Pages

terça-feira, 17 de novembro de 2015

A paixão de JL


Sexta passada chamei a Yuri para ver o documentário (com um pouco de ficção) "A paixão de JL", de Carlos Nader, no Centro Cultural São Paulo. JL, no caso, são as iniciais de José Leonilson, um artista plástico cearense, que se mudou para São Paulo ainda criança, e morreu vítima de Aids nos anos 1990. Esse documentário faz parte da programação do Festival Mix Brasil desse ano, do qual falarei um pouco mais em outro post.



Eu queria muito ver esse documentário porque em 2011 vi uma exposição linda que o Itaú Cultural montou com as obras dele e da qual falei um pouco aqui.

"A paixão de JL" se constrói a partir de fitas cassetes, um tipo de "diário falado", que o Leonilson gravou durante os últimos anos de vida. No documentário, os relatos são ilustrados vários tipos de imagens e principalmente com suas obras, assim, é possível entender um pouco melhor tanto a obra quanto o artista.

Nas fitas, Leonilson fala sobre solidão, sobre gostar de uns "garotos lindos", trabalhos que estão sendo desenvolvidos por ele, sobre um namorado, amigos, descoberta e convivência com a Aids, sua relação com a família.

Umas das partes mais tristes, a meu ver, era quando ele falava que não queria machucar os pais, contando que era homossexual e, posteriormente, que tinha Aids. Também não queria machucar os amigos. Ele falava coisas do tipo: "Como é que eu vou conseguir contar que tenho Aids para pessoas que gostam tanto de mim?". Apesar de tudo, ele achava que ia sair dessa. Mas acabou morrendo com apenas 36 anos. Hoje em dia, com o avanço dos tratamentos, provavelmente não morreria tão jovem.

Gostei e recomendo!



Nenhum comentário: