoas que também gostam de escrever (e que também estão buscando se aprimorar - gostar de escrever e sair escrevendo qualquer coisa, de qualquer jeito, não faz muito sentido para mim).
Tentei uma vaga no ano passado, mas não consegui. Mas depois vi que foi melhor assim - apesar de eu querer muito, provavelmente não teria dado conta (o MBA me deixou num estado de ânimo zumbi mode on). Esse ano seria ótimo poder investir tempo e esforço em algo que me desse satisfação pessoal (e que não fosse só mais um curso para colocar no currículo). Então estou esperançosa, queria muito ser selecionada, mas a concorrência deve estar grande (no ano passado centenas de pessoas se inscreveram para apenas 25 vagas - que depois foram aumentadas para 30). Se eu conseguir uma vaga, vou ficar muito feliz. Se não conseguir, tento de novo no ano que vem.
Busquei informações de ex-alunos do curso do ano passado pelo Google, pois queria saber quais foram as impressões deles, mas não encontrei nada. É uma pena que as pessoas não compartilhem coisas que interessam ou interessariam para várias outras pessoas. Se eu for selecionada, depois escrevo sobre o curso. A recepcionista da Casa das Rosas disse que a lista de selecionados sai no final de fevereiro no site deles. 
Talvez eu tenha mais chances esse ano, porque li algo sobre a preferência ser para pessoas com formação na área. No ano passado não havia essa preferência. Lembrei de uma professora excelente de italiano e literatura italiana que tive na faculdade, a Celeste. Como na grade do curso de Tradução não havia espaço para Literatura Italiana, podíamos conversar com ela e fazer aulas dessa matéria com o pessoal de Letras à noite (porque tínhamos aulas do nosso curso de manhã e à tarde). Ela é uma pessoa fantástica e contou que costumava aceitar todo tipo de aluno nas aulas dela - de certo porque acreditava que a diferença entre as pessoas enriquece (se for isso, concordo). Mas aí, uma vez, ela aceitou um aluno que era bombeiro (?) para essas aulas de literatura, e ele não se adaptou bem às aulas, meio que atrapalhava, porque ficava fazendo perguntas que não tinham a ver com a aula. Depois disso, ela resolveu selecionar melhor os alunos. Fiquei imaginando que no CLIPE também deve ter acontecido isso, alunos até interessantes e interessados, mas fora do contexto, já que o ano passado eles formaram a primeira turma... e o início de todas as coisas é sempre meio bambo.
Agora é só aguardar o fim do mês. De dedos cruzados.

Nenhum comentário: