Pages

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Nada dura para sempre - que ruim, que bom

Villa Borghese. Roma, Itália, abril de 2015

Semana passada a Mila comentou por e-mail que queria falar comigo e perguntou se a gente podia marcar algo para breve. Fiquei imaginando por que ela queria falar comigo e concluí que algo importante tinha acontecido ou ia acontecer. Duas hipóteses me ocorreram: 1. ela ia se casar ou 2. ela tinha arranjado um emprego nos Estados Unidos (ou em outro país para onde ela quer ir) e queria me comunicar, para eu ir me preparando psicologicamente para não vê-la por um bom tempo.

Marcamos de nos encontrar ontem, depois da sessão de terapia dela, em frente a um Starbucks na avenida Paulista.

Quando nos encontramos, nos cumprimentamos e, ansiosa, fui logo falando:

- Você vai casar, né?

E ela:

- Então, eu e a X terminamos. Ela terminou comigo.

*CHOQUE*

Como. É. Que. É?

Bom, aí fomos comer e beber num shopping ali perto, para ela me contar direito o que tinha acontecido. 

Cinque Terre, Itália, abril de 2015

Não sei por que fico tão abalada quando relacionamentos de amigos terminam, aparentemente do nada. Na verdade, é claro que não terminam "do nada", muitas coisas vão acontecendo na dinâmica do casal sem que pessoas de fora se deem conta e às vezes sem que o próprio casal se dê conta. Mas sempre que alguém me comunica que terminou um namoro ou um casamento, primeiro vem o choque e depois me bate esse baixo astral - tanto pelo(a) amigo(a) que, em geral, está infeliz, quanto pela sensação de que as relações humanas andam cada vez mais descartáveis. É como se, para algumas (várias?) pessoas, estar com Fulano ou Beltrano desse na mesma. As pessoas se cansam fácil demais e querem outras pessoas que as satisfaçam mais em todos os sentidos. E não sei explicar por que isso me afeta e quase dói. A vida é assim e as pessoas são assim, não há o que se fazer, tento explicar para mim mesma. 

Nenhum tipo de amor é fácil. É preciso colocar uma boa dose de paciência, dedicação e companheirismo para o relacionamento dar certo. Em tempos de Tinder, talvez seja muito difícil ter paciência e dedicação. São muitas as opções/ pessoas disponíveis, então, quando o relacionamento não está 100% bom, melhor terminar logo e partir para outra, afinal, para que perder tempo? Fico imaginando se é mais ou menos isso que as pessoas pensam e sentem. Não sei.

Apesar do que escrevi acima, concordo que não tem como um relacionamento dar certo quando apenas uma das partes deseja isso. Nesses casos, o melhor é terminar mesmo. E sofrer e chorar e depois encontrar o amor em outras pessoas. 

Talvez tudo dure o suficiente. E o suficiente já é bom.

4 comentários:

Minhas Impressões disse...

Olá, Aline.
Essa postagem veio em boa hora. Recentemente, soube que uma amiga e o namorado terminaram, um relacionamento de mais de quatro anos. Primeiro eu pensei que fosse brincadeira, mas quando vi que era mesmo verdade, não soube o que falar. Fiquei triste, porque eles estavam muito próximos de se casarem, mas olhando por outro lado, foi bom terem percebido que as coisas já não estavam dando muito certo antes do casamento.
No fundo, no fundo, ainda neutro uma esperança deles voltarem, mas não sei se isso irá acontecer.
Abraços.

aline naomi disse...

Oi, Maria!
Imagino que esse sentimento de nos sentirmos mal quando amigos terminam (ou quando terminam com eles) seja normal. Em geral, não há o que fazer, a não ser tentar ficar perto e dar apoio.
Essas amigas estavam morando juntas há dois anos e o relacionamento estava se encaminhando para o casamento oficial, com papel passado, bolo e brigadeiro (igual na música). Mas aí tudo terminou. Achei muito triste.
Tenho a impressão de que os relacionamentos hoje em dia estão muito baseados na satisfação imediata e não há espaço para tentar entender o outro e equilibrar a relação. A melhor opção parece sempre terminar e começar outro relacionamento (outra promessa de felicidade). Isso me dá um certo vazio. Como se todo mundo fosse meio descartável. Por outro lado, fico pensando que nada disso é da minha conta e que cada um faz o que acha melhor...

Vou seguir seu blogue! Estava vendo uns posts, bem interessantes! Vi que você leu "Pílulas azuis" (adoro essa HQ!).

Abraço!!

Cristiane Maruyama disse...

E falar sobre relacionamentos.... ah! (suspiro)

aline naomi disse...

Pois é, Cris... relacionamentos quase sempre são complexos...