Pages

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Eataly, uma experiência italiana em São Paulo


Sexta-feira passada eu e a Yuri fomos conhecer o Eataly, que inaugurou em maio desse ano em São Paulo. Pelo que li no site, a Eataly foi criada em 2004 e, depois de três anos de planejamento, em 2007, a empresa abriu sua primeira loja em Turim, na Itália. Hoje tem 29 lojas, sendo quinze na Itália, nove no Japão, duas nos Estados Unidos, uma em Dubai, uma em Istambul e uma em São Paulo.


Fachada (foto daqui)

A filial de São Paulo fica na Vila Olímpia, um bairro nobre da cidade, e compreende um prédio de dois andares bonito e organizado, onde se pode encontrar frutas e vegetais frescos de qualidade (e caríssimos), aperitivos e sorvete no térreo, vinhos e produtos como massas frescas ou desidratadas, carnes, vinhos, dois restaurantes onde servem macarrão e pizza no primeiro andar e um restaurante, aparentemente mais sofisticado, chamado "Brace" no segundo andar (este estava fechado quando fomos - é que já eram umas 22h30 quando chegamos).

 Térreo

"Compre só o que precisar, mas compre coisas boas" 

Jantamos na bancada deste restaurante do primeiro andar:


Como já era tarde, não estavam mais fazendo reservas para as mesas e só tinha sobrado dois lugares no balcão. Topamos, é claro.

O cardápio é todo em italiano, aliás, as placas são todas em italiano na loja inteira. Aí se precisar, tem que perguntar sobre os ingredientes para os atendentes.

Pedi um espaguete à carbonara, que estava bom, mas não tão bom quanto as massas que comi na Itália, e um suco de uva (é, não gosto de vinho, então fico no suco de uva...).



A Yuri escolheu um penne com berinjela e um suco de maçã:



Se não me engano, meu prato custou R$ 42 e o da Yuri, R$ 38. É meio caro se comparado com as massas que comi na Itália [embora eu não devesse fazer comparações, eu sei], ainda mais considerando que as massas na Itália são frescas, em geral, os próprios restaurantes é que preparam a massa. Mas valeu a experiência. Da próxima vez quero experimentar a pizza! :) Havia um casal ao lado, na bancada, comendo uma pizza margherita e fiquei de olho; estava com uma aparência ótima.



Na bancada ao lado, pizzas 

Fornos a lenha com ladrilhos dourados... 

Corredor com produtos, vários deles italianos 




Depois da comilança, ainda passamos no térreo para tomar sorvete, lógico.





 Escolhi pistache, chococo e outro sabor que não lembro

Olha, o sorvete não era ruim, mas depois de ter tomado tantos sorvetes deliciosos e leves, com maior ou menor qualidade, na Itália, não achei esse Venchi tão maravilhosamente bom; e, apenas para constar, também havia chocolates dessa marca à venda. E, voltando aos sorvetes, imagino que deva ser impossível reproduzir a receita dos sorvetes italianos no Brasil por causa da técnica e dos ingredientes - é só um palpite. Por enquanto, continuo preferindo os sorvetes do Bacio di Latte

No primeiro andar também tem uma parte com cervejas artesanais e tem algumas com nomes sugestivos e engraçados:



 Indicação do banheiro

Esqueci de comentar que no térreo ou no primeiro andar também existe uma escola de culinária. Imagina que delícia aprender a fazer massa e molhos frescos?!

A Eataly me lembrou de um mercado ótimo que eu, a Flávia e a Carol (companheiras de viagem pela Itália) visitamos em Florença - no fim das contas acabei nem visitando museus, mas fui duas vezes a esse mercado e não me arrependo. O Eataly é mais sofisticado, mas a ideia é a mesma: um lugar que reúne comida boa e fresca com qualidade, onde se pode também comprar ingredientes e aprender (nesse mercado também há uma escola de culinária). Em breve pretendo escrever posts sobre a viagem para a Itália e tudo de gostoso que comi por lá! Meu dia bem que poderia ter 30 horas, no mínimo.

***

Eataly 
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1489 
São Paulo - SP
Telefone: (11) 3279-3300

Horários de Funcionamento
Mercado: Todos os dias das 8h às 23h 

Restaurantes: É preciso consultar os horários no site [na sexta, mais ou menos às 23h, conseguimos lugar no balcão, mas não faziam mais reserva para mesas; o restaurante fechava à meia-noite]

Nenhum comentário: