Pages

terça-feira, 12 de julho de 2016

O homem duplicado, de Denis Villeneuve


Não lembro como cheguei a este filme, mas provavelmente o fato de ele ter sido baseado no livro homônimo do José Saramago, além de o personagem principal ter um "duplo", aguçou a minha curiosidade.

O homem duplicado foi dirigido pelo canadense Denis Villeneuve e estreou no Brasil em 2014, só não sei se passou pelos cinemas (não lembro de ter visto esse filme em cartaz) ou se foi lançado diretamente em DVD. O Villeneuve também dirigiu Incêndios, de que eu gostei.

Já no começo, há uma cena sensual e ao mesmo tempo repugnante com uma aranha (tudo que nos provoca repulsa também nos atrai?). Depois, referências a aranhas aparecem ao longo do filme e os fios emaranhados dos postes talvez remetam a teias, dando a ideia de que tudo está encadeado e faz parte de um todo. Fui pesquisar um pouco sobre isso e parece que, em algumas culturas, a aranha é um animal que simboliza a "força criadora", que deu origem ao universo [li isso aqui]. Dentro do contexto do filme, talvez faça sentido porque o protagonista, Adam (Jake Gyllenhaal), vive um caos e, no começo (depois que a aranha deu origem ao universo?), tudo devia ser um caos. Também pode ter a ver com a mãe de Adam, que deu origem a ele e, consequentemente, ao caos que ele vive.


Adam é professor universitário e tem uma rotina meio previsível: dá aula de dia, à noite encontra a namorada, fazem um sexo mais ou menos, o dia seguinte é meio igual e ele parece estar cansado. Certo dia, na sala dos professores, um colega pergunta se ele gosta de ver filmes, ele responde que não liga muito para isso, mesmo assim, pede uma indicação. O colega indica um filme e Adam o aluga. 


Adam assiste ao filme e vai dormir. Sonha com o filme e, quando acorda, vai ver algumas cenas novamente porque algo chamou sua atenção: o ator que faz o papel de um mensageiros do hotel tem a mesma aparência que ele. Ele busca o nome do ator nos créditos e passa procurá-lo, até que o encontra.

O ator, que usa o nome artístico Daniel Saint Claire, primeiro se recusa a encontrar Adam e pede para ele parar de perturbá-lo com ligações, mas depois decide encontrá-lo. 


A esposa de Daniel, grávida, se não me engano de seis meses, começa a se preocupar com a história e chega a ir à faculdade onde Adam trabalha. Há uma cena emblemática em que os dois se encontram. Ela sabe quem ele é, mas ele, não.


Depois que encontra Daniel pessoalmente, a vida de Adam começa a tomar rumos inesperados e ele também começa a se dar conta de que algo mais sinistro está acontecendo com ele.

Não dá para contar mais que isso, senão estrago o filme todo. Fiquei impressionada e com muita vontade de ler o livro para saber como Saramago escreveu essa história - que talvez Villeneuve tenha transformado em outra. 




Recomendo!

Encontrei o filme completo, só que dublado (a dublagem me causou muito estranhamento, não gosto de filmes dublados!), aqui no YouTube.

2 comentários:

Minhas Impressões disse...

Olá, Aline.
Me interessei por esse filme e que bom que tem no YouTube. Irei assisti-lo assim que tiver um tempinho.
Abraços.

aline naomi disse...

Oi, Maria (?)!
Eu quero ler o livro e depois ver o filme de novo! :)