Pages

sexta-feira, 22 de julho de 2016

"Bonitinhos, mas ordinários"

Semana passada chegaram uns livros que comprei na Amazon, entre eles, Um cão chamado Jimmy (custou R$ 9,90 - quem tiver interesse, corre lá, porque o preço ainda é esse). Eu tinha lido a respeito desse livro na época do lançamento, tive interesse em comprar, mas não me animei em pagar uns R$ 30. 

Tanto esse livro quanto os outros três que apresento abaixo (Sem coleira, Desenhos de um garoto solitário e Daniel e Bianca) entram em uma categoria que classifico mentalmente como "bonitinhos, mas ordinários" - que servem para livros que não acrescentam nada, intelectualmente falando, mas são bonitinhos, engraçadinhos e entregam o que propõem: entretenimento.

Como uma provável futura editora (?), fico prestando atenção nessas coisas. Por que as pessoas compram esse tipo de livro? O que tem de especial nesses livros que atrai a atenção das pessoas (a ponto de elas pagarem por eles o preço de livros "com conteúdo")? Como descobrir pessoas que renderiam livros desse tipo? Facebook. (Mas eu odeio Facebook.) Por que raios eu comprei esses livros? Bom, acontece que eu também gosto desse tipo de livro, mas não sei explicar direito a razão. Talvez por eles terem algo de "único" e humano e as pessoas se identificarem com os personagens e histórias (?).

Como característca comum, os quatro livros desse post começaram como publicações meio despretensiosas em redes sociais e depois acabaram virando livro.


Rafael Mantesso é um publicitário mineiro que, depois de se separar da esposa, passou a fotografar seu cão, o Jimmy Choo, um bull terrier, e a ilustrar essas fotos. 

Fiquei pasma: a ex-esposa levou TUDO do apartamento, ou seja, levou ao pé da letra o que o Rafael disse na hora da separação: "Pode levar tudo, menos o cachorro". 


Como tinha espaço livre, Jimmy ficava correndo pelo apartamento. Parece que o piso e as paredes eram brancas, assim como boa parte do Jimmy, e isso ajudou Rafael a fotografá-lo em várias situações e depois imaginar as situações e fazer as ilustrações.


O nome do cachorro, Jimmy Choo, foi inspirado na marca de sapatos de luxo criada pelo sino-malásio Jimmy Choo (encontrei um pouco sobre essa marca de sapatos aqui), porque era a marca de sapatos preferida da ex-esposa do Rafael. Antes do Jimmy, o cachorro, eu não tinha ideia de que havia no mundo uma marca de sapatos chamada Jimmy Choo. Essa informação vai para a seção de conhecimentos aleatórios e inúteis do meu cérebro.




As fotos/ ilustrações do Rafael ficaram tão populares que a marca de sapatos Jimmy Choo o convidou para criar ilustrações, incluindo seu cachorro, claro, para uma coleção (no link tem um vídeo muito legal em que Jimmy é a estrela). Muito chique você, Jimmy.


Para quem quiser acompanhar o trabalho do Rafael Mantesso, o Instagram dele é esse (depois de "ler" o livro passei a segui-lo; o Jimmy é muito fofo!).



Outro livro sobre cachorros, de uma outra perspectiva, é esse:


Sem coleira (Off the Leash) foi escrito e ilustrado por Rupert Fawcett, um ilustrador inglês que começou a postar tirinhas de cães no Facebook. Nessas tirinhas, ele tenta expor o "raciocínio" dos cães quando eles se comportam de um jeito ou de outro em relação aos humanos. Mais sobre Rupert pode ser lido/ visto no site dele, em inglês. Encontrei também esse outro site, só com tirinhas de cães.

Selecionei as tirinhas que achei mais engraçadas:











O próximo livro é...


Desenhos de um garoto solitário foi escrito e ilustrado pelo jovem goiano Naldo Junio. Pelas minhas contas, ele tinha 17 anos quando criou uma conta no Facebook (hoje deve ter... 20 anos?) para divulgar seu trabalho (atualmente ele está com mais de 1 milhão e 300 mil "curtidas").

Não tem como não se identificar com vários pensamentos, sentimentos e ironias do bonequinho cabeçudo que o Naldo criou (imagino que o personagem reflete características e pensamentos do próprio autor):





Essa é uma das minhas preferidas! Haha :)





Quem nunca?




Por último, gostaria de apresentar o Daniel e a Bianca! Crianças comuns e extraordinárias de Curitiba:


Esse livro foi resultado de uma campanha que o pai do Daniel (9 anos) e da Bianca (6 anos), Jorge Uesu Junior, fez no site do Catarse (a página do projeto é essa). Foi a segunda vez que ele lançou a campanha do livro, porque muita gente que não conseguiu o livro da primeira vez (em 2014) estava pedindo. As ilustrações do Guilherme Match são muito bonitinhas!

Minha cópia com autógrafos do Daniel e da Bianca :)


O Jorge começou a postar as "pérolas" dos filhos no Facebook, a página começou a fazer muito sucesso (sim, eu também sigo!, e rio sozinha. Daniel e Bianca são ótimos!) e aí surgiu a ideia do livro.


Adoro a ideia do financiamento coletivo porque as pessoas apoiam projetos que interessam e depois podem ficar com uma "recompensa" (ou podem só doar uma certa quantia para projetos que acham legais). Além desse projeto, apoiei outros três. Estou aguardando a HQ Cerulean, que deve ficar pronta em breve. 

É incrível ver ilustradores tão jovens e talentosos. A autora e ilustradora do Cerulean, Catharina Baltar, de Brasília, deve ter uns 20 anos e faz um trabalho maravilhoso, assim como o Gustavo Borges, um ilustrador gaúcho (que ilustrou a HQ Pétalas, que também apoiei) - para se ter ideia, a meta dele era arrecadar R$ 5 mil e acabou arrecadando mais de R$ 50 mil, porque muita gente queria a HQ dele.












Além da página no Facebook, a Hypeness publicou uma nota sobre Daniel e Bianca (e Jorge) aqui. Tem outras historinhas engraçadas e ilustradas por lá também!

Nenhum comentário: