Pages

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Vida, morte, destino

Na terça, quando o editor chegou na editora, foi logo falando: "Você viu que tragédia aquele avião que caiu?". Não tinha ideia do que ele estava falando, porque na segunda-feira tinha ido ao cinema e não vi os noticiários da noite. Abri o site da Folha de S.Paulo e a notícia estava estampada, de cara, gigantesca, chocante. O time de futebol Chapecoense estava no voo, havia 75 vítimas fatais até então e poucos sobreviventes.

O país inteiro ficou e ainda deve estar em choque.

Não entendo nada de futebol e não acompanho os campeonatos porque não gosto, mas também fiquei chocada. Jogadores jovens e em ascensão, com "a vida inteira pela frente", entre outras pessoas, perderam a vida de uma hora para outra. É muito triste.

Diante de tragédias como essa, fico me perguntando várias coisas, por exemplo: 

1. Nosso destino está traçado antes mesmo de a gente nascer? O dia da nossa morte já está escrito em algum lugar? Li que algumas pessoas desistiram de pegar o voo que caiu por motivos diversos e tiveram suas vidas poupadas - sorte? Destino? Intuição?

2. A tragédia poderia ter sido evitada? Conforme os fatos vêm sendo apurados, parece que o avião caiu por falta de combustível, nunca tinha ouvido falar disso. E me dá angústia pensar que isso tenha acontecido, também, por motivos econômicos.

3. Isso iria acontecer de qualquer maneira? Se essas pessoas não tivessem morrido juntas nesse acidente, morreriam juntas numa próxima oportunidade? Talvez por querer entender por que certas coisas acontecem, há muito tempo li em sites que a explicação espírita para o incêndio no edifício Joelma, em que umas 190 pessoas morreram na década de 1970, é que essas pessoas precisavam desencarnar juntas para pagar uma "dívida" da época das Cruzadas. Li uma explicação parecida sobre a morte dos Mamonas Assassinas: os integrantes da banda precisavam morrer juntos porque suas vidas estavam fortemente entrelaçadas desde vidas passadas e, provavelmente, também precisavam pagar algum tipo de dívida. Sou meio cética, mas não consigo deixar de pensar nessa explicação. Há tanta coisa entre o céu e a terra...

4. Existe algo maior regendo nossa existência ou tudo acontece de forma mais ou menos aleatória? 

Coisas chocantes e extremamente dolorosas acontecem todos os dias, mesmo assim, é preciso continuar vivendo como for possível e tentando aproveitar o tempo que os mortos já não têm.


Nenhum comentário: