Pages

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Divertida Mente, controlados por emoções


Podem me achar de criança ou do que for, mas gosto de desenhos e animações. Não de todos os desenhos, mas, em geral, eu gosto. Então hoje vou escrever sobre uma animação da Pixar que vi há algumas semanas no cinema e adorei: "Divertida Mente" (Inside Out).

Eu estava esperando ansiosamente pela estreia dessa animação, pois tinha visto o trailer há muito tempo e o enredo me pareceu genial.

Riley é uma garota de 11 anos que se muda com os pais de Minnesota para São Francisco e suas emoções começam a ficar desequilibradas, pois sente falta dos amigos e das coisas que fazia na cidade onde morava.


As emoções da Riley encarnam os seguintes personagens: Alegria, Raiva, Nojinho, Medo e Tristeza. Eles ficam em um tipo de "cabine de controle" dentro da Riley, sendo que a Alegria sempre tenta controlar o estado emocional dela, mas depois percebe que isso não é possível o tempo todo.


Quando Riley começa a falar sobre sua vida em Minnesota para os colegas em sala de aula, percebe o quanto sente falta de lá e começa a chorar. É um dos indícios de que ela não está bem, e talvez a Tristeza estivesse tentando alertar, alterando o humor da garota, para que os pais a ajudassem.


As emoções também são responsáveis por armazenar as lembranças da Riley (bolinhas coloridas), e as mais importantes vão para um local especial, que acabam criando as "torres" que vão moldando a personalidade dela.


[Encontrei a ilustração do mapa da mente da Riley na internet e achei bem interessante:]


Quando a Tristeza toca nas bolinhas especiais, com as memórias de longo prazo, elas ficam azuis e as lembranças se tornam tristes. A Alegria tenta afastar a Tristeza, mas as duas acabam sendo sugadas para um tubo que as leva a um local de armazenamento de memórias e também a outras áreas dentro da mente de Riley, incluindo a Terra da Imaginação e um estúdio onde são "filmados" os sonhos que ela tem à noite.


O objetivo da Alegria é recuperar as memórias especiais de Riley e voltar à cabine de comando, onde ficaram Raiva, Nojinho e Medo (que tentam equilibrar o estado emocional de Riley, sem muito sucesso).






Nessa viagem às várias áreas da mente de Riley, Alegria e Tristeza encontram um amigo imaginário que Riley tinha quando era criança, o Bing Bong. Ele as ajuda a voltar à cabine de comando, mas acontece algo e ele não consegue ir junto (ele queria ir para a cabine de comando, pois queria que a Riley voltasse a se lembrar dele).


No filme também podemos ver as emoções que controlam outros personagens, como a mãe e o pai da Riley, por exemplo. Tem uma parte engraçada, entre várias outras, em que as emoções da mãe conversam sobre um namorado brasileiro que ela deixou para ficar com o pai da Riley, era um cara bonitão que falava algo do tipo: "Come on, gatinha!" (o "gatinha" era em português), enquanto a mãe tentava alertar o marido que a Riley não estava bem e ele só estava pensando em jogos de futebol.


No fim, as emoções se equilibram e Riley fica bem. Depois de um ano ela já está adaptada à vida na nova cidade e tem novos amigos. Que bom! :)

Encontrei esse quadro que mostra os dubladores em português (nem sabia, porque vi o filme em inglês):



É uma animação inteligente e deve ter aproveitado vários conceitos da psicologia. Gostei muito! :)

O trailer é esse:



2 comentários:

Dan disse...

O filme é tão bonito! Gostei muito. :)

aline naomi disse...

Muito bonito mesmo, Dan! :) Também gostei muito.