Pages

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Exposição Yayoi Kusama no Instituto Tomie Ohtake

Hoje eu e a Yuri fomos ver a exposição da artista Yayoi Kusama no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

A Yayoi Kusama é famosa por ser "obcecada" por bolinhas, principalmente vermelhas. Ela nasceu na cidade de Matsumoto, no Japão, em 1929, mudou-se para Nova York em 1957 e depois voltou para o Japão em 1973. Uma curiosidade (?): desde 1977 vive voluntariamente em uma instituição psiquiátrica.

Havia fila para entrar e, depois, outras filas para visitar as salas em que as obras/instalações se encontravam, mas vale a pena conferir.


A exposição "Obsessão infinita" já passou por Buenos Aires, pelos CCBBs do Rio de Janeiro e de Brasília, agora (até 27 de julho) fica em São Paulo, e depois segue para a Cidade do México.


A exposição, com a curadoria de Philip Larratt-Smith e Frances Morris, reúne obras realizadas entre 1950 e 2013, incluindo pinturas, trabalhos sobre papel, esculturas, performances, vídeos e instalações.


Em uma das salas do primeiro andar, havia documentos, cartas e esboços protegidos por vidro, vídeos e uma instalação com "algas" brancas com bolinhas vermelhas cercada por espelhos, onde as pessoas tinham 20 segundos para tirar fotos.






Enquanto estávamos na fila, dava para ver a fila para entrar em uma das salas do térreo também:


Estava tendo uma exposição de fotos da Copa ou algo assim, por isso é possível ver algumas delas ali embaixo.

Na segunda sala do primeiro andar, havia uma sala com objetos do dia a dia (sofá, estantes, roupas, mesa, cadeiras, talheres, espelhos, quadros) com bolinhas. Como havia luz negra incidindo nos objetos, as bolinhas pareciam ser fluorescentes. Muito legal!











Depois, seguindo por um corredor, havia pinturas:







Nas fotos acima, tentei evitar fotografar pessoas junto com as obras, mas, só para constar, a sala estava cheia de gente olhando, passando, tirando fotos. Como não havia guardas nem faixas nessa sala, crianças pequenas se encostavam ou colocavam a mão nas pinturas e os pais não falavam nada. Socorro.

Depois disso, seguimos para a Sala de espelhos infinitos, onde milhares de luzinhas brilhavam e as cores variavam.




Essa foto me lembrou um quadro do Van Gogh ("Starry Night Over the Rhone", de 1888):





"Artistas não costumam expressar seus próprios complexos psicológicos diretamente, mas eu adoto meus complexos e medos como temas. Fico aterrorizada só de pensar que algo longo e feio como um falo me penetre, e é por esse motivo que construo tantos falos. ... Eu  construo muitos e muitos deles e então continuo construindo, até que me enterro no processo. A isto dou o nome de 'obliteração'."
Yayoi Kusama

Espetáculo de mil boates (1963). Foto tirada daqui.

Depois, no térreo, entramos em uma sala com bolas rosa com bolinhas pretas.






Por fim, em outra sala no térreo, havia uma sala em que o segurança distribuía cartelas com adesivos em forma de bolinhas coloridas para que pudéssemos colar nas paredes, móveis e objetos lá dentro... *.*





As pessoas altas conseguiam colar no teto! *.*






No térreo também vimos algumas roupas desenhadas pela Kusama:



O quê? Exposição Yayoi Kusama - Obsessão Infinita
Onde? Instituto Tomie Ohtake (Av. Faria Lima, 201 / Entrada pela Rua Coropés - Pinheiros - São Paulo - SP - Tel. 2245-1900)
Quando? De 22 de maio a 27 de julho de 2014. Terça a domingo, das 11h às 20h.
Quanto? Grátis


Nenhum comentário: